Evangelismo
Como

Fermento

 

 

 

 

 

 

 


Evangelismo Como
Fermento

 

 

 

                                                             

Este curso é parte do INSTITUTO BÍBLICO TEMPO DE COLHEITA, um programa elaborado para equipar os crentes para uma efetiva colheita espiritual. O tema básico do treinamento é ensinar o que Jesus ensinou, aquilo que ao chamar pescadores, coletores de impostos, e etc., transformou-os em cristãos reprodutivos que alcançaram o mundo com o Evangelho em demonstração de poder.

 

Este manual é um simples curso dos diversos módulos do currículo que conduz os crentes da visualização através da depuração, multiplicação, organização e mobilização para alcançar o objetivo da evangelização.

 

         Para maiores informações sobre outros cursos, escreva para:

 

Harvestime International Institute

14431 Tierra Dr.

Colorado Springs, CO 80921

USA

www.harvestime.org <http://www.harvestime.org>

 

 

 

 

 

Copyright 2003

 

© Harvestime International Network

 

© Instituto Internacional Tempo de Colheita

 

 

Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta tradução e

manual pode ser reproduzida, estocada em qualquer tipo de sistema,

ou reproduzida, de qualquer forma ou por qualquer meio, seja eletrônico,

mecânico, fotocópia ou outro qualquer, sem a devida permissão por escrito de Harvestime International Institute ou de seu representante legal.

 

 

CONTEÚDO

 

 

Como Usar Este Manual, 3

Sugestões Para o Estudo em Grupo, 3

Introdução, 5

Objetivos do Curso, 6

 

 

PARTE UM: IDE

 

Introdução da Parte Um, 7

 

1. Evangelismo Como Fermento, 8

2. O Mandato, 17

3. A Mensagem, 25

4. Os Mensageiros, 33

5. Comunicando a Mensagem, 42

6. Os Destinatários da Mensagem, 46

7. Os Métodos: Princípios do Novo Testamento, 54

8. Os Métodos: As Parábolas do Novo Testamento, 63

9. Os Métodos: Evangelização Pessoal, 69

10. Os Métodos: Tratando Com as Dificuldades, 79

11. Os Métodos: Evangelismo de Saturação, 85

12. Os Métodos: Evangelização de Massa, 93

13. Decisões ou Discípulos?, 110

14. Planejando Para a Evangelização, 120

15. Funcionando Em Rede Para Evangelização, 126

 

PARTE DOIS: À MEDIDA QUE SEGUIRDES

 

Introdução da Parte Dois, 134

 

16. Uma introdução a Cura e Libertação, 135

17. Variáveis Que Afetam a Cura, 159

18. "Enquanto você vai, Cure”, 178

19. "Enquanto você vai, Liberte”, 192

 

PARTE TRÊS: ENQUANTO VOCÊ ESTIVER ALI

 

Introdução da Parte Três, 224

 

20. Plantação de Igrejas: O Modelo, 226

21. Plantação de Igrejas: Os Métodos, 232

22. Plantação de Igrejas: A Multiplicação, 247

 

APÊNDICE: Uma Palavra Final, 254

 

Resposta da secção “Teste o Seu Conhecimento”, 256

 

 


COMO USAR ESTE MANUAL

 

FORMATO DO MANUAL

 

Cada lição consiste de:

 

Objetivos: Estes são os objetivos que você deve alcançar ao estudar o capítulo. Leia-o antes de começar a lição.

 

Versículo-Chave: Este versículo enfatiza o conceito principal do capítulo. Tente memorizá-o.

 

Conteúdo do Capítulo: Estude cada seção. Use sua Bíblia para procurar as referências bíblicas não transcritas no manual.

 

Teste o Seu Conhecimento: Faça este teste depois de você terminar de estudar o capítulo. Tente responder as questões sem usar sua Bíblia ou este manual.

 

Para Estudo Adicional: Esta é a seção final de cada capítulo. Ela estimula o estudo independente do aluno.

 

Exame Final: Se você está registrado neste curso para receber créditos e Diploma, você deverá solicitar um exame final ao término deste curso. Após a conclusão do exame, você deverá retorna-o a nós para receber os créditos que lhe darão direito ao Diploma e que também servirão para você avançar em seus estudos posteriormente.

 

SUGESTÕES PARA O ESTUDO EM GRUPO

 

PRIMEIRA REUNIÃO:

 

Abrindo: Abra com oração e apresentações. Conheça e matricule os estudantes.

 

Estabeleça os Procedimentos do Grupo: Determine quem conduzirá as reuniões, o horário, os lugares e as datas para as sessões.

 

Louvor e adoração: Convida presença do Espírito Santo em sua sessão de treinamento.

 

Distribua os Manuais aos Estudantes: Introduza o título do manual, o formato e os objetivos do curso proporcionados nas primeiras páginas do manual.

 

Faça a Primeira Tarefa: Os estudantes lerão os capítulos determinados e farão o teste para a próxima reunião. O número de capítulos que você ensinará em cada sessão dependerá do tamanho do capítulo, conteúdo e das habilidades de seu grupo.

 

A SEGUNDA E DEMAIS REUNIÕES:

 

Abrindo: Ore. Dê as boas-vindas e matricule a qualquer novo aluno e também dê o manual. Veja quem está presente ou ausente. Tenha um tempo de adoração e louvor.

 

Revisão: Apresente um breve resumo do que você ensinou na última reunião.

 

Lição: Discuta cada seção do capítulo usando os TÍTULOS EM LETRAS MAIÚSCULAS E EM NEGRITO como um esboço do ensinamento. Peça aos estudantes que façam perguntas ou comentários sobre o que eles têm estudado. Aplique a lição às vidas e ministérios de seus estudantes.

Teste: Reveja com os estudantes o teste que eles completaram. (Nota: Se você não quer que os estudantes tenham acesso às respostas, você pode tirar as páginas com as respostas que se encontram no final de cada manual).

 

Para Estudo Adicional: Você pode fazer estes projetos numa base individual ou em grupo.

 

Exame Final: Se o grupo está matriculado neste curso para os créditos e Diploma você recebeu um exame com este curso. Dê uma cópia para cada estudante e administre o exame na conclusão deste curso.

 

 

                                                                                             MATERIAL ADICIONAL NECESSÁRIO

 

         Você necessitará apenas de um exemplar da Bíblia, preferencialmente a Edição Revista e Atualizada, mas outras versões também poderão ser usadas, embora isto talvez represente alguma pequena dificuldade para o aluno acompanhar os textos bíblicos deste curso.

 

 


Módulo: Evangelização

Curso: Evangelismo como Fermento

 

 

INTRODUÇÃO

 

 

n Quase dois terço da população do mundo nunca ouviu a mensagem do Evangelho.

n Cerca de milhares de grupos de povos nunca foram alcançados para o Senhor Jesus.

n Muitas tribos nunca receberam seus primeiros missionários.

n Há cerca de 1.700 idiomas sem a Palavra escrita de Deus.

n A população do mundo dobrará em menos de 50 anos.

 

 

Quando nós pensamos em estatísticas como estas, a partir do ponto de vista de cumprir a Grande Comissão do Senhor Jesus Cristo para levar o evangelho do Reino de Deus a cada criatura, nós reconhecemos que estamos diante de uma grande tarefa. Este curso foi escrito para mobilizar e equipar os crente para cumprir este grande desafio. É uma tarefa tremenda, mas ela não é impossível.

 

Muitos cursos sobre evangelização enfocam no mandamento para “Ir” a todas as nações com o evangelho. Eles enfatizam a pregação e ensinamento da mensagem do evangelho. Este curso difere, pois ele também enfoca no que Jesus disse para fazer “à medida que seguirdes” e o padrão da Igreja do Novo Testamento do que fazer “enquanto você estiver ali”. O curso se divide em três partes:

 

Parte Um é intitulada “Ide”. Ela enfoca no mandato dado por Jesus para pregar o evangelho do Reino de Deus a cada criatura. Inclui instruções acerca da mensagem a ser compartilhada, os mensageiros, como comunicar o evangelho e os receptores da mensagem. Métodos de evangelismo também são ensinados, com ênfase naqueles usados nos tempos do Novo Testamento. A evangelização Pessoal e em massa se discutem, com instruções específicas sobre como tratar com dificuldades e o acompanhamento dos novos convertidos. Instruções são dadas também sobre planejamento e mobilização dos recursos espirituais e como funcionar em rede com outros no evangelismo.

 

Parte Dois é intitulada “À Medida Que Seguirdes”. Nos Evangelhos, Jesus nunca comissionou ninguém para pregar o evangelho sem também lhe ordenar a ministrar cura e libertação. Ele disse que à medida que seguirdes, pregai que está próximo o reino dos céus. Curai enfermos, ressuscitai mortos, purificai leprosos, expeli demônios; de graça recebestes, de graça daí” (Mateus 10.1, 7-8, tradução do original). Enquanto as multidões vinham para receber cura e libertação, a colheita espiritual começou a multiplicar-se tão rapidamente que novos obreiros foram necessários. Não demorou a que 70 mais discípulos fossem necessários e enviados para pregar, ensinar, curar e libertar. Foi a demonstração de poder “à medida que eles iam” que resultou em rápido avanço do evangelho por todo ou mundo. Por esta razão, a Parte Dois deste curso enfoca no ministério de cura e libertação que deve acompanhar a pregação e o ensinamento do evangelho.

 

Parte Três enfoca no padrão revelado pela igreja do Novo Testamento do que fazer “enquanto você estiver ali”. O propósito do evangelismo não está completo até que uma igreja seja plantada entre um grupo de novos crentes. Evangelismo para estabelecer igrejas locais é como trazer filhos ao mundo e não assumir a responsabilidade por seu subseqüente cuidado. Uma pessoa não deve ser considerada “evangelizada” até que ela se torne um membro responsável e ativo de uma igreja local. Para realizar isto, ali deve haver uma igreja local. Uma área não deve ser considerada evangelizada até que uma igreja seja plantada.

 

Esta tríplice abordagem do evangelismo é chamada de “evangelismo como fermento” porque ele espargirá o evangelho por todo ou mundo rapidamente assim como o fermento penetra uma massa de pão. O fermento pode ser pequeno e oculto, mas ele é de grande impacto.

 

 

 

______________

Nota: Este curso é o último curso do módulo final do treinamento principal na série de cursos oferecidos pelo Instituto Bíblico Tempo de colheita. “Uma palavra Final” no Apêndice deste manual explicará como obter um certificado de conclusão ao finalizar estes cursos.

 

 

 

 

OBJETIVOS DO CURSO

 

 

Ao concluir este curso você será capaz de:

 

n Definir “evangelismo como fermento”.

n Explicar o mandato do evangelismo.

n Resumir a mensagem do evangelismo.

n Identificar os mensageiros do evangelismo.

n Identificar os receptores da mensagem.

n Comunicar o evangelho a outros.

n Resumir os princípios da evangelização no Novo Testamento.

n Resumir as parábolas sobre evangelização no Novo Testamento.

n Fazer evangelismo Pessoal.

n Tratar com as dificuldades que você encontra no evangelismo.

n Alcançar uma área inteira com evangelismo de saturação.

n Conduzir evangelismo em massa.

n Acompanhar os novos convertidos.

n Fazer planos para o evangelismo.

n Funcionar em rede com outros para o evangelismo.

n Resumir o que a bíblia ensina sobre cura e libertação.

n Explicar as variáveis que afetam a cura.

n “Enquanto você vai, Cure”.

n “Enquanto você vai, Liberte”.

n Descrever os modelos do Novo Testamento para plantar igrejas.

n Seguir os métodos do Novo Testamento para plantar igrejas.

n Seguir os métodos do Novo Testamento para multiplicar igrejas.

INTRODUÇÃO DA PARTE UM

 

“IDE”

 

 

Parte Um enfoca no mandato para “ir” a todo o mundo e evangelizar cada criatura vivente.

 

Nesta secção você aprenderá sobre o mandato dado por Jesus para pregar o evangelho do Reino e receber instrução sobre a mensagem a ser compartilhada, os mensageiros do evangelho, como comunicar o evangelho, e a quem ele deve ser comunicado.

 

Você aprenderá muitos métodos de evangelismo, com ênfase naqueles que foram usados nos tempos do Novo Testamento. Tanto o evangelismo pessoal quanto o de massa são discutidos, com instruções específicas sobre como tratar com dificuldades na evangelização e o acompanhamento dos novos convertidos.

 

Instruções são dadas sobre planejamento e como funcionar em rede com outros para o propósito da evangelização.

 

E agora... Você está pronto para “IR”?


CAPÍTULO UM

 

EVANGELISMO COMO FERMENTO

 

 

 

OBJETIVOS:

 

Ao concluir este capítulo você será capaz de:

 

n Escrever os versículos chave de memória.

n Definir “evangelismo como fermento”.

n Explicar a “definição de perdido”.

n Explicar “o destino do perdido”.

n Identificar os seis passos no processo de evangelização.

 

VERSÍCULO CHAVE:

 

“Disse mais: A que compararei o reino de Deus? É semelhante ao fermento que uma mulher tomou e escondeu em três medidas de farinha, até ficar tudo levedado" (Lucas 13:20-21).

 

 

 

INTRODUÇÃO

 

 

Esta lição discute a necessidade do evangelismo, explica o processo do evangelismo, e define os termos que são importantes para você compreender enquanto você estuda o tema. Nos tempos do Antigo testamento quando o templo estava sendo construído, o som de um martelo, machado o qualquer outra ferramenta não se ouviu enquanto ele estava sendo construído (1 Reis 6.7).

 

O silencio com o qual aquelas grandes pedras foram colocadas é um exemplo natural de uma grande verdade espiritual. “Um maior que Salomão” está agora edificando um grande templo espiritual. Este templo também está sendo erguido silenciosamente, com cada pedra perfeitamente fixada nas outras. Isto ocorre silenciosamente, mas por meio de um poderoso processo chamado de “evangelismo como fermento”.

 

EVANGELISMO COMO fermento

 

“Disse mais: A que compararei o reino de Deus? É semelhante ao fermento que uma mulher tomou e escondeu em três medidas de farinha, até ficar tudo levedado” (Lucas 13.20-21).

 

Este passagem revela que a obra de Deus não procede com uma grande quantidade de clamor e publicidade. Você pode esperar que o Reino se estenda por meios externos como subjugar exércitos e conquistar continentes. Mas a disseminação do Reino de Deus é como um pouco de fermento numa massa de pão. O fermento pode ser pequeno e oculto, mas ele tem um potencial ilimitado. Como o fermento, o poder do Reino não é externo, antes, ele é interno.

Noutro exemplo, Jesus comparou a disseminação do Reino de Deus a uma semente de mostarda:

 

“E dizia: A que é semelhante o reino de Deus, e a que o compararei? É semelhante a um grão de mostarda que um homem plantou na sua horta; e cresceu e fez-se árvore; e as aves do céu aninharam-se nos seus ramos” (Lucas 13.18-19).

 

Numa outra parábola, Jesus comparou a fé com a semente de mostarda. Ele disse que nada é impossível mesmo com uma pequena quantidade de fé. Semelhante a maneira como a fermento se espalha, uma pequena semente de mostarda se desenvolve para tornar-se uma grande árvore. Este exemplo também ilustra a silenciosa, mas poderosa maneira como o Reino avança.

 

Há muitos novos métodos que podem ajudar a estender o evangelho. Estes se chamam “tecnologias”. Elas incluem coisas tais como prensas, computadores, rádios, televisões, áudio e vídeo, e satélite. Novos métodos de transportação também ajudam as pessoas a estender rapidamente o evangelho. Estas novas tecnologias são todas úteis, mas o real poder do evangelho ainda é interno. Com isto nós queremos dizer que o poder está no próprio evangelho. Isto é o que as parábolas do fermento e da mostarda ilustram.

 

O evangelho não fica limitado onde povo não tem tecnologia avançada. Até mesmo com uma pequena quantidade de fé, o reino avançará. Isto é evangelismo como fermento.

 

A DEFINIÇÃO DE EVANGELISMO

 

A palavra “evangelismo” (ou evangelização) vem de uma palavra grega, “euangelion”. Há realmente quatro formas básicas desta palavra. Uma palavra significa “boas notícias”; duas palavras significam “proclamar as boas novas”, e uma palavra se refere ao “evangelista” ou a pessoa que faz a proclamação.

 

Evangelismo não esta somente uma série de reuniões ou cultos de adoração. Evangelismo não é o mesmo que reavivamento. Reavivamento é o Senhor em operação na Igreja. No reavivamento, a ênfase está na presença do Senhor restaurando a vida de Seu povo.

 

Evangelismo é a Igreja trabalhando para o Senhor. No evangelismo a ênfase está na experiência do novo nascimento, o inicio da vida espiritual. A renovação resulta do reavivamento, contudo, acendas forças do evangelismo que resultam em “novas criaturas em Cristo” de modo que estão estreitamente unidas quanto à vida espiritual.

 

Evangelismo é:

 

“... comunicar o evangelho através do poder do Espírito Santo de tal maneira que homens e mulheres tenham uma válida oportunidade de aceitar ou rejeitar a Jesus Cristo como Salvador e Senhor e se tornarem membros de sua igreja”.

 

Examinemos esta definição em detalhe. O “evangelho” é a mensagem comunicada. A mensagem básica do evangelho é resumida em 1 Coríntios 15:1-5, mas o “evangelho do Reino”, de fato, inclui tudo que Jesus ensinou (Mateus 28.18-20). A conversão bíblica vem pela verdade. O evangelho é um encontro entre a verdade e a injustiça, Cristo e os pecadores, e céu e inferno.

 

É o evangelho do Reino de Deus que deve ser compartilhado, não as tradições de homens ou as crenças denominacionais. A meta não é atacar os sistemas políticos ou outras religiões. A meta não é transformar a sociedade, mas ver as pessoas transformadas através do poder do evangelho.

 

A meta nem sequer é fazer “boas obras” educacionais, médicas, ou programas de cuidado e alimentação de pessoas. Estas coisas só são benéficas para cumprir a Grande Comissão quando elas são feitas dentro do contexto da evangelização. A apresentação do evangelho deve ser a meta final ou eles se tornam somente programas sociais.

 

Jesus ministrou às necessidades físicas das pessoas ao alimentar as multidões, curar e libertar. Mas estas obras foram feitas dentro do contexto da evangelização. Elas foram acompanhadas pelo ensino e pregação do evangelho.

 

“Comunicar” o evangelho significa que ele deve ser compartilhado de tal modo que leve as pessoas a aceitar a Jesus Cristo como o Salvador e Senhor. Quando você compartilha o evangelho desta maneira, você está evangelizando. Se você deseja evangelizar, você deve estar em contato com aqueles que estão espiritualmente perdidos no pecado, pois a evangelização deve acontecer no lugar onde os pecadores estão.

 

"A través do poder do Espírito Santo" significa que a mensagem não só deve ser comunicada verbalmente, mas através da demonstração de poder. Paulo disse:

 

“A minha palavra e a minha pregação não consistiram em linguagem persuasiva de sabedoria, mas em demonstração do Espírito e de poder, para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria humana, e sim no poder de Deus” (1 Coríntios 2:4-5).

 

"A través do poder do Espírito Santo" também significa que a unção do Espírito Santo deve estar na comunicação do evangelho, pois ela leva a obra do Espírito para ganhar aos perdidos:

 

“Ninguém pode vir a mim se o Pai, que me enviou, não o trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia” (João 6:44).

 

"Aceitar" significa que o ouvinte responde à mensagem. Informação sem convite é mera instrução. É exortação, mas não é evangelização. Na verdadeira evangelização deve haver uma oportunidade para a resposta. Dar seu testemunho de conversão a alguém é um método de evangelização chamado “testificar”, mas não é evangelização. Dar testemunho não é ganhar. Dar testemunho é importante, mas não assegura a salvação. A verdadeira evangelização significa apresentar as pessoas a Cristo de tal maneira que elas verão a necessidade de uma decisão pessoal. A evangelização resulta na experiência do novo nascimento que também se chama “conversão” ou “salvação”.

 

“Aceitar a Jesus Cristo como o Salvador e Senhor” não só significa uma resposta para receber a salvação, mas um processo que leva Jesus a tornar-se o Senhor da vida de uma pessoa. Isto implica que os novos convertidos são levados ao discipulado para se tornarem membros responsáveis da Igreja. Note que é “Sua Igreja”, significando o verdadeiro Corpo de Cristo, não só uma denominação ou organização específica.

 

“Uma oportunidade válida” significa que a mensagem deve ser ministrada de tal modo que possa ser entendida por uma pessoa comum. Isto significa que a comunicação deve adaptar-se ao idioma, nível educativo, e cultural de um indivíduo. Isto também significa que nós não podemos concluir que uma pessoa ou povo simplesmente tem sido evangelizado porque nós pregamos um tempo ali. O testemunho deve ser mantido por um tempo suficiente que resulte em compreensão e oportunidade para resposta. Podemos dizer que indivíduos, famílias, tribos, ou nações têm sido evangelizados quando eles têm entrado em contato com o Evangelho tempo suficiente para haver tido oportunidade de responder a ele pela fé. Esta “oportunidade válida” também implica numa mensagem poderosa que provê a oportunidade para as pessoas verem a demonstração visível do evangelho através de curas e libertações.

 

A NECESSIDADE PARA O EVANGELISMO

 

Por que o mundo necessita ser evangelizado? Para responder esta pergunta você deve entender duas coisas: A definição e o destino do perdido.

 

A DEFINIÇÃO DO PERDIDO:

 

Leia sobre a criação do mundo e do homem nos capítulos 1 e 2 de Gênesis. Depois leia Gênesis 3 sobre como o pecado entrou no mundo. Quando Adão e Eva foram criados, eles tinham uma pura natureza perfeita. Depois que eles pecaram sua natureza se corrompeu. Quando Adão e Eva começaram a se reproduzir e ter filhos, estas novas adições à raça humana nasceram com a natureza básica de pecado. O homem não era mais tão bom como Deus o havia criado. Seu pensamento natural e padrão dação eram maus.

 

Gênesis 4:1-6:4 descreve o padrão do pecado quando ele começou a estender-se ao largo do mundo. Estes capítulos registram o primeiro assassinato, a primeira mentira, e como a maldade do homem cresceu até que cada pensamento tornou-se mau, assim também como cada ação. Finalmente, o mundo inteiro estava tão pecador que Deus realmente se arrependeu de ter feito ao homem (Gênesis 6:5-6).

 

Devido ao crescimento rápido do pecado, Deus decidiu destruir a terra com um dilúvio, mas salvou a um homem justo, Noé, e sua família. (Leia a historia de Noé e do dilúvio em Gênesis 6:8-9:17.)

 

Depois do dilúvio, a família de Noé começou a reproduzir-se. Quase imediatamente, o padrão do pecado ocorreu de novo.

 

É por isto que todas as pessoas de todo o mundo de todos os tempos são chamadas de “pecadoras”:

 

“Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3.23).

 

Todas as pessoas que não têm se arrependido do pecado e experimentado o novo nascimento descrito por Jesus em João capítulo 3 é considerado “perdido”, porque elas têm perdido a pura natureza com que Deus criou ao homem originalmente. Nós também podemos dizer que elas são “não-salvas” ou “incrédulas”, porque elas não têm sido salvas de seus pecados através de crer no Senhor Jesus Cristo como o Salvador.

 

O DESTINO DO PERDIDO:

 

Devido ao pecado original de Adão e Eva, a morte entrou no mundo e eventualmente devido a isto todos morremos fisicamente. Depois da morte física vem o juízo:

 

“E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo” (Hebreus 9:27).

 

Depois da morte, nós nos apresentaremos ante o juízo de Deus. As pessoas que não têm se arrependido de seus pecados enfrentarão uma segunda morte. Elas morrerão a “morte espiritual” de separação eterna de Deus. Seu destino é o Inferno (Romanos 6:23; Apocalipse 20:12, 15).

 

Quando realmente entendemos o destino do perdido, compreendemos a necessidade urgente pela evangelização. Se não alcançarmos as pessoas com o Evangelho, elas morrerão no pecado e se destinarão para a eternidade no inferno.

 

O PROCESSO DO EVANGELISMO

 

O evangelismo é um processo que inclui a presença e proclamação do evangelho, persuasão, plantação, e participação. Permita-nos examinar este processo:

 

PRESENÇA:

 

Evangelismo de “presença” é o que radia as qualidades de Jesus através de demonstrar o caráter cristão e interesse pelas pessoas sem Cristo. O mundo não será alcançado para Jesus sem uma presença cristã autêntica. Os crentes devem aprender a construir relacionamentos, devem identificar-se com as pessoas, e devem servir aos incrédulos. Você não pode ganhar os pecadores se você não tem nenhum contacto com eles.

 

PROCLAMAÇÃO:

 

Muitos crentes continuam sendo cristãos “agentes secretos”, por assim dizer. Eles pensam que sua presença entre os incrédulos é suficiente para cumprir a Grande Comissão para evangelizar o mundo. Mas a ordem de Jesus é que nós comuniquemos o Evangelho verbalmente através de pregar, ensinar, e dar testemunho. Nós também devemos demonstrar o poder do evangelho através de curar e libertar. Estas são maneiras em que o evangelho é proclamado.

 

PERSUASÃO:

 

A proclamação do evangelho não conclui o processo de evangelização. O evangelho deve ser apresentado de tal maneira que as pessoas sejam persuadidas a tornar-se crentes no Senhor Jesus Cristo.

 

PLANTAÇÃO:

 

O novo convertido que tem sido persuadido a seguir Jesus deve ser “plantado” depois numa igreja local ou uma igreja deve ser “plantada” entre um grupo de novos crentes.

PERFEIÇÃO:

 

Como resultado desta plantação, os convertidos amadurecem espiritualmente enquanto o discipulado é realizado dentro do contexto da igreja local. (A maturidade espiritual é chamada de “perfeição” na Bíblia).

 

PARTICIPAÇÃO:

 

O processo de evangelização está completo quando novos crentes se tornam ativos na tarefa de evangelização e começam a reproduzir-se espiritualmente.

 

 

 

TESTE O SEU CONHECIMENTO

 

1. Escreva os Versículos Chave de memória.

_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

2. Defina “evangelismo como fermento”.

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

 

3. Qual é a “definição do perdido?”

_____________________________________________________________________

 

4. Que significa "o destino do perdido?”

__________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

5. Liste seis passos no processo de evangelização.

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

(As respostas se encontram ao final do último capítulo neste manual).

 

 

 

PARA ESTUDO ADICIONAL

 

1. Neste capítulo introdutório você foi apresentado a definição de “evangelismo”:

 

Evangelismo: Evangelismo é comunicar o evangelho através do poder do Espírito Santo de tal maneira que homens e mulheres tenham uma válida oportunidade de aceitar ou rejeitar a Jesus Cristo como Salvador e Senhor e se tornarem membros de Sua igreja.

 

Aqui estão alguns outros termos com que você deve estar familiarizado:

 

Evangelizar: Este termo se usa para o processo de fazer o trabalho de evangelização.

 

Evangelizado: Podemos dizer que indivíduos, famílias, tribos, ou nações têm sido evangelizados quando eles têm estado tempo suficiente em contacto com o evangelho para haver tido uma oportunidade de responder a ele pela fé. O processo completo da evangelização inclui integrar a um convertido numa igreja local ou plantar uma igreja entre um grupo de novos crentes.

 

Evangelista: Um evangelista tem um dom de direção especial de Deus que é uma habilidade de compartilhar o evangelho de tal modo com os incrédulos que os homens e mulheres respondem e se tornam membros responsáveis do corpo de Cristo. O significado da palavra "evangelista" é "aquele que traz as boas notícias". Ainda que todos os crentes não tenham o dom especial de liderança de ser um evangelista, todos devem fazer o trabalho do evangelista.

 

Testificar: Um crente que diz a uma pessoa não-salva sobre sua experiência pessoal com Jesus Cristo.

 

Evangelismo pessoal: Evangelismo pessoal é uma crente individual que comunica o evangelho a uma pessoa não-salva.

 

Evangelismo em Massa: Evangelismo em massa também se chama “evangelização de grupo”. É comunicar o evangelho a um grupo de pessoas. Inclui atividades tais como cruzadas de massa, reuniões evangélicas, e concertos de música evangélica.

 

Evangelização Leiga: Este termo se refere a qualquer obra evangélica feita por homens comuns (pessoas que não estão em posição de liderança de tempo integral na igreja).

 

Evangelismo de Saturação: Evangelismo de Saturação se refere a “saturar” uma certa área geográfica para que cada pessoa seja alcançada com o evangelho.

 

Convertido: Um convertido é uma pessoa que tem aceitado a Jesus Cristo como Salvador. Ele tem sido convertido de sua velha vida de pecado à nova vida em Jesus.

 

Discípulo: Um discípulo é um convertido que é estabelecido nos elementos essenciais da fé cristã e é capaz de ganhar e discipular a novos convertidos. A palavra “discípulo” quer dizer a aprendiz, um aluno, alguém que aprende seguindo.

 

Acompanhamento: Acompanhamento é o processo de treinar os novos convertidos e levá-os os à maturidade em Cristo, produzindo estabilidade espiritual, crescimento, e reprodução. Isto também se chama “discipulado" porque envolve tomar um novo convertido e fazê-o um discípulo do Senhor Jesus Cristo.

 

2. Nos tempos do Antigo Testamento, Deus disse a Abraão que através dele todas as nações do mundo seriam abençoadas. Mas com esta bênção uma grande responsabilidade viria. Abraão teria que deixar seu país, seu próprio povo, e a casa de seu pai para ir a uma terra que Deus lhe mostraria (Gênesis 12:1).

 

Abraão foi primeiro a um lugar chamado Haram e se estabeleceu ali (Gênesis 11:31). Ele foi tentado a ficar em Haram, mas para receber a bênção ele tinha que obedecer a Deus e deixar este lugar. Abraão não poderia tornar-se o pai de uma grande nação e cumprir suas próprias ambições egoístas ao mesmo tempo.

 

Cruzar os limites da cidade de Haram e seguir para cumprir o plano de Deus foi uma grande decisão para Abraão.

 

Sabia que você é um crente hoje devido à decisão de Abraão? Porque Abraão deixou Haram, Deus o abençoou. A través de Abraão, todos os homens e mulheres de todas as nações por todas as partes são abençoados com o Evangelho. Eles são abençoados porque a salvação através de Jesus Cristo veio da família de Abraão devido a sua obediência.

 

Como Abraão, quando você recebe a bênção recebe também uma grande responsabilidade. Àqueles que têm sido abençoados com a salvação e com o Espírito Santo, a evangelização não é uma opção. É uma obrigação (Atos 1:8).

 

Falando espiritualmente, cada crente eventualmente enfrenta um “Haram” em sua vida. Este “Haram espiritual” é o lugar onde Deus pergunta, “você está pronto a deixar suas próprias ambições por causa do evangelho? Você está pronto a deixar sua pátria, seu povo e a casa de seu pai se Eu pedir?”

 

Você não pode cumprir suas próprias ambições egoístas e abençoar as nações ao mesmo tempo. Você deve cruzar a linha e deve deixar Haram para trás.

 

3. A Bíblia diz, “Um pouquinho de fermento leveda toda a massa” (Gálatas 5:9). Você aprendeu nesta lição que o Reino de Deus se multiplicará como fermento. O mal também se multiplica da mesma maneira.

 

Estudos versículos seguintes: Mateus 16:6-12; Marcos 8:15; 1 Coríntios 5:6-8. No Novo Testamento, o fermento pode falar da qualidade de penetração do evangelho ou da apostasia (a condição dos desviados) da Igreja. No Antigo testamento, a fermento aparentemente tinha significados similares. Ele não era permitido nalgumas oferendas, pois ela simbolizava o mal. Noutras oferendas, como a oferta de gratidão, ele foi permitida.

 

4. Se você é o pastor ou líder na igreja local, use as perguntas seguintes para avaliar o estado atual da evangelização em sua comunidade. Registre suas respostas numa folha de papel separada:

 

(1) Quem é responsável para planejar a evangelização em sua igreja?

(2) Quantas pessoas foram convertidas e se tornaram partes de sua comunidade cristã nos últimos cinco anos?

(3) O Que sua igreja faz presentemente para alcançar o não-salvo? Seja específico em sua resposta.

(4) Quais programas sua igreja tem presentemente que não são eficazes à evangelização e a produzir novos convertidos?

(5) Como sua igreja ajuda seus membros a descobrir seus dons espirituais e usá-os na tarefa de evangelização?

(6) Quais são os planos que sua igreja tem para alcançar sua comunidade com o evangelho?

(7) Quais são os planos que sua igreja tem para alcançar sua nação com o evangelho?

(8) Quais são os planos que sua igreja tem para alcançar outras nações com o evangelho?

(9) Quão freqüentemente, nos últimos cinco anos, sua igreja tem provido treinamento específico na evangelização pessoal para seus membros?

(10) Quão freqüentemente seus cultos incluem um enfoque na evangelização, quer dizer, mensagens dirigidas para alcançar aos não-salvos, provendo oportunidades para as pessoas ouvirem o evangelho, etc.?

(11) Quando foi a última vez que sua igreja participou em esforços de evangelização de massa, como uma cruzada, reunião, ou concerto, etc?

 

Avalie suas respostas e considere o seguinte:

 

(1) Se você não tem uma pessoa específica responsável para planejar com respeito à evangelização em sua igreja, é possível estabelecer a alguém?

(2) Se o número das pessoas que foram convertidas e se tornaram parte de sua igreja nos últimos cinco anos é baixo, como isto poderia ser mudado através de uma ênfase maior na evangelização?

(3) O que sua igreja poderia começar a fazer imediatamente para alcançar o não-salvo?

(4) Você tem presentemente algum programa ineficaz que poderia ser eliminado para proporcionar a oportunidade para novos esforços evangélicos? Quais?

(5) Como sua igreja poderia ajudar seus membros a descobrir seus dons espirituais e usá-os na tarefa de evangelização? (o curso do Instituto Bíblico Tempo de Colheita intitulado “Metodologias de Mobilização” pode ajudá-o nesta tarefa.)

(6) O que sua igreja poderia começar a fazer para alcançar sua comunidade com o evangelho?

(7) O que sua igreja poderia fazer para alcançar sua nação com o evangelho?

(8) O que sua igreja poderia fazer para alcançar outras nações com o evangelho?

(9) Quando a igreja poderia oferecer um treinamento específico para a evangelização para seus membros? (Você poderia usar este curso para treinar seus membros. Determine um tempo apropriado e quem ensinará as sessões.)

(10) Como você pensa alcançar o não-salvo em seus cultos regulares da igreja e lhe proporcionar uma oportunidade de responder ao evangelho?

(11) O que sua igreja poderia fazer na área da evangelização de massa? Você poderia planejar uma reunião evangélica ou concerto ou poderia unir-se com outras igrejas para dirigir uma cruzada de evangelização?

 


CAPÍTULO DOIS

 

O MANDATO

 

 

 

OBJETIVOS:

 

Ao concluir este capítulo você será capaz de:

 

n Escrever o Versículo Chave de memória.

n Identificar cinco princípios em que o mandato para a evangelização é baseado.

n Identificar três coisas necessárias para cumprir o mandato de evangelização.

 

VERSÍCULO chave:

 

“Se eu disser ao perverso: Ó perverso, certamente, morrerás; e tu não falares, para avisar o perverso do seu caminho, morrerá esse perverso na sua iniqüidade, mas o seu sangue eu o demandarei de ti” (Ezequiel 33:8).

 

 

 

INTRODUÇÃO

 

As pessoas se envolvem na evangelização por razões diferentes. Os novos convertidos normalmente são evangelistas devido a sua excitação sobre sua recente conversão. Algumas pessoas se esforçam na evangelização por culpa. Outros estão envolvidos porque uma escola ou programa de treinamento que eles estão participando o requer.

 

A razão bíblica para o envolvimento na evangelização é porque é um mandato do Senhor Jesus Cristo. Um “mandato” é uma comissão ou ordem dada por uma pessoa a outras. O mandato da evangelização é o assunto desta lição.

 

O MANDATO DA EVANGELIZAÇÃO

 

O mandato da evangelização dado pelo Senhor Jesus Cristo a Seus seguidores é baseado em cinco princípios ensinados na Palavra de Deus. Estes são os princípios de ordem, condição, interesse, competição, e consumação.

 

ORDEM:

 

O mandato de evangelização é primeiro baseado no principio de ordem. Jesus ordena a evangelização em várias passagens que se tornaram conhecidas como a “Grande Comissão”. As seguintes referências maias abaixo estão envolvidas no mandato de evangelização. Todas as passagens explicam a tarefa, mas cada uma delas defere das outras. Elas não se contradizem, mas se complementam revelando aspectos diferentes do mandato.

 

Mateus e João registram a autoridade para a tarefa de evangelização. Mateus, Marcos, e Lucas explicam a magnitude da missão. Marcos, Lucas, João, e Atos revelam o Espírito Santo como o poder para lograr a tarefa. Marcos menciona a mensagem e Lucas adiciona os detalhes. Estas referências revelam que o mandato de evangelização inclui o fazer discípulos, pregar o Evangelho a cada criatura, pregar arrependimento e a remissão de pecados a todo o mundo, perdoando e retendo os pecados, e dando testemunho sobre Jesus:

 

n Mateus 28:19-20

n Marcos 16:15-18

n Lucas 24:46-48

n João 20:21-23

n (Atos 1:8).

 

A gravidade destas ordens é confirmada pelos seguintes versículos: Ezequiel 33:8; Lucas 9:26.

 

CONDIÇÃO:

 

O mandato para a evangelização também se dá devido à condição dos campos de colheita do mundo.

 

Nós vemos as centenas de milhares de pessoas perdidas no pecado, sem esperança, se dirigido para uma eternidade sem Deus. As condiciones urgentes da colheita devem motivar-nos à ação. Jesus disse que a colheita estava madura, mas os obreiros são poucos (Lucas 10.2; João 4.35).

 

INTERESSE:

 

O mandato de evangelização também jaz no principio do interesse. A evangelização deve ser feita com um coração de compaixão pelas almas perdidas. Paulo estava cheio com esta compaixão divina pelo perdido. Ele estava pronto a ser amaldiçoado pelo próprio Deus se apenas seus irmãos judeus pudessem salvar-se. Ele inclusive foi a eles quando o ameaçaram matar e quando ele sofreu em suas mãos.

 

A compaixão de Jesus o fez enfrentar a cruz do Calvário. Jesus chorou sobre a cegueira dos líderes religiosos em Jerusalém. Se houvessem mais lágrimas de compaixão em nossos olhos, talvez haveria menos choro no Inferno entre os perdidos. O argumento não salvará as almas. Alguém pode ter a verdade, mas se não se fala em amor e compaixão, ela matará em lugar de vivificar.

 

A compaixão leva ao esforço incansável na evangelização, porque o amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta (1 Coríntios 13:4,7,8). O Espírito de Deus libera tal compaixão amorosa. É um fruto do Espírito Santo que cresce a partir de Sua presença dentro de você.

 

COMPETIÇÃO:

 

O mandato da evangelização também repousa no principio de competição. Se nós não ganhamos a nossos vizinhos globais que têm fome por mudança, outras forças políticas e religiosas competidoras os ganharão.

 

Fome espiritual leva os homens e mulheres a buscar a verdade (Amós 8:11-12).

Ainda que fome espiritual leve a uma busca pela verdade, pode produzir aceitação dos sistemas políticos maus, cultos, e poderes religiosos opressores se o vazio não é preenchido. Jesus ensina o principio de competição na parábola onde inimigo semeia o joio no campo de colheita. Se nós não semeamos e cultivamos a semente boa da Palavra de Deus, o inimigo semeará o joio do mal. É a competição de tais espinhos e joios espirituais malignos que estrangulam a Palavra de Deus e impedem a extensão do Evangelho.

 

CONSUMAÇÃO:

 

O mandato da evangelização também descansa no principio da consumação (o fim) de todas as coisas.

 

Jesus disse que a evangelização global era uma condição prévia de Seu retorno a terra e o fim dos tempos como nós o conhecemos agora (Mateus 24.14).

 

COMO CUMPRIR O MANDATO

 

A Igreja é o agente do Reino de Deus no mundo e é ordenada a levar a mensagem do Evangelho a todas os povos da terra. Quando nós olhamos as prioridades, programas, e atividades de uma igreja média hoje em dia, sem dúvida, nós podemos perguntar-nos se nós nos temos esquecido ou temos confundido a nossa missão como crentes.

 

Nós estamos ocupados, mas ocupado fazendo o quê? Quantos de nossos programas, reuniões, e atividades estão realmente produzindo novos convertidos? Nós temos muitos evangelistas ostentosos com sermões elegantes e histórias cômicas.

 

Nos tempos da Bíblia, um sermão público produzia três mil conversões. Hoje parece freqüentemente que há três mil sermões que produzem bem poucas conversões.

 

Há muita música religiosa bonita, muitas que só demonstram os talentos do coral, dos solistas e dos músicos. Mas quantas almas são ganhas? Quantas vidas são transformadas? Quando nós agregamos a estes os milhares de Cristãos carnais sem preocupação pela colheita espiritual, nós podemos questionar, “Como a tarefa de evangelização será alcançada nesta vida?”

 

Três coisas são necessárias se nós devemos cumprir o mandato da evangelização:

 

ELA DEVE TER A PRIMEIRA PRIORIDADE:

 

A evangelização deve ter a primeira prioridade. Nós devemos pôr a tarefa de fazer o Evangelho conhecido a cada pessoa no mundo em primeiro lugar. Nossa pregação, oração, estudo, planejamento, programas, ensinamentos - tudo deve centralizar-se ao derredor deste objetivo.

 

A Igreja deve tornar-se uma estação de envio em lugar de um lugar para repouso e recreação. Todas as atividades da Igreja devem contribuir diretamente para a mobilização dos ganhadores de almas. Os líderes da igreja devem tornar-se mobilizadores do Corpo de Cristo, inspirando e treinando aos crentes para fazer o trabalho de evangelização.

 


ELA DEVE SER CAPACITADA PELO ESPÍRITO SANTO:

 

A evangelização no Novo Testamento não é uma atividade branda ou neutra. É um encontro de poder entre o Espírito Santo e as forças do mal. O Espírito Santo, com todo Seu fruto, dons, e poder, deve tornar-se uma realidade em nossas vidas. A Palavra deve ser pregada e deve ser ensinada com demonstração de poder. O Evangelho deve ser proclamado, não desculpado, aguado, alterado, ou mascarado.

 

Devemos mobilizar os recursos de cada dom espiritual de cada membro do Corpo para completar a tarefa de evangelização. Nós devemos substituir nossas naturezas carnais por uma conduta como a de Cristo, o que nos permitirá dar testemunho da verdade do Evangelho.

 

ELA DEVE SEGUIR O MODELO DO NOVO TESTAMENTO:

 

Se nós devemos cumprir este mandato, nós devemos começar a recriar o modelo de evangelização do Novo Testamento: Todos, por toda parte e todos os dias testificando e ganhando almas. Como nos tempos do Novo Testamento, a evangelização deve tornar-se uma parte natural do viver de todos os dias. Devemos mobilizar cada denominação, cada igreja local, cada líder cristão, cada casa, e cada individuo para cumprir a tarefa.

 

 

 

TESTE O SEU CONHECIMENTO

 

1. Escreva o Versículo Chave de memória.

_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

2. Liste cinco princípios em que o mandato para a evangelização é baseado.

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

3. Identifique três coisas necessárias para cumprir o mandato de evangelização.

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

 

(As respostas se encontram ao final do último capítulo neste manual.)

 

 

 

PARA ESTUDO ADICIONAL

 

1. O chamado a evangelização não é uma opção ou uma sugestão. É uma ordem. Estudo gráfico seguinte que compara os vários registros bíblicos da Grande Comissão. Busque cada referência em sua Bíblia. Note a autoridade que você tem para cumprir a ordem. Observe a extensão de seu ministério, sua mensagem, e as atividades em que você deve comprometer-se no processo da multiplicação.

 

 Referencia

A Autoridade

A Extensão

A Mensagem

As Atividades

 Mateus 28.18-20

 “Toda autoridade”

 Todas as nações

 Tudo o que Jesus ordenou

 Fazer discípulos por ir, batizar e ensinar.

 Marcos 16.15

 O nome de Jesus

 Todo o mundo, A cada criatura

 O Evangelho

 Ir e pregar, Curar o enfermo

 Lucas 24.46-49

 O nome de Jesus

 Todas as nações começando em Jerusalém

 Arrependimento e o Perdão de pecados

 Pregação, proclamação e testemunho.

 João 20.21

 Enviado por Jesus como Ele foi enviado Por o Pai

  (A extensão do ministério, a mensagem, e as atividades devem ser as mesmas de Jesus)

 Atos 1.8

 Poder do Espírito Santo

 Jerusalém, Judéia, Samaria, e até os confins da terra

 Cristo

 Testemunho

 

 

2. Dado o mandato claro da evangelização na Palavra de Deus, por que é que tantos Cristãos duvidam em cumprir esta grande comissão? Aqui estão alguns estorvos comuns à evangelização:

 

FALTA DE HABILIDADE:

 

Muitas pessoas não evangelizam porque elas sentem que lhes falta a habilidade de fazer isto. Pode ser que lhes falte educação formal ou conhecimento sobre a Bíblia e métodos de evangelização. Para algumas pessoas, o que realmente falta não é a habilidade, mas sim resolver o problema com uma auto-imagem pobre ou humildade falsa.

 

Sempre recorde que Deus chama pessoas débeis para fazer grandes coisas. Leia a historia de Gideão em Juízes 6-8. Quando Gideão foi chamado para cumprir uma grande missão para Deus, ele estava escondendo-se porque ele tinha medo do inimigo. Sua resposta foi “como eu posso fazer isto? Meu povo é o mais débil e eu sou o menor da minha família”.

 

Moisés deu uma resposta similar quando ele foi chamado para liderar a nação de Israel. Ele disse, “Quem sou eu para ir ao Faraó e tirar do Egito aos filhos de Israel?... Ó Senhor, eu jamais fui um homem de palavras, nem antes nem desde que tu falas com teu servo. Porque eu sou pesado de boca e de língua” (Êxodo 3-4, tradução do original). O profeta Jeremias reclamou que ele era simplesmente uma criança e totalmente incapaz de ser usado por Deus (Jeremias 1:4-9).

 

As pessoas que sentem que lhes falta a habilidade de evangelizar devem pedir a sabedoria que Deus tem prometido (Tiago 1:5). Eles também devem entender que Deus usa aqueles sem a habilidade natural para que Ele possa receber toda a gloria (1 Coríntios 1:27-29).

 

ESFORÇO INSIGNIFICANTE:

 

Muitas pessoas não fazem nada porque elas sentem que seus esforços serão insignificantes desde que a colheita a ser segada é tão grande. Como uma pessoa pode fazer algo sobre os milhões de perdidos na escuridão irreligiosa?

 

Você recordará que o tamanho do exército de Gideão foi reduzido para que Deus recebesse a gloria em lugar do homem (Juízes 7). Deus se deleita em tomar os esforços insignificantes e usá-os para Seus propósitos. Você aprenderá depois neste estudo que simplesmente uma pessoa, ganhando e treinando uma pessoa a cada ano, pode levantar literalmente a milhares de crentes num período curto de tempo. Somente uma luz não pode transpassar a escuridão, mas muitas chamas pequenas, acendidas uma de cada vez, eventualmente produzirão uma grande luz.

 

MEDO:

 

As pessoas temem que elas sejam rejeitadas por aqueles a quem elas dão testemunho. Se elas não estão familiarizadas com os métodos de evangelização, elas temem ao desconhecido. Elas têm medo de se envergonharem por uma situação que elas não podem administrar ou uma pergunta que elas não podem responder. O medo de evangelizar freqüentemente procede de perguntas como estas:

 

n O Que eu direi? Você aprenderá sobre a mensagem que será apresentada em Capítulo Três deste curso.

 

n Como eu o direi? Você aprenderá a comunicar a mensagem no Capítulo Cinco deste curso.

 

n Como eu tratarei das dificuldades? Capítulo Dez deste manual explica como tratar com as dificuldades que podem levantar-se enquanto você está evangelizando.

 

n E se eu não puder responder uma pergunta? Se você não pode responder uma pergunta, admita-o. Diga à pessoa que você estudará mais sobre o tema e voltará a ela com uma resposta.

 

n E se eu ofender a alguém? O que normalmente ofendas pessoas não é uma conversa honesta sobre Deus, mas a pretensão de ter todas as respostas, encolerizar-se, ou brigar. Se você é amoroso e honesto em sua abordagem e as pessoas ainda se ofendem, então simplesmente recorde: Você é o sal da terra. No mundo natural, quando se fricciona o sal numa ferida causa uma reação desagradável ao principio, mas produz cura. O mesmo é verdade no mundo espiritual.

 

n E se eu falhar? É melhor tentar e falhar que não tentar de forma alguma. O êxito e o fracasso não são as preocupações principais da evangelização. Você foi chamado à fidelidade. Três tipos de fracasso se registram na parábola do Semeador (Marcos 4:1-20). Depois neste mesmo capítulo, Marcos nos diz que é a própria terra, preparada pelo Espírito Santo que produz o grão, não o Semeador. Sem dúvida, isto não deve ser usado como uma desculpa para afastar-se do chamado ao compromisso. Nós somos chamados para pescar as almas de homens e as colher, não só para influenciá-os!

 

ISOLAMENTO:

 

A evangelização freqüentemente é impedida porque nós não temos contato com os incrédulos. Se todos os seus amigos e contatos são cristãos, você não poderá ganhar o perdido. Você não pode alcançar os incrédulos se você não tem nenhum contato com eles.

 

INSUFICIÊNCIA:

 

Tempo e motivação insuficiente impedem as pessoas de cumprir o mandato da evangelização. Sempre recorde... você encontra tempo para fazer tudo o que você quer fazer e que você percebe que é urgente. Se você não tem tempo para compartilhar o Evangelho, então você não quer fazê-o ou você não pensa que ele é urgente. Você necessita reavaliar suas prioridades.

 

A perda de motivação normalmente é o resultado da perda de experiência. Você tem notado como novos cristãos sempre estão entusiasmados sobre compartilhar sua fé? Isto é porque sua experiência está fresca e excitante. Se você não tem cuidado, você perderá isto depois se você não guardar uma relação fresca e vital com o Senhor.

 

IMATURIDADE ESPIRITUAL:

 

Paulo disse aos crentes Hebreus que eles deveriam estar ensinando o Evangelho a outros, mas devido à imaturidade espiritual eles não podiam fazer isso (Hebreus 5:12).

 

A imaturidade espiritual se revela quando os crentes têm contendas entre se (1 Coríntios 3:1-3). Quando você está ocupado em lutar com seus irmãos e irmãs em Cristo, você não tem tempo para evangelizar.

 

3. Agora que você tem estudado fatores comuns que impedem a evangelização, leia as declarações seguintes e marque aquelas que descrevem seus próprios sentimentos:

 

FALTA DE HABILIDADE:

 

_____ Eu não sei o que dizer.

 

_____ Eu não entendo muito bem a Bíblia.

 

_____ Eu não sou muito bom em falar com outros.

 


ESFORÇO INSIGNIFICANTE:

 

_____ Eu sinto como se eu não pudesse representar uma diferencia porque eu sou só uma pessoa.

 

_____ A tarefa da evangelização é tão grande que me angustia.

 

MEDO:

 

_____ Eu tenho medo de ofender aos outros.

 

_____ Eu tenho medo de falhar.

 

_____ Eu tenho medo de não saber responder as perguntas.

 

_____ Eu tenho medo de ser envergonhado.

 

_____ Eu não sei o que dizer.

 

ISOLAMENTO:

 

_____ Eu não tenho contato com os incrédulos.

 

INSUFICIÊNCIA:

 

_____ Eu não tenho tempo para gastar evangelizando.

 

_____ Eu não tenho motivação para evangelizar.

 

IMATURIDADE ESPIRITUAL:

 

_____ Eu não sinto que eu sou espiritualmente maduro o suficiente para compartilhar o Evangelho com outros.

 

_____ Eu tenho freqüentemente problemas com outros irmãos e irmãs no Senhor.

 

4. Reveja os itens que você marcou anteriormente. Ao lado de cada um que você marcou indique se você pode tratar do obstáculo com treinamento, estudo, prática, oração, ou mudando suas prioridades.

 

5. Que anúncios na lista são os maiores obstáculos a você? Como você poderia superar estes?

 


CAPÍTULO TRÊS

 

A MENSAGEM

 

 

 

OBJETIVOS:

 

Ao concluir este capítulo você será capaz de:

 

n Escrever os Versículos Chave de memória.

n Definir “Evangelho do Reino”.

n Resumir os elementos básicos do Evangelho.

n Listar quatro maneiras em que o Evangelho é universal.

n Explicar por que o Evangelho é poderoso.

 

VERSÍCULOS CHAVE:

 

“Antes de tudo, vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras, e que foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras” (1 Coríntios 15:3-4).

 

 

 

INTRODUÇÃO

 

Deus tem um plano especial para alcançar o mundo com o Evangelho. Jesus revelou este plano quando Ele disse a Seus discípulos...

 

“Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra” (Atos 1:8).

 

Este versículo revela várias coisas sobre o plano de evangelização de Deus:

 

n Jesus Cristo é o conteúdo da mensagem.

 

n Os discípulos são os mensageiros do Evangelho habilitados pela força poderosa do Espírito Santo.

 

n O mundo inteiro é ser o destinatário da mensagem.

 

Nesta lição você aprenderá sobre o conteúdo da mensagem do Evangelho. No Capítulo Quatro você aprenderá sobre os mensageiros do Evangelho que são os crentes capacitados pelo Espírito Santo. Capítulo Cinco explica como os mensageiros devem comunicar a mensagem e Capítulo Seis trata das pessoas que são os destinatários da mensagem.


O EVANGELHO DO REINO

 

Jesus disse:

 

“E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então, virá o fim” (Mateus 24:14).

 

A mensagem de evangelização é o Evangelho do Reino. A palavra “Evangelho” realmente significa “boas notícias”. Quando nós falamos do Evangelho em um sentido Bíblico, isto se refere às boas notícias do Reino de Deus e da salvação através de Jesus Cristo.

 

Em Romanos 1:1 o Evangelho é chamado o “Evangelho de Deus”. Em Romanos 2:16 é chamado “o evangelho de Paulo”. Em Romanos 1:16 é o “Evangelho de Cristo”. No há nenhuma contradição nestes versículos porque Deus é o autor do Evangelho, Cristo é o tema, e o homem é o destinatário.

 

OS ELEMENTOS BÁSICOS DO EVANGELHO

 

Em 1 Coríntios 15:1-4, os elementos básicos do Evangelho são dados por Paulo.

 

A mensagem básica do Evangelho é que Cristo morreu por nossos pecados segundo as Escrituras, que Ele foi enterrado, e Ele ressuscitou segundo as Escrituras. Em seu sentido mais estreito, o Evangelho pode ser resumido na mensagem de João 3:16.

 

Em seu significado mais amplo, inclui tudo o que Jesus ensinou a Seus discípulos (Mateus 28.19-20).

 

Devemos contar aos homens sobre o Reino, desafiá-os a entrar nele, e treiná-os sobre como viver como cidadãos do Reino.

 

O Evangelho que nós pregamos não é um evangelho social para reformar a sociedade, mas é o Evangelho de Deus para redimir aos pecadores. A mensagem do Reino deve incluir um chamado para arrepender-se do pecado (Marcos 1.14-15; Mates 4.17).

 

(Se você não entende os princípios básicos do Reino de Deus, obtenha o curso do Instituto Bíblico Tempo de Colheita, “A Vida do Reino”).

 

UMA MENSAGEM UNIVERSAL

 

A expressão mais importante no Evangelho é “todo aquele”. Ela foi usada por Jesus (João 3:16), Paulo (Romanos 10:13), e João (Apocalipse 22:17). O Evangelho é para todos os homens de todas as raças, culturas, tribos, e nações. É uma mensagem universal por quatro razões:

 

1.  O pecado é universal: Romanos 3:23

2.  A oferta de salvação é universal: 1 Timóteo 2:4

3.  A ordem para arrepender-se é universal: Atos 17:30

4.  O convite para crer é universal: Romanos 10:9-11

 


O PODER DO EVANGELHO

 

Há grande poder na mensagem do Evangelho. Paulo disse:

 

“Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego; visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: O justo viverá por fé. A ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e perversão dos homens que detêm a verdade pela injustiça; porquanto o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou” (Romanos 1:16-19).

 

Estes versículos revelam porque o Evangelho é poderoso. É poderoso porque:

 

n É a revelação do poder de Deus ao homem.

 

n Traz a salvação a todos os homens, sem levar em conta a raça, cor, ou credo.

 

n Revela o que pode ser conhecido pelos homens sobre Deus.

 

n Revela o juízo e a ira de Deus contra o pecado.

 

n Revela a justiça de Deus.

 

n Mostra como ser justificado (perdoado, restaurado a uma relação correta com Deus) pela fé.

 

n É a base da fé pela qual nós vivemos.

 

A DEMONSTRAÇÃO DE PODER

 

O Evangelho deve ser pregado e deve ser ensinado, mas também deve incluir a demonstração do Reino de Deus em ação. Jesus disse a Seus seguidores:

 

“E, à medida que seguirdes, pregai que está próximo o reino dos céus. Curai enfermos, ressuscitai mortos, purificai leprosos, expeli demônios; de graça recebestes, de graça daí” (Mateus 10:7-8).

 

A mensagem do Reino não é só em letras. A demonstração do poder de Deus deve acompanhar a apresentação verbal. Isto ficou evidente no exemplo estabelecido por Jesus (Mateus 9.35; Lucas 9.11).

 

A demonstração de poder - os milagres e as curas - é o Reino de Deus em ação. Deve ser parte da mensagem de evangelização. Paulo disse:

 

“Porque o reino de Deus consiste não em palavra, mas em poder” (1 Coríntios 4:20).

 


TESTE O SEU CONHECIMENTO

 

1. Escreva os Versículos Chaves de memória.

_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

2. Defina o “Evangelho do Reino”. 

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

 

3. Quais são os elementos básicos do Evangelho?

__________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

4. Liste quatro maneiras em que o Evangelho é universal.

__________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

5. Explique por que o Evangelho é poderoso.

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

 

(As respostas se encontram ao final do último capítulo neste manual.).

 

 

 

PARA ESTUDO ADICIONAL

 

1. Para estudo adicional sobre o Reino de Deus, obtenha o curso do Instituto Bíblico Tempo de Colheita intitulado “A Vida do Reino”. 

 

2. Leia 2 Reis 4:29-37. Esta é a historia de como Eliseu trouxe uma criança da morte para a vida. Leia sobre o pano de fundo desta historia em 2 Reis 4:8-17. Este criança foi uma criança milagrosa, dada em resposta à oração de Eliseu e ao pedido de uma mulher sunamita que havia mostrado bondade ao profeta. O registro da morte da criança é dado nos versículos 18-20. A causa exata da morte não é dada. É possível que fosse algum tipo de golpe, pois a criança se queixou de sua cabeça. Esta historia é um exemplo natural do qual podem ser tiradas verdades espirituais com respeito à evangelização.

 

A evangelização é como levantar o morto porque você salva as pessoas do destino eterno da morte espiritual. A Bíblia diz que a alma que pecar morrerá, que o salário do pecado é a morte, e que os pecadores estão mortos em transgressões e pecado.

 

O seguinte pode deduzir-se das aplicações espirituais da historia em 2 Reis:

 

4. Para levantar o morto...

 


I. Você Deve Ter Fé:

 

A. (Versículos 20-21) A mãe não aceitou simplesmente a morte da criança. A tendência seria chorar, chamar os lamentadores profissionais, e preparar o corpo.

 

B. Ao contrário, (versículo 21) ela a colocou na cama de Eliseu, fechou a porta, e foi à procura do profeta. Para entender isto, você deve ler o relato em 1 Reis 17:17-24 aonde Eliseu ressuscitou uma criança morta. Levar a criança ao quarto do profeta foi um ato de fé reivindicando o milagre feito por Eliseu. Ela não esperou pelo profeta para aloja-o. Ela o alojou, mas esperando um milagre similar.

 

C. Deus tem ressuscitado aos homens mortos desde o principio do tempo. Leve às pessoas, assim como elas estão, ao lugar do milagre.

 

D. (Versículos 22-23) Note a fé dela quando disse em resposta às questões de seu marido, “Paz”.

 

E. Quando você começa a atuar em fé, ela aumenta. Quando ela se aproximou do profeta, sua fé havia aumentado (Versículo 26). Quando Eliseu enviou seu servo Geazí a questioná-a, ela já não disse “paz”. Ela disse, “bem”.

 

II. Você Deve Ir Depressa: Note no versículo 22 que a mulher disse, “para que eu corra”. Você deve ir depressa levantar o morto porque as almas estão morrendo no pecado.

 

III. Você Deve Romper Com a Tradição:

 

A. (Versículo 23) Seu marido questionou, “Por que você vai?” No era o tempo tradicional para ir ao profeta. No era lua nova ou sábado.

 

B. Você pode ter que romper com a tradição para evangelizar em demonstração de poder. As pessoas podem dizer-lhe, “Esta não é a maneira como nós fazemos as coisas”.

 

IV. Você Deve Ter Compaixão:

 

A. (Versículos 25-27) O morto nunca se levantará pelos “Geazís” que não tem compaixão. Quando a mulher veio em busca da vida, Geazí não teve compaixão e a mandou ir embora.

 

B. O profeta mostrou interesse. Ele perguntou, “Tudo está bem? Com você, seu marido? Seu filho?”

 

C. Há pessoas que têm se esforçado para “subir à colina” para alcançar-nos. Elas estão enfadadas e caindo a nossos pés, e ainda as mandamos ir embora. Nós as enviamos aos conselheiros seculares, drogas, ou centros de reabilitação.

 

V. Você Deve Ir Onde Eles Estão:

 

A. (Versículos 29-31) Para ajudar aos mortos em pecado, você deve entrar onde eles estão, assim como Eliseu foi ao jovem.

 

B. Nós não podemos enviar homens sem poder (como Geazí) ou medidas substitutas (representadas pela vara). Para levantar da morte do pecado, Jesus entrou neste mundo. Ele veio até onde nós estávamos.

 

C. A mãe não se conformaria com nenhum substituto. Os homens e mulheres agonizantes não podem se agarrar a nada mais senão ao poder de Deus que pode soprar nova vida a uma alma morta.

 

D. Quando a mulher compartilhou sua necessidade, Eliseu lhe enviou primeiro a Geazí que ministrou à criança. Porém, “Geazí” - inclusive os “Geazís” que sustém a vara de Deus, nunca levantará o morto. Geazí foi adiante de Eliseu e da mulher, e colocou a vara na criança, mas não houve nenhuma resposta. 

 

E. Se você deseja levantar os mortos, você deve seguir o exemplo do Mestre. Leia 1 Reis 17:17-24. Elias, que havia sido o Mestre de Eliseu, estabeleceu o exemplo para levantar uma criança morta. Se Eliseu houvesse seguido esse exemplo, ele nunca haveria enviado Geazí com sua vara parra tentar fazer a obra.

 

F. Eliseu pensou que o poder de Deus poderia trabalhar sem sua presencia pessoal e esforços. Nós tomamos a verdade doutrinária ou prática e a colocamos sobre o morto espiritual, mas nós não nos envolvemos pessoalmente com ele. Nós experimentamos muitos métodos sem o envolvimento pessoal, mas nós não teremos nenhum efeito sobre uma alma perdida mais do que teve a vara de Eliseu.

 

G. A letra da lei sem o Espírito nunca ressuscitará aos homens mortos. A vida não fluirá enquanto a liderança estiver pondo uma mão e uma vara indiferente sobre os homens e mulheres mortos.

 

VI. Você deve Reconhecer A Gravidade Da Condição:

 

A. (Versículo 31) Geazí realmente não cria que a criança estava morta. Ele informou, "a criança não tem despertado”. Mas a criança não estava dormido. Estava morta. Geazí não estava realmente convencido, mas falou como se só estivesse dormido.

 

B. (Versículo 32) Eliseu sabia que a criança estava morta.

 

C. Incrédulos perdidos no pecado não estão simplesmente dormindo. É uma condição séria. É a morte espiritual, e eles nunca se levantarão até que nós reconheçamos isto.

 

VII. Você Não Deve Deixar-se Derrotar Pelo Fracasso:

 

(Versículo 31... “a criança não tem despertado”) o primeiro esforço para levantar o morto falhou. Quando você falhou num esforço, não se renda. Não infira do fracasso que você não é chamado à tarefa. A lição do fracasso não está em retirar-se da missão, mas mudar o método. Você deve seguir o método do Mestre.

 


VIII. Você Deve Ressuscitar a Vida No Interior do Quarto:

 

(Versículo 33) Você deve entrar no “quarto” interno do coração, deve fechar a porta, e deve interceder pela humanidade agonizante.

 

IX. Você Deve Ser Dotado Com Poder:

 

A. Quando ele entrou no interior do quarto, Eliseu já conhecia a fonte de seu poder. Algum tempo antes deste evento, o manto de Elias havia caído sobre Eliseu. Ele conhecia sua fonte de poder. Ele era provado e acrisolado.

 

B. Sozinho, você não pode devolver os corações mortos de homens e mulheres à vida. Deus é a fonte de seu poder. O manto de Seu Espírito Santo tem caído sobre você como um batismo de poder.

 

X. Você Deve Conhecer o Objetivo:

 

Seu objetivo não é limpar um corpo morto, ou embalsamar com especiarias, ou cobrir com linho fino. Todas estas coisas são reformas, mas você ainda tem um corpo morto. Seu objetivo não é ensinar moralidade, automelhoramento, encobrir pecados, ou transformar a sociedade. Seu objetivo é nova vida espiritual!

 

XI. Você Mesmo Deve Estar Vivo:

 

A. (Versículos 34-35) Depois da oração, Eliseu se inclinou sobre o cadáver e colocou sua boca na boca da criança morta. Ele colocou seus olhos em seus olhos, suas mãos em suas mãos. O corpo caloroso do homem de Deus cobriu o corpo frio da criança. Se você deseja levantar o morto, você deve entrar em contato com a morte. Quando Jesus teve que levantar-nos da morte, Ele morreu. Se você levantará o morto, você deve sentir o frio e o horror da morte.

 

B. Alguém pensariam que o homem crescido teria que se contrair sobre a criança, mas ao contrário, se diz que ele se estirou. Estender a mão aos homens e mulheres agonizantes é uma experiência de alargamento. Você deve deixar o conforto de sua casa e a segurança de seus amigos e ambiente cristão. Você deve sair de seu próprio caminho.

 

C. Quando ele cobriu a morte com a vida, o calor de seu corpo entrou na criança. Se você está morto, isto não acontecerá. Pôr um cadáver sobre outro é sem esperança. É em vão que pessoas agonizantes reúnam-se ao redor de outras almas mortas.

 

XII. Você Não Deve Conformar-se Com Nada Menos Que a Vida:

 

A. Versículo 34 indica que as carnes da criança se tornaram quentes. Mas Eliseu não se conformou com este sinal de vida. Não é calor que nós buscamos, mas vida! Não é emocionalismo, mas o verdadeiro reavivamento.

 

B. Eliseu caminhou de um lado a outro, esperando e sem duvidar do chamado de Deus sobre ele. Então ele se estirou de novo sobre o criança. Desta vez, a criança soluçou sete vezes. (A palavra “soluçou” realmente significa “abrir a boca”). Quando ele abriu a boca, a nova vida entrou em seu corpo, então seus olhos se abriram. Quando os homens e mulheres abrem seu ser declarando-se culpados e são renovados pelo poder “como de um vento impetuoso” do Espírito Santo, eles também experimentarão a nova vida que flui do poder ressuscitador de Deus. Eliseu chamou a seu servo e a mulher: “Toma teu filho”. O morto havia sido restaurado à vida!

 


CAPÍTULO QUATRO

 

OS MENSAGEIROS

 

 

 

OBJETIVOS:

 

Ao concluir este capítulo você será capaz de:

 

n Escrever o Versículo Chave de memória.

n Resumir o papel da Palavra de Deus na evangelização.

n Explicar o papel de Deus na evangelização.

n Identificar o papel de Jesus na evangelização.

n Resumir o papel do Espírito Santo na evangelização.

n Explicar o papel da oração na evangelização.

n Identificar seu papel na evangelização.

n Definir a palavra “testemunho”.

n Definir o termo “leigo”.

n Definir o termo “clero”.

n Explicar o que significa o chamado dos leigos.

 

VERSÍCULO CHAVE:

 

“Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego” (Romanos 1:16).

 

 

 

INTRODUÇÃO

 

Você está estudando o plano de evangelização de Deus para alcançar o mundo com o Evangelho como revelado em Atos 1:8:

 

n Jesus Cristo é o conteúdo da mensagem.

 

n Os discípulos são os mensageiros do Evangelho capacitados pelo Espírito Santo.

 

n O mundo inteiro é o destinatário da mensagem.

 

Na última lição você aprendeu sobre o conteúdo da mensagem do Evangelho. Nesta lição você aprenderá sobre os mensageiros do Evangelho. A Palavra de Deus, Deus o Pai, o Filho, o Espírito Santo, e a oração, todos combinam suas forças espirituais dentro dos mensageiros do Evangelho, o que lhes permite dar um poderoso testemunho ao Evangelho.

 


A PALAVRA DE DEUS E A EVANGELIZAÇÃO

 

O Evangelho tem o poder dentro de se mesmo para lograr o nascimento espiritual numa alma receptiva (Romanos 1.16).

 

Você não tem que ser um porta-voz dotado para ser mensageiro do Evangelho. Todo que é necessário é que você comparta a mensagem do Evangelho que pode salvar ao homem.

 

Quando você comparte a Palavra de Deus, a fé do ouvinte não descansa em sua sabedoria ou na entrega hábil da mensagem (1 Coríntios 2:5). Você também pode assegurar-se que a Palavra de Deus não volta vazia. Ela logrará os propósitos de Deus (Isaías 55:11). A Palavra libera a demonstração poderosa de sinais e maravilhas que seguem, que convence aos incrédulos da verdade do Evangelho (Marcos 16:20).

 

O PAPEL DE DEUS NA EVANGELIZAÇÃO

 

Deus é o que muda a vida de uma pessoa através da experiência do novo nascimento. Você pode dar testemunho, pode pregar, e pode ensinar o Evangelho com o melhor de sua habilidade, mas só Deus pode converter uma alma. Uma vez que você entende isto, muito de seu cuidado sobre evangelizar é relevado.

 

Você simplesmente é a mensageiro, um instrumento humano para o obreiro divino. É impossível para você converter a alguém. A experiência do novo nascimento se concebe e é iniciada por Deus. Quando uma pessoa nasce de novo, ela “é nascida de Deus” (1 João 5.1).

 

O PAPEL DE JESUS NA EVANGELIZAÇÃO

 

Jesus é o que deu o mandato de evangelização e enviou ao Espírito Santo para equipá-o para a tarefa. Ele é o que trabalha com você com sinais e maravilhas (Marcos 16.20).

 

O PAPEL DO ESPÍRITO SANTO NA EVANGELIZAÇÃO

 

Nos tempos do Novo Testamento, o Espírito Santo atraiu as multidões aos mensageiros do Evangelho. Como nós podemos explicar as multidões que seguiram seus ministérios? No havia nenhum periódico, radio, ou anúncios da televisão por aqueles dias.

 

Em lugar de usar os métodos mundanos para atrair as massas, nós devemos tomar tempo para ficarmos em nossos cenáculos como a Igreja Primitiva fez até que nós, também, sejamos dotados com o poder do alto. É o Espírito Santo que declara culpável aos homens e os convence da necessidade de salvação. Os métodos de evangelização eficazes são úteis em estender o Evangelho, mas Deus não quer que você dependa de eles. Você deve depender do poder convencedor do Espírito Santo (João 16.7-8).

 

É o poder do Espírito Santo que da energia a evangelização. Os discípulos se tornaram eficazes, ativos em testificar depois de que eles experimentaram esse poder (Atos 1:8 e capítulo 2).

 


A ORAÇÃO E A EVANGELIZAÇÃO

 

Nada no reino espiritual pode ter êxito sem a oração. Como um crente, você é parte do Corpo de Cristo enviado a um mundo perdido e agonizante para compartilhar as boas novas do Evangelho. Mas este corpo espiritual é dirigido, controlado, e energizado pela cabeça, funcionando como um corpo natural que se guia pela cabeça.

 

Assim como um corpo natural deve atar-se a cabeça num apropriado alinhamento de nervos, ossos e músculos para funcionar, o corpo espiritual deve estar em contacto com a cabeça espiritual, o Senhor Jesus Cristo. Este contacto é feito através da oração.

 

Para usar outra ilustração: Jesus é a vide e nós somos os ramos onde fruto é sustentado. Jesus é o talo e a raiz que dão vida a as ramas. O quadro é um de dependência mútua. Ele depende de nós para dar fruto, nós dependemos de Ele para a vida e energia espiritual (João 15.). Esta relação não pode existir sem o contacto apropriado entre você e o Senhor. Há um exemplo de isto no registro em Mateus 17:14-21. Os discípulos foram incapazes de ministrar a um jovem devido à falta de oração. A oração não é um preliminar ao trabalho real - é o trabalho.

 

A oração deve preceder a evangelização. Jesus lhes diz a Seus discípulos para orar em Lucas 10:1-2, (versículo 2), então Ele lhes diz para ir (versículo 3). Orar precedo ir. Talvez se nós oráramos mais nós ganharíamos mais. Em Atos 2 eles oraram 10 dias, pregaram durante dez minutos, e 3000 foram salvos. Hoje, nós oramos durante dez minutos, predicamos durante dez dias, e só uns se salvam.

 

“Oração evangelizadora” significa que você ora:

 

(1) Por obreiros na colheita (Lucas 10:2).

(2) Para o Evangelho se “difunda rapidamente” (2 Tessalonicenses 3:1-2).

(3) Por oportunidade: Em Colossenses 4:3, Paulo pede oração para que Deus abra uma “porta para a palavra” para que ele pudesse compartilhar o Evangelho.

(4) Por Intrepidez: Paulo pediu a Igreja de Éfeso para orar para ele pudesse compartilhar o Evangelho corajosamente (Efésios 6:19).

(5) Por a salvação: é bíblico orar para que as pessoas sejam salvas. Romanos 10:1 indica que Paulo orou por Israel para que pudesse salvar-se.

(6) Por paz: Em 1 Timóteo 2:1-4, Paulo nos diz que oremos por aqueles em autoridade para que nós podamos levar uma vida pacífica. Ele diz para fazer isto porque é bom aos olhos de Deus que “quer que todos os homens sejam salvos”. O Evangelho se estende mais rapidamente em condiciones pacíficas, não impedido pela persecução, zonas de guerra, restrições de viagem, etc.

 

Uma medida de êxito pode seguir nossas tarefas para o Reino de Deus sem oração, mas nossos esforços não chegam ao que poderia ser alcançado se nós reconhecêssemos a função vital da oração.

 

SEU PAPEL NA EVANGELIZAÇÃO

 

Os mensageiros do Evangelho são os discípulos renascidos. O método de Deus é para cada discípulo “testificar” da mensagem do Evangelho. Testificar ou dar testemunho significa dizer ou que você tem visto, ouvido ou experimentado.

 

Em uma corte de justiça, um testemunho é um que testifica sobre alguém ou algo. Como um testemunho, você deve testificar sobre Jesus e Seu plano para a salvação de toda a humanidade. Há dois tipos de evidencia apresentadas por um testemunho numa corte de justiça. Alguém é o testemunho verbal que o testemunho da sobre o assunto. O outro é a evidencia que são provas visíveis. O Espírito Santo lhe ajuda a levar testificar de ambas as maneiras - verbalmente e através da demonstração visível do poder de Deus.

 

A DIVISÃO ENTRE CLERO E LEIGOS:

 

O plano de Deus é para cada discípulo ser um testemunho do Evangelho. A Igreja Primitiva cresceu quando ela seguiu este plano. Cada crente compartilhou o Evangelho e se reproduziu espiritualmente. Quando a Igreja cresceu, Deus chamou a algumas pessoas para servir em tempo integral como pastores, evangelistas, profetas, mestres, e apóstolos.

 

Durante um período de tempo, os crentes se tornaram parte de uma de duas divisões na Igreja. Elas eram clérigos ou leigos.

 

A palavra “leigo” (laicos) vem de uma palavra grega que significa “pertencer ao povo escolhido de Deus”.

 

O significado básico da palavra é “todo o povo de Deus”. Os termos “leigo” e “laico” chegaram a ser usados para aqueles que não estavam servindo em funções de tempo integral especiais na igreja. O termo “clero” se desenvolveu para identificar ao ministro profissional na igreja. O clero se refere a aqueles que consideram o ministério sua profissão ou quem é empregado de tempo integral pela igreja.

 

Durante um período de tempo na historia da igreja, uma separação gradual se desenvolveu entre o clero e os leigos. Muitos homens comuns deixaram de reproduzir-se espiritualmente. Eles começaram a deixar o desafio de alcançar o mundo ao clero de tempo integral. Nenhum clero profissional pode lograr o que a Igreja inteira foi comissionada para fazer na vida. Esta é uma das razões porque nós ainda não temos alcançado o mundo com o Evangelho. Os crentes tem mudado sua responsabilidade ao clero. A Bíblia ensina divisão do labor na Igreja, mas cada pessoa deverá estar envolvida na extensão do Evangelho (leia Atos 6:1-6).

 

Enquanto a Igreja em Jerusalém se multiplicava, se fez necessário uma divisão do labor para satisfazer todas as necessidades na igreja. Os líderes se dedicaram em tempo integral para estudar a Palavra e oração.

 

Os homens comuns realizaram os deveres tais como ministrar a as viúvas e outras coisas no área de servir. Mas ainda que os crentes serviram em funciones diferentes na igreja, eles estavam todos envolvidos na extensão do Evangelho:

 

n Estevão era um dos homens comuns escolhido para servir as mesas, ainda ele deu um poderoso testemunho do Evangelho (Atos 6:8-11).

 

n Felipe era outro homem comum escolhido para servir as mesas. Ele compartilhou o Evangelho com os Samaritanos (Atos 8:5-12).

 

n Quando a persecução entrou em Jerusalém e os crentes se espalharam a outras cidades, eles continuaram dando testemunho do Evangelho (Atos 8:4). Para os verdadeiros crentes, não a divisão entre sagrado e secular porque Jesus é Senhor de todo.

O CHAMADO DO LEIGO:

 

Se você deseja realmente entender o chamado espiritual dos leigos você deve regressar ao Antigo Testamento.

 

O plano de Deus era para a nação inteira de Israel ser sacerdotes ou ministros:

 

“E vós me sereis um reino de sacerdotes e uma nação santa” (Êxodo 19:6).

 

Como sacerdotes, cada pessoa em Israel era um testemunho do verdadeiro Deus aos incrédulos ao derredor de ele.

 

O estabelecimento de um sacerdócio oficial não mudou o plano de Deus para Israel. O sacerdócio era como o clero de hoje com o papel de liderança especial. Mas a nação inteira ainda deveria servir como ministra da mensagem de Deus às nações pagãs.

 

No Novo Testamento, se dão aos crentes um chamado similar. Eles devem ser sacerdotes ou ministros do Evangelho (1 Pedro 2.9).

 

O chamado dos crentes é dar testemunho de Deus que os tem tirado da escuridão espiritual à luz de Jesus Cristo (João 9:5). Diz-se aos crentes que caminhem de maneira digna da vocação à qual Ele os chamou (Efésios 4:1). Há um chamado e esse é dar testemunho do Evangelho. É a vocação de todos os crentes.

 

O chamado para ser mensageiro do Evangelho não é baseado em educação ou habilidade natural. Deus usa aos homens comuns, ordinários, para que Ele sozinho possa receber a gloria (1 Coríntios 1.26-29).

 

O DOM DE EVANGELIZAÇÃO:

 

Dão-se a alguns mensageiros do Evangelho um dom especial de Deus para ser um evangelista. O dom de evangelização é uma habilidade de compartilhar o Evangelho em certo modo com os incrédulos que os homens e mulheres respondem e se tornam membros responsáveis do Corpo de Cristo. A palavra evangelista se usa três vezes no Novo Testamento. Em Efésios 4:11-12, Paulo diz que Deus da aos homens e mulheres que são dotados como evangelistas à igreja.

 

Ninguém pode determinar ser feito um evangelista só porque ele fala bem, tem uma personalidade boa, ou se relaciona bem aos tipos diferentes de pessoas. Deus chama e equipa aos homens para ser evangelistas. Não deve haver nenhuma competição entre os ministérios de pastor, mestre, e evangelista. O evangelista é parte da Igreja, não independente de ela.

 

O dom de ser um evangelista é um dos cinco dons de liderança dado a Igreja cujo propósito principal é equipar outros para o trabalho do ministério. Isto não só significa que um evangelista tem a habilidade de comunicar o evangelho aos pecadores, mas também para equipar aos santos para evangelizar.

 

Ainda que Deus da a um o dom especial de ser um evangelista, todos os crentes devem fazer o trabalho de um evangelista e compartilhar o Evangelho com outros. A Timóteo se insta para fazer o trabalho de evangelização em 2 Timóteo 4:5. Você não pode ter o dom especial, mas você tem a responsabilidade para fazer o trabalho de um evangelista.

 

OS VASOS DE BARRO

 

“Contudo, temos este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós” (2 Coríntios 4:7).

 

O tesouro de que Paulo fala neste passagem é o Evangelho. Ainda que você seja um vaso de barro - comum, cru, e não refinado - sua vaso humano é o templo de Deus. Você pode não ser bem conhecido bem pelo homem. Você pode não ser bem conhecido em sua comunidade, igreja, ou denominação. Você pode ser uma pessoa ordinária que trabalha em tarefas ordinárias. Mas Deus pode usá-o na evangelização.

 

Leia a historia da cura do homem coxo em Atos 4. Quando Pedro e João apareceram diante do Sinédrio, era obvio que eles eram homens incultos, comuns (Atos 4.13-14).

 

Estes homens comuns haviam recebido a nova vida através de Jesus Cristo. A vida dentro de eles produziu a evangelização poderosa, transformadora da vida.

 

Jesus confiou aos leigos a responsabilidade de estender o Evangelho. Ele tomou a pescadores de seus barcos e os fez pescadores de homens. Ele creu que as pessoas ordinárias poderiam tornar-se extraordinárias quando capacitadas pelo Espírito Santo.

 

Gideão era um agricultor. Paulo era um fazedor de tendas. Moisés era um pastor. Lucas era um doutor e José era um grande estadista político. Qualquer que seja sua educação ou ocupação, Deus pode usá-o em Seu plano.

 

Donde você está e quem você é não é importante. É ou que você está fazendo donde Deus ou tem posto. A chave a evangelização eficaz é ser o homem ou mulher de Deus, no lugar de Deus, fazendo o trabalho de Deus, a maneira de Deus.

 

 

 

TESTE O SEU CONHECIMENTO

 

1. Escreva o Verso Chave de memória.

_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

2. Resuma o papel da Palavra de Deus na evangelização.

__________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

3. Explique o papel de Deus na evangelização.

__________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

4. Identifique o papel de Jesus na evangelização.

__________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

5. Resuma o papel do Espírito Santo na evangelização.

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

 

6. Explique o papel da oração na evangelização.

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

 

7. Identifique sua papel na evangelização.

__________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

8. Defina a palavra “testemunho”. 

__________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

9. Defina o termo “leigo”.

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

 

10. Defina o termo “clero”.

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

 

11. Explique ou quer dizer o chamado do leigo.

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

 

(As respostas se encontram ao final do último capítulo neste manual.).

 

 

 

PARA ESTUDO ADICIONAL

 

1. Felipe tinha o dom de ser um evangelista. Ele se chama um evangelista em Atos 21:8. Sua tendência para com este dom era evidente desde cedo em sua experiência com Cristo. Quando ele se encontrou com Jesus, a primeira cosa que ele fez foi compartilhar as notícias com Natanael (João 1:45-46). Depois, Felipe dirigiu os gregos espiritualmente famintos a Jesus (João 12:21-22). Felipe foi ordenado pelo homem como um diácono (Atos 6:1-6), mas ele foi estabelecido por Deus como um evangelista na Igreja (Efésios 4:11-12). Estudo ministério de Felipe para estender sua conhecimento do dom especial de ser um evangelista. Estude sobre:

 

n Sua mensagem: Atos 8:12, 35.

 

n A demonstração de poder em sua vida: Atos 8:5-8

 

n O papel do batismo em seu ministério: Atos 8:12, 36-38.

 

n Sua vida em casa: Atos 21:8-9

 

n Suas viagens: Atos 8:4-5, 26,40.

 

n Sua habilidade de persuadir os grupos: Atos 8:6

 

n Seu ministério aos indivíduos: Atos 8:27-38

 

n Sua sensibilidade à liderança de Deus: Atos 8:26, 39.

 

n Seu conhecimento da Palavra de Deus: Atos 8:3-35

 

n A resposta das pessoas a seu ministério: Atos 8:5, 6, 8, 12,35-39.

 

2. A seguinte lista de qualidades é importante para ser um ganhador de almas eficaz:

 

(1) Você deve estar seguro de sua própria salvação.

(2) Você deve ser cheio do Espírito Santo.

(3) seu estilo de vida não deve contradizer sua testemunho verbal.

(4) Você deve ter um conhecimento ativo da Palavra de Deus.

(5) Você deve ser uma pessoa de oração.

(6) Você deve ter uma preocupação para com o perdido, compreendendo que todos os homens aparte de Cristo são destinados ao Inferno.

 

3. Desde que a Palavra de Deus é necessária na evangelização, é importante para você aprender versículos que levam as pessoas à salvação. Aqui está um plano para ajudar-lhe a fazer isto:

 

(1) Escreva o versículo a ser memorizado em um lado de uma ficha pequena ou papel.

(2) No outro lado da ficha, ponha a referência bíblica.

(3) Quando você olhar o lado da referência na ficha, tente dizer o versículo da memória.

(4) Quando você olhar o lado do versículo na ficha, veja se você pode dizer a referência bíblica.

 


CAPÍTULO CINCO

 

COMUNICANDO A MENSAGEM

 

 

 

OBJETIVOS:

 

Ao concluir este capítulo você será capaz de:

 

n Escrever o Versículo Chave de memória.

n Identificar seis princípios importantes para comunicar o Evangelho.

n Identificar uma referência bíblica que provê uma fórmula para comunicar o Evangelho às pessoas de outras culturas.

 

VERSÍCULO CHAVE:

 

“De maneira que a comunhão de tua fé tem vindo a ser eficaz no pleno conhecimento de todo ou bem que há em nós para a gloria de Cristo” (Filemon 6).

 

 

 

INTRODUÇÃO

 

Em Capítulo Três você estudou sobre o conteúdo da mensagem de evangelização e em Capítulo Quatro você aprendeu que você é a mensageiro do Evangelho. Esta lição enfoca no processo de comunicar um mensagem de evangelização.

 

A comunicação eficaz é o arte de transmitir um mensagem de uma pessoa a outras de uma tal maneira que se recebe sem distorção. A maior preocupação de evangelização é que o Evangelho seja compartilhado de tal maneira que seja entendido e aceito.

 

A COMUNICAÇÃO EVANGELISTA

 

Aqui estão seis princípios importantes de comunicar o Evangelho. A comunicação evangelista deve:

 

INCLUIR OS ELEMENTOS HUMANO E DIVINO:

 

A comunicação evangelista é diferente de outros tipos de comunicação porque a Palavra de Deus, Deus o Pai, o Filho, e o Espírito Santo está envolvido no processo. Compartilhar o Evangelho simplesmente não é falar ou bater papo com outros. É comunicação divina habilitada por recursos espirituais poderosos que estão operando para convencer e declarar culpável aos destinatários da mensagem.

 

SER PARA TODAS AS CLASSES DE PESSOAS:

 

A comunicação evangelista deve ser a todas as classes de pessoas; rico e pobre, educado e inculto, civilizado e selvagem. Paulo confirmou isto quando ele disse...

“Sou devedor tanto a gregos como a bárbaros, tanto a sábios como a ignorantes” (Romanos 1:14).

 

Quando disse que era um devedor ele quis dizer que porque havia recebido o Evangelho ele tinha o dever de compartilhá-o com outros. Ele sentia esta responsabilidade para com todos os homens em todo lugar. No havia nenhuma distinção de classe na mente de Paulo. Todos necessitamos do Evangelho. No havia ninguém demasiado pobre ou rico, demasiado religioso ou pagão, demasiado perto ou longe. Você não pode ter favoritismo ao comunicar o Evangelho. Se você mostra parcialidade, você está pecando (Tiago 2:1-4).

 

SER EQUILIBRADO ENTRE GRUPOS E indivíduos:

 

A tendência entre muitos crentes é está satisfeito com as multidões. Pastores gastam a maioria de sua tempo detrás do púlpito diante do grupo. O individuo está perdido na multidão. Isto é especialmente verdade em muitas culturas aonde os meios de comunicação de massa são possíveis, como a televisão e radio.

 

No há nenhum substituto para o contacto pessoal. Paulo ministrou freqüentemente a as grandes multidões, mas sua ilustração de ministrar aos Tessalonicenses foi a de uma ama que cria e cuida a seus próprios filhos e como um pai a seus próprios filhos (1 tessalonicenses 2:7, 11). Ele equilibrou seus esforços entre os grupos e indivíduos.

 

Jesus evangelizou as multidões, mas Ele também compartilhou o Evangelho com os indivíduos como a mulher de Samaria, Nicodemos, Zaqueu, e outros.

 

SER COMPREENDIDO DENTRO DO CONTEXTO CULTURAL:

 

As culturas diferentes têm maneiras diferentes de fazer as coisas. Isto incluso era verdade nos tempos da Bíblia. Por exemplo, Listra era um lugar pagão remoto. Atenas era uma cidade bem civilizada e era bem difícil de alcançar com o Evangelho. Beréia recebeu a Palavra de Deus alegremente. Eles estavam buscando a verdade.

 

As muitas diferencias culturais, lingüísticas, políticas, educativas, e nacionais da atualidade são um desafio, mas elas podem ser superadas e o Evangelho pode ser expresso de uma maneira aceitável. Entender outras cultura exige uma boa disposição para ajustar sua pensamento e conduta. Claro, você nunca deve transformar sua pensamento ou conduta contrariamente a as normas reveladas na Palavra escrita de Deus, mas você pode transformar de outras maneiras que ajudam a comunicar o Evangelho mais adequadamente.

 

O Evangelho deve ser apresentado de tal modo que seja entendido pelos ouvintes. Devem ajustar-se o vocabulário, idioma, e estilo de entrega para fazer o Evangelho entendido. Paulo reconheceu e praticou isto (Atos 21:37-40; 22:2).

 

Atos 26:18 provê um modelo de comunicação eficaz do Evangelho a as pessoas de outras culturas. Deus enviou a Paulo aos Gentios...

 

“Para abrir seus olhos, para que se convertam das trevas à luz e do poder de Satanás a Deus, para que recebam o perdão de pecados e uma herança entre os santificados pela fé em mim” (Atos 26:18).

 


O Evangelho deve ser apresentado de tal maneira:

 

1. Que abra os olhos das pessoas.

2. Que elas possam converter-se da escuridão espiritual à luz.

3. Que elas possam tornar-se do poder de Satanás a Deus.

4. Que elas possam receber o Perdão de pecados através da salvação.

5. Que elas possam receber uma herança espiritual através da santificação pela fé.

 

A cultura em que uma pessoa se cria determina cinco áreas:

 

n Seu Idioma: Como ela se expressa e recebe comunicação e idéias.

 

n Sua cosmovisão: Como ela vê e entendo mundo.

 

n Suas Crenças: Religião, crenças no sobrenatural; as maneiras de pensar; os processos do pensamento.

 

n Seus Valores: o valor, mérito, ou importância que ela designa às coisas.

 

n Sua Conduta: Como ela atua e se comporta; a conduta aceitável socialmente e culturalmente.

 

Você notará no seguinte gráfico que Atos 26:18 se dirige cada um destes:

 

     Abre seus olhos:      Para que eles possam converter e receber:

Idioma: a mensagem é efetivamente comunicada, compreendida e recebida.  Cosmovisão: Visão bíblica do mundo é comunicada.  Crenças: Mensagem de fé; Evangelho do Reino muda seus crenças.  Cambio de valores.  Cambia o comportamento.

 

IR MAIS ALÉM DAS PALAVRAS:

 

As palavras são básicas a comunicação. Através da Palavra escrita, Deus revelou que sua vontade à humanidade.

 

Mas se você deseja seguir o exemplo dos líderes do Novo Testamento, você deve ir mais além das palavras, sobre todo em culturas que são mais orientadas para com a experiência. É o desejo de Deus que as pessoas experimentem a verdade do Evangelho, não só ouça falar de ela. Por isto Jesus disse “Enquanto você vai, cure o enfermo e expulse os demônios”. A comunicação do Evangelho está mais além de uma apresentação verbal. É a demonstração de poder.

 

ESTAR EM HARMONIA COM SEU ESTILO DE VIDA:

 

Paulo disse a Filemon que vivesse...

“De maneira que a comunhão de tua fé tem vindo a ser eficaz no pleno conhecimento de todo o bem que há em nós para a gloria de Cristo” (Filemon 6, tradução do original).

 

Paulo encorajou a Filemon para permitir que sua fé se comunique pelo caráter e conduta cristã reflete a Jesus aos outros. Nenhuma quantidade de palavras pode superar o poder da hipocrisia, nem somente palavras logrará ou que o poder de um exemplo positivo pode lograr. A comunicação do Evangelho deve estar harmonia com sua estilo de vida para ser eficaz.

 

 

 

TESTE O SEU CONHECIMENTO

 

1. Escreva o Versículo Chave de memória.

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

 

2. Liste seis princípios importantes para comunicar o Evangelho.

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

 

3. Que referência da Escritura provê um modelo para comunicar o Evangelho a as pessoas de outras culturas?

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

 

(As respostas se encontram ao final do último capítulo neste manual.).

 

 

 

PARA ESTUDO ADICIONAL

 

1. Parte da comunicação boa é ser um bom ouvinte. Aqui estão alguns princípios básicos de escutar:

 

n Se Entregue sinceramente a tarefa de escutar a ou que a outras pessoa está dizendo. Escutar é não interromper. Significa controlar sua desejo de falar.

 

n Dê a prioridade ao que ela está dizendo. Você pode pensar que tem uma resposta, mas espere até que você estes seguro que sabe qual é a pergunta.

 

n Estes seguro de que você entende precisamente ou que a pessoa diz. Se não, faça perguntas.

 

n Perguntas são importantes no processo de escutar. Elas ajudam a clarificar o que está dizendo.

n Reconheça a comunicação não-verbal. Seja sensível às expressões faciais e ações, não só a as palavras. Uma pessoa pode estar dizendo uma cosa, mas seus expressões e ações podem revelar outras.

 

2. A pregação de Paulo foi variada entre as raças e países. Compare sua sermão na sinagoga a Antioquia em Atos 13 com sua pregação aos atenienses em Atos 17.

 

3. Jesus era um bom comunicador:

 

n Ele tinha conhecimento histórico e bíblico: Mateus 12:38-42.

 

n Ele usou os objetos e quadros que eram familiarizados a as pessoas: Lucas 21:29-32; Marcos 4:21-34.

 

n Ele era simples, fazendo os discursos sobre a luz, pão, o bom pastor, e a videira: João 6:35; 8:12; 15:1.

 

n Ele não sempre deu respostas, mas apresentou muitas de Seus ensinamentos em parábolas e perguntas.

 

n Ele usou o humor. Por exemplo, comparando um argueiro no olho de seu irmão a uma viga em sua próprio: Mateus 7:3-5.

 

n Ele usou a razão: Mateus 12:1-32.

 

 


CAPÍTULO SEIS

 

OS DESTINATÁRIOS DA MENSAGEM

 

 

 

OBJETIVOS:

 

Ao concluir este capítulo você será capaz de:

 

n Escreva o Versículo Chave de memória.

n Explicar o processo de Deus para multiplicar aos crentes.

n Nomear os dois homens do Novo Testamento que foram usados como exemplos deste processo.

n Identificar as prioridades para evangelizar.

n Identificar quatro tipos de pecadores descritos na Bíblia.

n Começar a evangelizar.

 

VERSÍCULO CHAVE:

 

“E o que de minha parte ouviste através de muitas testemunhas, isso mesmo transmite a homens fiéis e também idôneos para instruir a outros” (2 Timóteo 2:2).

 

 

 

INTRODUÇÃO

 

Você está estudando o plano de Deus para alcançar o mundo com o Evangelho:

 

n Jesus Cristo é o conteúdo da mensagem.

 

n Os discípulos são os mensageiros do Evangelho habilitados pelo poder do Espírito Santo.

 

n O mundo inteiro deve ser o destinatário da mensagem.

 

Hoje nós vivemos em um mundo crescente. Milhares de novos seres humanos nascem cada dia. A população do mundo está aumentando rapidamente. Há milhões de pessoas que não tem ouvido a mensagem do evangelho.

 

O desafio de Jesus aos crentes é alcançar o mundo inteiro com o Evangelho. Nas duas lições anteriores você estudou sobre a mensagem e os mensageiros da evangelização. Mas com tão grande multidão que espera por a mensagem onde é que a mensageiro deve começar? Qual é a prioridade e onde você começa? Quem deve ser o destinatário da mensagem?

 

O PROCESSO DA MULTIPLICAÇÃO

 

Na Bíblia, Deus revela um processo especial para permitir aos crentes a cumprir a missão de evangelizar o mundo. É baseado no principio de multiplicação espiritual. A multiplicação é um principio básico de todo o crescimento no mundo natural. O crescimento não tem lugar por agregar uma unidade a outras. Células vivas se multiplicam. Isto significa que cada nova célula produzida tem a habilidade de reproduzir-se.

 

O plano de Deus de evangelização é baseado na multiplicação similar a as células vivas no mundo natural. Paulo ou resumiu quando ele escreveu estas palavras a Timóteo:

 

“E o que de minha parte ouviste através de muitas testemunhas, isso mesmo transmite a homens fiéis e também idôneos para instruir a outros” (2 Timóteo 2.2).

 

Paulo lhe disse a Timóteo para selecionar a homens fiéis e confiar a eles as coisas que ele havia aprendido. Estes homens fiéis deveriam ter a habilidade de ensinar a outros. Através deste plano organizado de reprodução, o Evangelho se estenderia a ou largo do mundo.

 

Para ver como este processo trabalha, mire o gráfico na página seguinte. Este gráfico utiliza o período de um anos como o tempo médio necessário para treinar um novo convertido e fazê-o um Cristão reprodutivo. Em realidade, o processo pode tomar mais ou menos tempo e depende das pessoas envolvidas.

 

Mas usando um anos como um tempo médio, se um crente simplesmente alcançar e treinar a uma pessoa cada anos, e o novo convertido alcançar uma outras pessoa cada anos, o mundo poderia facilmente ser alcançado com a mensagem do Evangelho.

 

Observe no gráfico que durante o primeiro anos o crente está treinando uma pessoa. Ao final desse anos, há dois homens fiéis agora [o crente e a pessoa que ele treinou].

 

Durante o próximo anos, cada um de eles alcança e treina uma pessoa. Ao final do segundo anos, há um total de quatro pessoas, cada uma das quais treinará a uma pessoa mais no anos seguinte.

 

Agora, tome um número de membros da igreja de aproximadamente 100 pessoas. Aumente este gráfico a 100 pessoas cada uma localizando a uma pessoa com o Evangelho e treinando-as para ser reprodutivas e você poderá ver como nós poderíamos alcançar o mundo inteiro facilmente com o Evangelho. Quando você treina cada um para alcançar outro para ensinar outro, se multiplicam os discípulos rapidamente e a multiplicação é mais rápida que a suma.

 

Se você é membro de uma igreja local, empregue o número total de membros de sua igreja e ou multiplique por 131.072. Sua resposta será o número das pessoas que sua igreja poderia segar nos próximos 17 anos, se cada membro estivesse reproduzindo-se.

 

 

 


MAESTRO                 DISCÍPULO                      TOTAL

 

ANO 17                                   65,536                     65,536                              = 131,072

Ano 16                                    32,768                     32,768                              = 65,536

Ano 15                                    16,384                     16,384                              = 32,768

Ano 14                                    8,192                       8,192                                = 16,384

Ano 13                                    4,096                       4,096                                = 8,192

Ano 12                                    2,048                       2,048                                = 4,096

Ano 11                                    1,024                       1,024                                = 2,048

Ano 10                                    512                          512                                   = 1,024

Ano 9                                      256                          256                                   = 512

Ano 8                                      128                          128                                   = 256

Ano 7                                      64                             64                                      = 128

Ano 6                                      32                             32                                      = 64

Ano 5                                      16                             16                                      = 32

Ano 4                                      8                               8                                        = 16

Ano 3                                      4                               4                                        = 8

Ano 2                                      2                               2                                        = 4

Ano 1                                      1                               1                                        = 2

 

A ESTRATÉGIA DE DEUS DE

MULTIPLICAÇÃO E MOBILIZAÇÃO

 

O PROCESSO NA IGREJA PRIMITIVA

 

O seguinte diagrama mostra as primeiras fases de evangelização por multiplicação que resultou de André, um dos primeiros discípulos de Jesus:

 

André ® Pedro ® Outros

¯

Pentecostes -> Outros

 

1. André compartilhou o Evangelho com seu irmão, Pedro.

2. Pedro compartilhou o Evangelho no dia de Pentecostes em Jerusalém.

3. Pedro continua compartilhando o Evangelho com outros que também se tornam reprodutivo.

4. Os milhares de crentes espalhados de Jerusalém continuam estendendo o Evangelho.

5. Cada pessoa que eles alcançam se torna reprodutiva e o processo continua.

 

Este diagrama mostra as primeiras fases de evangelização feitas pelo Apóstolo Paulo:

 

                              Ananias ® Paulo

¯

                                                Timóteo ® Outros

¯

                                                Homens fiéis ® Outros

¯

                                                Outros ® Outros

 

 

1. Ananias foi usado de Deus para levantar a Paulo.

2. Paulo treina a Timóteo.

3. Paulo continua adiante treinando outros.

4. timóteo treina aos homens fiéis que podem ensinar outros.

5. Os homens fiéis alcançam outros.

6. Estes “outros” continuam o processo de multiplicação.

7. Cada pessoa na rede continua multiplicando-se.

 

AS PRIORIDADES DA EVANGELIZAÇÃO

 

A Palavra de Deus identifica varias prioridades da evangelização. Estas prioridades são:

 

REDES SOCIAIS EXISTENTES:

 

O Novo Testamento revela que o Evangelho se estende mais rapidamente ao largo das redes sociais existentes.

 

Por isto nós queremos dizer que você pode estender o Evangelho mais fácil a sua próprio grupo social de amigos, parentes, e colaboradores.

 

Por exemplo, Jesus chamou a um pescador chamado André. André compartilhou o Evangelho com um parente chamado Pedro. Eles compartilharam com outros pescadores com rejeitadas eles trabalharam. Pronto um grupo inteiro de pescadores seguiu a Jesus.

 

Seus parentes, amigos, e colaboradores, o mundo de trabalho, a escola, a família, e a comunidade é sua arena de ministério. Use o diagrama na página seguinte para ajudar-lhe a começar a evangelizar. Escreva sua nome no círculo ao centro do diagrama. Agora pense sobre aqueles com quem você trabalha e se socializa, seus vizinhos, e os membros familiares. Pense sobre aqueles que assistem a sua igreja e que ainda podem ser pessoas não-salvas. Nos círculos localizados ao derredor de você escriba o nome de pelo menos três parentes ou amigos com quem você está em contacto íntimo e que são incrédulos.

 

Agora mire o diagrama. Note as flechas que apontam para e de seus amigos e parentes a VOCÊ. Você é o embaixador do Senhor a estas pessoas. Elas podem nunca podem entrar numa igreja. Eles podem nunca entrar em contacto com o pastor de sua igreja. Mas você os conhece bem. Ha através destas redes existentes de relaciones sociais que você pode começar a evangelizar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Escreva seu nome aqui ®

 

 

GRUPO FAMILIAR:

 

A família é uma unidade social divinamente criada e é uma instituição social universal. Há mais instruções sobre a família na Bíblia que em qualquer outras instituição. Por esta razão, a evangelização do grupo familiar merece a atenção íntima como uma prioridade bíblica.

 

Moisés era fiel com todos de sua casa, enquanto Josué exclamou “Mas em quanto a eu e mim casa, nós serviremos ao Senhor” (Josué 24:15). Raabe, uma prostituta de Jericó, se converteu ao Senhor e salvou a ela e a sua família inteira da destruição (Josué 2). Quando Jesus visitou a casa de Zaqueu, ele declarou, “Este dia a salvação veio a esta casa” (Lucas 19:9). Quando Jesus curou ao filho do nobre, ele creu com sua casa inteira (João 4:46-54).

 

A família inteira de Cornélio veio ao Senhor (Atos 10), como fez a casa de Lídia (Atos 16) e do carcereiro de Filipos (Atos 16), Crispo (Atos 18:8), e Estéfanas (1 Coríntios 1:16).

 

Fazem-se referencias similares a Onesíforo e sua casa (2 Timóteo 1:16) e Filemon (Filemon 2).

 

Enquanto Jesus disse que haveria divisão nas famílias devido ao Evangelho, às vezes isto ocorre devido aos métodos de evangelização em lugar do próprio Evangelho. Quando a evangelização ocorre dentro da unidade familiar, o poder curador e restaurador do Evangelho podem obrar dentro da família.

 

Quando membros individuais da família são contatados com o Evangelho fora do grupo familiar, eles são arrastados para fora das relaciones familiares e assim separados da unidade social divinamente ordenada a que eles pertencem. A família teme a instrução, pode tornar-se inimiga do convertido, e resistir ao Evangelho.

 

A evangelização de uma família inteira honra a unidade social que Deus tem criado. A própria família se torna à força ao novo crente em lugar da oposição.

 

POVOS NÃO-ALCANÇADOS:

 

Os povos ainda não-alcançados pelo Evangelho também são uma prioridade importante. Há milhões de povos do mundo que nunca se tem alcançado com o Evangelho. Há muitas pessoas que nunca tiveram a oportunidade de ler a mensagem de Deus a eles em Sua Palavra escrita porque não se tem traduzido em sua idioma.

 

Se nós vemos o mundo pelo que se refere a as nações, então nós poderíamos dizer que todo o mundo se tem alcançado porque ali existe presentemente dentro de cada nação alguma classe de testemunho do Evangelho. Há crentes e igrejas organizadas agora em cada país na terra. Mas isto não é o mesmo que “cada tribo, idioma, e povo e nação” como se refere Apocalipse 5:9.

 

Quando Jesus falou de ir por todo o mundo Ele não estava referindo-se exclusivamente a as nações. O termo que Jesus usou quando Ele falou do mundo foi a palavra grega “ethnos”. Esta palavra significa “etnias” ou “grupos de povos”. Jesus viu o mundo pelo que se refere a “todos os povos” ou “grupos de povos”.

 


Um grupo de povos é definido como:

 

"Um grupo significativamente grande de indivíduos que têm um vínculo comum entre se. Tal vínculo pode incluir algo como o idioma, cultura, costumes, e localização geográfica”.

 

Um grupo de povos é o maior grupo possível dentro de que o Evangelho pode estender-se sem encontrar problemas de entendimento e aceitação. Porque um grupo de povos fala um idioma comum e tem uma cultura comum, o idioma e as diferencias culturais que impedem a apresentação do Evangelho são eliminados.

 

Há aproximadamente 19,000 grupos de povos diferentes no mundo que se tem identificado até essa data. Alguns têm algo como 3,000 membros, enquanto outros são tão grandes como 30 milhões. Cada continente do mundo não só é feito de nações diferentes, mas também de grupos de povos diferentes. No continente de África há 1,000 idiomas e centenas de grupos de povos, por exemplo.

 

Um grupo de povos alcançados é um com um número adequado de crentes e recursos para evangelizar a sua próprio povo sem a ajuda externa.

 

Um grupo de povos não-alcançados é um grupo de povos entre ou qual não há nenhuma comunidade nativa de crentes com números adequados e recursos para evangelizar a sua povo sem a ajuda externa.

 

Há uns 17,000 grupos ou etnias sem um vital testemunho da igreja e do Evangelho. Dentro destes grupos étnicos se encontram milhões de pessoas. Estes grupos não-alcançados podem agrupar-se em cinco categorias principais, incluindo os povos tribais, muçulmanos, chineses, hindus, e budistas.

 

Paulo indicou que a prioridade deve dar-se aos povos não-alcançados:

 

“Esforçando-me, deste modo, por pregar o evangelho, não onde Cristo já fora anunciado, para não edificar sobre fundamento alheio; antes, como está escrito: Hão de vê-o aqueles que não tiveram notícia dele, e compreendê-o os que nada tinham ouvido a seu respeito” (Romanos 15:20-21).

 

ÁREAS RECEPTIVAS:

 

Jesus ensinou a Seus discípulos que eles deveriam ministrar aos povos não-alcançados. Se o Evangelho fora rejeitado, eles deveriam seguir e concentrar sua energia nas áreas de maior receptividade. Em Capítulo Vinte e Um, você aprenderá que o Apóstolo Paulo também seguiu esta estratégia.

 

CIDADES:

 

Você aprenderá depois como Paulo estabeleceu igrejas nos grandes centros da civilização. As mudanças normalmente começam nas cidades e se estendem as áreas rurais. As cidades são centros de comercio e turismo e quando as pessoas as visitas são alcançadas com o Evangelho elas levam a mensagem com elas quando voltam a suas casas.

 

QUATRO TIPOS DE PECADORES

 

Ainda que as pessoas diferem grandemente de cultura para cultura, a Bíblia revela certas características de todas as pessoas por todas partes. Todos os homens separados de Deus são pecadores. O seguinte apresenta quatro tipos de pecadores descritos na Bíblia:

 

O PECADOR RACIONAL:

 

Romanos 1:18-32 descreve o pecador racional. O pecador racional pode crer que há um Deus, mas este feito sozinho não salva. O pecador racional é bem inteligente, e quando você intenta apresentar o Evangelho ele trará freqüentemente um problema intelectual. Por isto você deve conhecer a Palavra de Deus.

 

A Bíblia diz:

 

“Antes, santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração, estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós” (1 Pedro 3:15).

 

O PECADOR REFORMADO:

 

Romanos 2:1-16 descreve o pecador reformado. O pecador reformado crê que Deus existe porque nós aprendemos de Romanos 2:3 que ele pensa que é capaz de julgar ao pecador descrito em Romanos 1:18-32. Ele também crê que ele vai escapar do juízo de Deus. O pecador reformado pensa que ele é tão bom como ninguém mais e que há só hipócritas na igreja. Ele é o tipo de pessoa que intenta reformar, começar de novo, e melhorar a se mesmo.

 

O PECADOR RELIGIOSO:

 

Romanos 2:17-23 descreve o pecador religioso. O pecador religioso é um que confia em sua religião ou denominação para a salvação. Ele confia nas cerimônias e rituais, mas não conhece o verdadeiro Deus.

 

Nicodemos era um Fariseu (João 3:1). Ele era religioso, mas ele não entendeu o verdadeiro significado da salvação e do novo nascimento.

 

O PECADOR rejeitado:

 

A mulher do poço em João 4 é um exemplo do pecador rejeitado. Ela era uma proscrita social. Ela foi divorciada, e obviamente não era bem aceita pelas outras mulheres de seu povo porque normalmente as mulheres vinham juntas a tirar o água e era um tempo de grande socialização. Esta mulher veio sozinha.

 

O pecador rejeitado se preocupa mais por seus próprios problemas pessoais que com os problemas espirituais. A maneira melhor de tratar com ele é como Jesus fez com a mulher ao poço. Você deve começar tratando com seus necessidades pessoais.

 

 

 


TESTE O SEU CONHECIMENTO

 

1. Escreva o Versículo Chave de memória.

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

 

2. Qual é o processo de Deus para multiplicar aos crentes?

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

 

3. Quais dois homens do Novo Testamento foram mencionados como exemplos de multiplicação espiritual?

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

 

4. Quais são as prioridades da evangelização?

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

 

5. quais são os quatro tipos de pecadores descritos na Bíblia?

______________________________ ______________________________

______________________________ ______________________________

 

(As respostas se encontram ao final do último capítulo neste manual.).

 

 

PARA ESTUDO ADICIONAL

 

1. Em oração complete o compromisso seguinte e comece a atuar baseando-se em ele:

 

"Compreendendo que a evangelização é a responsabilidade de cada crente, eu dedico a mim mesmo pela presente a orar por uma pessoa, fazendo todo que eu posso para compartilhar o Evangelho com ela e trazê-as à comunhão com Cristo e a Igreja”. 

 

A pessoa por quem eu orares e evangelizares é: ______________________________

Assinatura: _______________________________________

Data: ______________

 

2. Em Lucas 16:19-31 leia a historia do homem rico que foi ao Inferno. Este homem quis voltar para compartilhar o Evangelho com sua família, mas era demasiado tarde. No espere até que seja demasiado tarde para compartilhar o Evangelho com aqueles em sua própria família.

 

3. Aprenda mais sobre a multiplicação espiritual obtendo o curso do Instituto Tempo de Colheita, “Metodologias de Multiplicação”.

 

4. Aqui está como levantar a obreiros para a colheita:

 

n Ore pelos obreiros: Mateus 9:38; Tiago 4:2; Lucas 11:9; João 14:14.

n Pregue para levantar a obreiros: Isaías 6:8.

n Pessoalmente aliste-os e prepare-os como Jesus fez: Mateus 20.

CAPÍTULO SETE

 

OS MÉTODOS:

PRINCÍPIOS DO NOVO TESTAMENTO

 

 

 

OBJETIVOS:

 

Ao concluir capítulo você será capaz de:

 

n Escrever o versículo-chave de memória.

n Resumir os princípios básicos da evangelização do Novo Testamento.

n Explicar os resultados da evangelização do Novo Testamento.

 

VERSÍCULO-CHAVE:

 

“... Estes que têm transtornado o mundo chegaram também aqui” (Atos 17.6).

 

 

 

INTRODUÇÃO

 

Esta lição que inicia é a primeira de várias que focalizam nos métodos de evangelização. Um método é uma maneira organizada de fazer algo. Se você deseja obter êxito na tarefa de evangelização, você deve usar os métodos bíblicos. Métodos práticos que foram provados pela experiência também são úteis.

 

Esta lição enfoca nos métodos de evangelização do Novo Testamento. O capítulo Oito trata com os princípios adicionais revelados nas parábolas sobre a evangelização registrada no Novo Testamento. O Capítulo Nove explica como fazer a evangelização pessoal e Capítulo Dez trata com as dificuldades encontradas no processo. A evangelização de saturação é discutida no Capítulo Onze e a evangelização em massa no Capítulo Doze.

 

Enquanto você inicia este estudo sobre os métodos de evangelização, é importante recordar que enquanto há certas abordagens provadas que têm sido eficazes na evangelização, Deus pode ter um método diferente para você seguir em cada situação. Ao fazer o trabalho de um evangelista, sempre peça ao Espírito Santo para dar-lhe Seu toque ungido. Ele conhece o coração da pessoa a quem você está ministrando. É o papel do Espírito Santo guiá-lo e ungi-lo, para dar-lhe compreensão e compaixão, e convencer o não-salvo de pecado e levá-lo responder ao Evangelho.

 

A EVANGELIZAÇÃO DO NOVO TESTAMENTO

 

Quando um movimento cresce de uma dúzia de camponeses num canto insignificante do mundo para ser a religião oficial do mundo civilizado dentro de 300 anos, é sábio examiná-lo e aprender suas abordagens.

 

Esse movimento é o Cristianismo e seus métodos são registrados na Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada. Um exame dos Evangelhos, Atos e das Epístolas revela vários métodos básicos de evangelização. A evangelização dos tempos do Novo Testamento era:

 

RESPALDADA PELA ORAÇÃO:

 

A oração é um dos métodos bíblicos mais importantes da evangelização. Quando Jesus viu os campos de colheita naturais que representam os campos de colheita espirituais de um mundo perdido no pecado, a primeira coisa que Ele ordenou foi orar. Jesus não disse:

 

n “Os campos estão prontos para a colheita, vão”.

n “Os campos estão prontos para a colheita, organize”.

n “Os campos estão prontos, faça planos”.

n “Os campos estão prontos, levante fundos para a evangelização”.

n “Os campos estão prontos, eduque as pessoas”.

n “Os campos estão prontos, então estabeleça um comitê para estudá-os”.

 

Ele disse: “Os campos estão maduros para a colheita, ROGAI (ORAI)...”.

 

No Novo Testamento nós aprendemos que a igreja primitiva constantemente estava em oração (Atos 1:14). A primeira jornada missionária desenvolveu-se a partir da oração (Atos 13:3). Paulo insistiu que as igrejas orassem por ele quando ele evangelizava (2 Tessalonicenses 3:1).

 

Nós necessitamos deixar de depender de tudo o que nós conhecemos sobre as missões, os povos não-alcançados, e maneiras de comunicar o Evangelho. Estas coisas são importantes, porém nós precisamos concentrar mais atenção na primeira ordem: “ROGAI”.

 

A PRIMEIRA PRIORIDADE:

 

A evangelização não era somente uma de muitas atividades da Igreja Primitiva, era a prioridade principal. Hoje, evangelização e missões se encontram longe da lista de prioridades de muitos indivíduos e igrejas.

 

Nos tempos do Novo Testamento, a evangelização era um natural e espontâneo compartilhar das “boas novas”. Todos os crentes estavam continuamente comprometidos com ela. A prática era ir ondas pessoas estavam e fazer discípulos dentre elas.

 

Hoje, nós convidamos as pessoas à igreja e esperamos que elas venham. Nos tempos modernos a igreja convida, enquanto a primeira igreja invadiu. Todos faziam a obra de evangelização (Atos 1:8). Cada crente tomou a Grande Comissão como uma ordem pessoal para evangelizar. Eles a cumpriram por todas as partes, não somente no templo da igreja (Marcos 16:20). Eles fizeram isso todos os dias (Atos 5:42), não somente periodicamente durante uma campanha evangelística.

 

Cada igreja se reproduziu, cada membro se reproduziu e cada casa era um centro de evangelização. Quando necessário, os crentes eram sustentados para estender o Evangelho. O Apóstolo Paulo fez isto. Pode parecer tolo que um homem da habilidade, educação e dons espirituais de Paulo devesse fazer trabalhos manuais para sustentar-se. Ele tinha o direito de exigir o sustento integral das igrejas (1 Coríntios 9:7-15; 1 Timóteo 5:17-18; Gálatas 6:6), porém ao mesmo tempo ele foi preparado, se necessário, para sustentar-se para estender o Evangelho. Ele fez isto em várias ocasiões (1 Coríntios 4:12; 1 Tessalonicenses 2:9; 2 Tessalonicenses 3:8).

 

Hoje em muitas nações o costume é que pastores evangelistas sejam totalmente pagos por seus esforços. Isto tem bloqueado o avanço do evangelho e a plantação de novas igrejas. Os crentes também tendem a deixar a tarefa de evangelização aos ministros de “tempo integral” porque eles são pagos para isso. Há também muitas igrejas sem pastores porque elas não podem sustentar um pastor de tempo integral e a possibilidade de trabalhar não tem sido considerada.

 

Se nós devemos causar impacto nas nações com o Evangelho de Jesus Cristo, nós devemos voltar à evangelização como a primeira prioridade. Nós devemos evangelizar por toda parte, todos os dias e, se necessário, conseguir um trabalho e trabalhar para conseguir espalhar a mensagem.

 

DIRIGIDA PELO ESPÍRITO SANTO:

 

Em cada avanço do Evangelho registrado em Atos, o Espírito Santo é o motivador e energizador. Na igreja moderna, sobretudo nas nações ocidentais, as habilidades administrativas e as reuniões de comitê freqüentemente substituem a dependência do Espírito Santo.

 

O Espírito Santo é o diretor da evangelização. Há muitas passagens em Atos que ilustram o Espírito Santo trabalhando, porém o seguinte é central pelo que se refere à evangelização:

 

n Atos 1:8: O Espírito Santo reveste de poder testemunho dos crentes.

n Atos 2: O dom do Espírito Santo foi dado e prometido a todos os crentes.

n Pedro, cheio com o Espírito Santo, testificou com respeito ao milagre experimentado pelo homem coxo em Atos 3.

n Atos 4:31: Eles ficaram todos cheios do Espírito Santo e proclamaram a Palavra de Deus com intrepidez.

n Atos 5:52: Pedro declarou que nós devemos dar testemunho junto com o Espírito Santo.

n Atos 7:51: Estevão acusou aos líderes judeus que não aceitaram o Evangelho de resistir ao Espírito Santo.

n Atos 9:17: Paulo foi cheio com o Espírito Santo depois da conversão.

n Atos 10: O Espírito Santo caiu sobre a casa de Cornélio, atraindo-os à conversão.

n Atos 11:12: Pedro explicou que ele foi à Cesaréia devido às instruções do Espírito Santo para ele.

n Atos 13:2: O Espírito Santo chamou Paulo e Barnabé à obra de evangelização.

n Atos 16:6: O Espírito Santo proibiu a Paulo que pregasse na Ásia.

 

O Espírito Santo dirige a evangelização através da Palavra de Deus, pela direção sobrenatural, chamando e habilitando a obreiros, e corrigindo nossos planos para colocá-os em harmonia com o propósito de Deus.

 

ALCANÇADO PELO PLANEJAMENTO ESPECÍFICO:

 

Quando Jesus iniciou Seu ministério, Ele anunciou um plano de seis pontos:

 

“O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e apregoar o ano aceitável do Senhor” (Lucas 4:18-19).

 

Jesus seguiu este plano durante Seu ministério terreno e a primeira igreja continuou com este modelo. Jesus depois deu um plano para a extensão do Evangelho às nações do mundo (Atos 1:8). Os discípulos deveriam evangelizar primeiro em Jerusalém, depois seguir para a Judéia, Samaria e até os confins da terra. Este ainda é o plano do Senhor para a evangelização. Você deve começar exatamente onde você está e continuar em círculos, sempre evoluindo, até que você toque as nações do mundo.

 

Sua “Jerusalém” é a comunidade na qual você vive. Há milhares de cristãos que contribuem e oram por missões, porém nunca atravessaram a rua para contar a um vizinho sobre Jesus. Algumas igrejas têm tremendos programas de missões além-mar, porém não estão fazendo nada para evangelizar sua própria cidade, exceto aqueles que passam a entrar em seu templo.

 

DIABOLICAMENTE RESISTIDO:

 

A oposição Satânica realmente foi usada por Deus nos tempos do Novo Testamento para avançar a causa da evangelização. Estudas seguintes passagens:

 

n Atos 12:1-24: Herodes matou a Tiago e então encarcerou a Pedro. Esta foi a oposição política.

n Atos 16:16-40 e 19:23-41: A Evangelização entrou em conflito com os interesses dos negócios nas cidades de Éfeso e Filipos. A perseguição se levantou no mundo econômico.

n Atos 4-7: Nestes capítulos há um registro de perseguição dos líderes religiosos da época.

n Atos 11: Esta passagem registra a oposição a partir de dentro da própria igreja decido à tradição dos judeus. Esta é a oposição interna.

n Atos 8, 13, e 16: Estes capítulos registram a oposição Satânica direta através de Simão, Elimas, e uma jovem possuída de demônio.

 

Quando você está invadindo o reino de Satanás com as boas notícias do Evangelho, você deve esperar a oposição dos mundos político, econômico e religioso. Você também deve esperar ataques internos na igreja e ataques diretos de Satanás. Em lugar de permitir que estes ataques o detenham, use-os como oportunidades de levar o Evangelho adiante como eles fizeram nos tempos do Novo Testamento.

 

ENFOCADO EM GRUPOS E INDIVÍDUOS:

 

Todos os métodos evangelísticos do Novo Testamento podem ser considerados sob o evangelismo pessoal ou de grupo. O ministério de Jesus, os discípulos, Paulo o Apóstolo, e outros, demonstram a importância de abordagens formais e informais.

 

Jesus ministrou a muitos grupos grandes enquanto Ele estava na terra. Estas ocasiões se destacam em nossas mentes devido à excitação que marcou estes eventos. Porém do princípio ao fim de Seu ministério Jesus investiu também Sua vida em ganhar homens e mulheres um por um, através da evangelização pessoal. Na parábola sobre a ovelha perdida em Lucas 15.3-7, Jesus estava claramente descrevendo Seu próprio método de evangelização, porque Ele chamou a Si mesmo do Bom Pastor.

Pedro pregou às multidões em Jerusalém no dia de Pentecostes (Atos 2). Esta foi uma evangelização de grupo. Ele também compartilhou pessoalmente o evangelho com Cornélio (Atos 10). Esta foi a evangelização pessoal. Felipe pregou às grandes multidões em Samaria (Atos 8.5-6) e pessoalmente ao homem etíope no deserto (Atos 8.27-35). Paulo tinha multidões tão grandes em algumas de suas reuniões que elas acabaram em distúrbios! Porém, ele nunca deteve seu trato com os indivíduos.

 

Nunca esteja tão envolvido com as massas que você se esqueça do indivíduo. Jesus constantemente estava convocando indivíduos da multidão para confrontá-os com as sérias demandas do Evangelho do Reino. A evangelização individual e de grupo são métodos bíblicos eficazes.

 

ACOMPANHADO PELA DEMONSTRAÇÃO DE PODER:

 

A evangelização do Novo Testamento foi acompanhada pela demonstração do poder de Deus. Jesus ordenou a Seus discípulos que “à medida que seguirdes... curai enfermos... expeli demônios”.

 

A demonstração do poder de Deus toma as palavras que você fala e as torna eficaz:

 

“E muito se maravilhavam da sua doutrina, porque a sua palavra era com autoridade... Todos ficaram grandemente admirados e comentavam entre si, dizendo: Que palavra é esta, pois, com autoridade e poder, ordena aos espíritos imundos, e eles saem?” (Lucas 4:32,36).

 

A demonstração de poder confirma a Palavra com os sinais que seguem:

 

“E eles, tendo partido, pregaram em toda parte, cooperando com eles o Senhor e confirmando a palavra por meio de sinais, que se seguiam” (Marcos 16.20).

 

O poder de Deus está presente para curar enquanto você evangeliza:

 

“Ora, aconteceu que, num daqueles dias, estava ele ensinando, e achavam-se ali assentados fariseus e mestres da Lei, vindos de todas as aldeias da Galiléia, da Judéia e de Jerusalém. E o poder do Senhor estava com ele para curar” (Lucas 5.17).

 

O poder de Deus traz a libertação:

 

“Tendo chamado os seus doze discípulos, deu-lhes Jesus autoridade sobre espíritos imundos para os expelir e para curar toda sorte de doenças e enfermidades” (Mateus 10.1).

 

O poder de Deus confirma o Evangelho. “Confirmar” significa provar algo. O poder do Espírito Santo demonstra a realidade da Palavra de Deus:

 

“Seguia-o numerosa multidão, porque tinham visto os sinais que ele fazia na cura dos enfermos” (João 6.2).

 

A demonstração de poder dirige as pessoas a Deus.

“A minha palavra e a minha pregação não consistiram em linguagem persuasiva de sabedoria, mas em demonstração do Espírito e de poder, para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria humana, e sim no poder de Deus” (1 Co 2.4-5).

 

Você aprenderá mais sobre a demonstração de poder e evangelização na Parte Dois deste curso, intitulada “À Medida Que Seguirdes”.

 

ESTRATEGICAMENTE MÓVEL:

 

Os crentes na primeira igreja constantemente estavam em movimento por causa do Evangelho, eficazmente penetrando áreas que estavam prontas para receber a Palavra. Nós chamamos a isto de ser “estrategicamente móvel”, o que significa ser capaz de mover-se rapidamente às áreas de receptividade.

 

Em Atos 8.1, nós encontramos que a igreja foi forçada à mobilidade estratégica pela perseguição. Quando os crentes se espalharam devido à perseguição em Jerusalém, eles “pregaram a Palavra” por toda parte.

 

E, Atos 8 há um exemplo excelente de mobilidade estratégica. Quando Felipe estava em Samaria colhendo uma grande colheita espiritual, o Senhor o chamou para ir ao deserto.

 

Deus tinha uma missão para ele com um homem etíope que teria um tremendo papel na evangelização da África. Felipe imediatamente deixou Samaria e foi ao deserto. Se nós vamos entender a mobilidade estratégica, nós devemos ter uma mentalidade de colheita e de “soldado”.

 

Em Mateus 9.36-38, Jesus comparou a evangelização mundial à colheita natural. Se nós devemos segar a colheita quando ela está pronta, nós devemos ir a onda colheita está quando ela está madura. Nós devemos estar prontos a nos mover ou ficarmos para acomodar a colheita.

 

Nós também devemos ter uma mentalidade de soldado. Quando nós nos tornamos crentes, nós nos alistamos no exército espiritual do Reino de Deus. Nós somos chamados para suportar a dureza como um “bom soldado” (2 Timóteo 2.3). Um soldado não pode aposentar-se ou tirar uma licença simplesmente porque as coisas estão difíceis. A prova de um bom soldado não é sua aparência durante um desfile, porém a sua atuação no campo de batalha.

 

Um soldado não escolhe sua tarefa e ele não atua hoje se baseando em ordens recebidas há vinte anos. Elas eram boas ordens naquela época, porém agora seu sentido se tornou obsoleto. Assim, o soldado de Jesus Cristo está aberto às tarefas e revelações frescas do Espírito Santo.

 

Jesus estava falando de mobilidade estratégica quando Ele disse aos Seus seguidores que eles não deveriam continuar semeando na terra estéril:

 

“Se alguém não vos receber, nem ouvir as vossas palavras, ao sairdes daquela casa ou daquela cidade, sacudi o pó dos vossos pés” (Mateus 10.14).

 

Paulo seguiu esta ordem de “sacudir o pó dos pés”. Em Atos 13.51-52, o ministério do Evangelho foi rejeitado em Antioquia da Pisídia, por isso Paulo saiu dali e foi a Icônio.

 

Jesus era estrategicamente móvel. Ele foi de povoado em povoado compartilhando o Evangelho. Quando os discípulos tentaram fazer com que limitasse Seu ministério a um lugar, Ele disse:

 

“Ele, porém, lhes disse: É necessário que eu anuncie o evangelho do reino de Deus também às outras cidades, pois para isso é que fui enviado” (Lucas 4.43).

 

REALIZADO POR FUNCIONAR EM REDE:

 

Trabalhar em rede é outro método de evangelização do Novo Testamento. Funcionar em rede simplesmente significa esforço de equipe, pessoas que trabalham juntas para a causa comum de estender o Evangelho.

 

Nos tempos do Novo Testamento, a evangelização foi realizada pelos crentes que funcionavam em rede para o avanço do Reino de Deus. Os Cristãos não devem estar separados por linhas denominacionais ou ocupados em promover suas próprias igrejas ou organizações.

 

Nós devemos desenvolver uma rede de trabalho para fazer um melhor uso dos recursos disponíveis para segar uma grande colheita espiritual que Deus prometeu nestes tempos finais. Você aprenderá mais sobre funcionar em rede para a evangelização no Capítulo Quinze deste curso.

 

CULMINADO NA PLANTAÇÃO DE IGREJAS:

 

A evangelização do Novo Testamento produziu a formação de comunidades locais de crentes. Isto se chama plantar igrejas. O trabalho de evangelização não está completo até que novos crentes se tornem parte ativa da igreja. Você aprenderá mais sobre plantar igrejas na Parte Três deste curso onde você estudará em detalhe os métodos usados pelo Apóstolo Paulo. Nos tempos do Novo Testamento, os convertidos foram levados a ser discípulos dentro do contexto da igreja local. Você aprenderá mais sobre este processo no Capítulo Treze, “Decisões ou Discípulos?”.

 

OS RESULTADOS DO TESTEMUNHO

 

Os resultados destes métodos do Novo Testamento de evangelização foram tremendos:

 

“A mão do Senhor estava com eles, e muitos, crendo, se converteram ao Senhor” (Atos 11.21).

 

Uma congregação local em Éfeso levou o Evangelho a cada pessoa na província da Ásia dentro de dois anos (Atos 19.10). Um grupo similar em Tessalônica evangelizou a maioria da Grécia (1 Tessalonicenses 1.8). Quando sos discípulos vieram a Tessalônica, os tremendos resultados de seus esforços evangelísticos foram resumidos pelos líderes religiosos que disseram:

 

“... Estes que têm colocado o mundo de cabeça para baixo chegaram também aqui” (Atos 17.6, Tradução do Original).

Eles colocaram o mundo de cabeça para baixo - e tudo isso se fez numa sociedade má e atéia, sem editoras, templos, seminários, escritórios denominacionais e os meios modernos de comunicação de massa e transporte rápido.

 

 

 

TESTE O SEU CONHECIMENTO

 

1. Escreva o versículo-chave de memória.

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

 

2. Resuma os princípios básicos da evangelização do Novo Testamento que você aprendeu nesta introdução.

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

 

3. Quais foram os resultados da evangelização do Novo Testamento?

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

 

(As respostas se encontram ao final do último capítulo deste manual).

 

 

 

PARA ESTUDO ADICIONAL

 

1. Você aprendeu nesta introdução que nos tempos do Novo Testamento cada casa era um centro de evangelização.

 

Reveja os seguintes eventos - todos ocorreram em casas:

 

n Atos 2: O Espírito Santo foi dado durante uma reunião de oração no cenáculo (sobrado de uma casa).

n Atos 5:42: Os Crentes adoravam no templo e nas casas, e foram de casa em casa visitando, tendo comunhão e adorando.

n Atos 8:3: Quando Saulo tentou derrotar a Igreja, ele não concentrou os esforços somente nos templos. Ele entrou em cada casa para tentar abortar o avanço do Evangelho. Cada casa era um centro de evangelização.

n Atos 9:11, 17: Paulo foi discipulado por Ananias numa casa.

n Atos 10: A primeira visão de expansão transcultural do Evangelho se deu numa casa enquanto Pedro orava.

n Atos 10: A primeira mensagem aos Gentios foi pregada numa casa.

n Atos 12: Uma reunião de oração numa casa resultou na libertação de Pedro da prisão.

n Atos 20:20 e 28:30-31: Paulo pregou publicamente e de casa em casa durante seu ministério.

n Atos 20:7-12: Paulo estava falando numa casa quando Êutico caiu da janela.

n Atos 21:8-14: A revelação profética ocorreu nas casas.

n 1 Coríntios 16:19; Romanos 16:3-5; Colossenses 4:15; e Filemon 1:2: Registram igrejas nas casas.

 

2. As seguintes perguntas o ajudarão enquanto você considera as várias abordagens á evangelização. Pergunte a si mesmo, “Este método é...”

 

n Bíblico? - Os métodos devem ser baseados em princípios derivados da Bíblia.

n Eficaz? - Os métodos devem ter êxito. O êxito é definido como uma resposta positiva ao Evangelho pelos não-salvos.

n Eficiente? - Os métodos devem representar o melhor uso dos recursos espirituais pelo se refere a pessoas, materiais e finanças.

n Culturalmente Pertinente? - O que funciona numa nação pode não ser apropriado em outra. O que funciona com um grupo de pessoas pode ser rejeitado por outro.

 

3. Faça seu próprio estudo dos Evangelhos, Atos e Epístolas. Identifique os princípios adicionais da evangelização do Novo Testamento e exemplos dos princípios estudados nesta introdução.


CAPÍTULO OITO

 

OS MÉTODOS:

AS PARÁBOLAS DO NOVO TESTAMENTO

 

 

 

OBJETIVOS:

 

Ao concluir este capítulo você será capaz de:

 

n Escrever o Versículo-chave de memória.

n Definir a palavra “parábola”.

n Explicar porque Jesus usou parábolas.

n Identificar os princípios de evangelização nas parábolas ensinadas por Jesus.

 

VERSÍCULO-CHAVE:

 

“E com muitas parábolas semelhantes lhes expunha a palavra, conforme o permitia a capacidade dos ouvintes” (Marcos 4.33).

 

 

 

INTRODUÇÃO

 

Na lição anterior você estudou os métodos de evangelização do Novo Testamento. Há muitas parábolas do Novo Testamento que ensinam mais sobre o processo de evangelização. Uma parábola é uma história que usa um exemplo do mundo natural para ilustrar uma verdade espiritual. O significado real da palavra parábola “é colocar ao lado de, para comparar”. Nas parábolas, Jesus comparou exemplos naturais com verdades espirituais. Uma parábola é uma história terrena com um significado celestial.

 

Nesta lição você estudará as parábolas do Novo Testamento que ensinam os princípios de evangelização.

 

POR QUE PARÁBOLA?

 

Os discípulos perguntaram certa vez a Jesus por que Ele usou as parábolas para ensinar verdades espirituais:

 

“Então, se aproximaram os discípulos e lhe perguntaram: Por que lhes falas por parábolas?” (Mateus 13.10).

 

Jesus respondeu:

 

“Porque a vós outros é dado conhecer os mistérios do reino dos céus, mas àqueles não lhes é isso concedido” (Mateus 13.11).

 

O entendimento das verdades espirituais ensinadas nas parábolas se deu aos discípulos porque eles tinham mentes espirituais. Aqueles sem mente espiritual ouviram as parábolas e não as entenderam.

 

As verdades espirituais somente podem ser entendidas por uma mente espiritual:

 

“Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-as, porque elas se discernem espiritualmente” (1 Coríntios 2.14).

 

Um homem com uma mente espiritual é um que tem nascido de novo espiritualmente. Aqueles com mentes espirituais entendem as parábolas. Aqueles com mentes carnais, pecadoras não podem entender.

 

AS PARÁBOLAS SOBRE A EVANGELIZAÇÃO

 

Jesus disse muitas parábolas que envolvem a evangelização e explicam como o Reino de Deus se estenderá por todo o mundo. Estudas seguintes parábolas:

 

A Ovelha Perdida: Mateus 18:12-14; Lucas 15:4-7

A Moeda Perdida: Lucas 15:8-10

O Filho Perdido: Lucas 15:11-32

 

Estas parábolas revelam a preocupação de Deus para com o perdido e a urgência com que você deve buscá-os. Não importa por que eles estão perdidos. As ovelhas se extraviaram. A moeda foi perdida, talvez, por descuido. O filho estava perdido através de sua própria rebelião. Deus não está interessado em como os homens estão perdidos, somente que eles sejam encontrados. Você deve fazer todo esforço para encontrar aqueles perdidos no pecado. Você deve ir onde eles estão, não esperar para eles virem a você.

 

A Mesa do Banquete Vazia: Lucas 14:15-23

 

A evangelização não deve ser detida simplesmente porque alguns rejeitaram o convite do Evangelho. Você deve buscar aqueles que estão espiritualmente famintos e os levar ao banquete espiritual preparado pelo Senhor.

 

A Figueira Estéril: Lucas 13:6-9

 

A Figueira é um símbolo natural da nação de Israel. Deus levantou a Israel como uma nação através da qual Ele poderia revelar o Reino ao mundo. Deus tentou conseguir a nação através da qual Ele poderia revelar o Reino ao mundo. Deus tentou fazer a “árvore” de Israel dar fruto entre as nações pagãs, compartilhando seu conhecimento do verdadeiro Deus. Porém Israel permaneceria infrutífero e estéril. Agora Deus tem levantado a igreja para este propósito. Deus nutre aos crentes no esforço para fazê-os produtivos, assim como Ele fez a nação de Israel. Seu propósito é o mesmo: nós devemos “dar fruto” entre os pagãos compartilhando nosso conhecimento do verdadeiro Deus. Deus não está contente com árvores que não produzem o fruto.

 

Os Talentos: Mateus 25:14-30; Lucas 19:11-27

O Homem Que Saiu De Viajem: Marcos 13:34-37

Os Servos: Mateus 24:43-51; Lucas 12:39-46

Os Servos Vigilantes: Lucas 12:36-38

O Administrador Fiel: Mateus 25:14-30

 

Estas parábolas dos “servos” dão ênfase à mordomia sábia do Evangelho que foi confiado aos crentes. A cada crente se dá talentos ou habilidades especiais para estender o Evangelho. Não importa se suas habilidades são grandes ou pequenas, você deve usar o que Deus lhe tem dado. Quando Jesus voltar a terra, aqueles que tem usado suas habilidades adequadamente serão recompensados (Lucas 16:10-12).

 

O Semeador: Mateus 13:3-8; Marcos 4:3-8; Lucas 8:5-8

 

O Evangelho se estende semeando a semente da Palavra de Deus. Não pode haver nenhuma multiplicação sem a Palavra. O fruto depende da vida que está na própria semente (a Palavra de Deus) e na resposta do solo (a resposta do homem à Palavra de Deus). Haverá diversas respostas ao semear da Palavra. Sua responsabilidade é semear. Enquanto você semeia a semente da Palavra de Deus, algum solo estará pronto e dará uma colheita. Outro solo não será sensível e dará bem pouco. Até mesmo Jesus encontrou solos frios em Seu ministério terreno:

 

“Não pôde fazer ali nenhum milagre, senão curar uns poucos enfermos, impondo-lhes as mãos. Admirou-se da incredulidade deles. Contudo, percorria as aldeias circunvizinhas, a ensinar” (Marcos 6:5-6).

 

O Joio e o Trigo: Mateus 13:24-30

 

Enquanto você evangeliza e se agregam novos crentes à Igreja, Satanás tentará derrotar o processo. Ele semeará pessoas descritas como “joio” entre a boa semente do Reino de Deus. Algumas das pessoas que professam ser crentes e que entram na igreja através da evangelização não são sinceras. Elas são “joio” plantado por Satanás. Jesus não quer que você gaste tempo e esforço tentando separar o joio do trigo. Siga semeando a semente e evangelizando. Quando Jesus retornar, o joio será separado durante a colheita.

 

 

A Rede de Pesca: Mateus 13:47-50

 

Jesus comparou a evangelização a uma grande rede lançada ao mar. Todos os tipos de peixe entram, porém quando a rede é tirada os peixes bons são separados dos maus. O Reino de Deus colherá os homens e mulheres de todas as nações. Muitos entrarão. Alguns serão sinceros, outros não. No último juízo quando Deus tirar a rede, o bom e o mau serão separados. Você não é chamado para separar, você é chamado para pescar.

 

A Semente de Mostarda: Mateus 3:31-32; Marcos 4:31-32; Lucas 13:19

 

O Reino de Deus se multiplicará como a semente de mostarda. A semente de mostarda é muito pequena em seu começo, porém quando amadurece cresce até um grande tamanho. O Reino de Deus na terra teve um pequeno começo. Quando Jesus retornou aos céus depois do Seu ministério terreno, Ele deixou um pequeno grupo de seguidores para estender o Evangelho. Esse grupo pequeno de crentes tem se multiplicado a milhares de seguidores em muitas nações.

 

 

O Fermento: Mateus 13:33; Lucas 13:21

 

Como o fermento em um pouco de massa, o Evangelho se estenderá ao largo do mundo inteiro. Como o fermento, o poder do Reino não é externo, mas sim interno.

 

A Videira e os Ramos: João 15:1-16

 

Esta parábola descreve a relação entre Jesus, nós e o processo de evangelização. Ele é a videira espiritual e nós somos os ramos. Sem Ele nós não podemos dar frutos. Nós somente nos tornamos reprodutivos quando nós estamos atados ao fluxo da vida da Videira, Jesus. Ele quer podar sua vida de tudo o que não é reprodutivo para que você dê fruto espiritual que permanece.

 

A Colheita: Mateus 9:37-38; Lucas 10:2

 

Nesta parábola, o campo é o mundo. A colheita espiritual é a multidão de homens e mulheres preparados para responder à mensagem do Evangelho. Uma grande colheita espera ser segada pelos obreiros espirituais de Deus.

 

OUTROS PRINCÍPIOS DE EVANGELIZAÇÃO

 

Jesus ensinou outros princípios de evangelização em breves declarações:

 

 

A Luz do Mundo: Mateus 5:14-16; Lucas 8:16

 

O Evangelho se estenderá quando os crentes brilharem como luzes de uma cidade localizada num alto monte que pode ser vista de milhas ao redor. Nós devemos levar a luz do mundo (Jesus) a um mundo cheio de escuridão espiritual.

 

Sal da Terra: Lucas 14:34

 

Nos tempos da Bíblia, se esfregava o sal na carne para conservá-a da putrefação. Os crentes são o sal espiritual esfregado no mundo com a mensagem de preservação (salvação) que os salvará da putrefação (a morte espiritual) de pecado.

 

Os Tesouros No Céu: Mateus 6.19-21; Lucas 12.15

 

Os crentes não devem estar preocupados com tesouros do mundo. Quando nós compartilhamos o Evangelho, nós guardamos tesouros espirituais no céu.

 

A Porta Estreita: Mateus 7.14

 

Você não pode julgar o caminho correto somente pelo que se refere a números. O caminho ao inferno atrai a muitos enquanto poucos acharão o caminho à vida eterna.

 

Muitas Obras: Mateus 7:22

 

Algumas pessoas farão muitas obras maravilhosas. Porém, fazer grandes obras, necessariamente, não é o mesmo que fazer a vontade de Deus e realizar Seus propósitos. A obra de Deus deve ser feita por Seu povo da Sua maneira.

 

Pouco é Muito: Mateus 10.42; 14.15-21

Tudo o que é feito em nome de Jesus, inclusive o que parece ser pequeno, é produtivo. O milagre dos pães e dos peixes ilustra como Deus multiplica e usa o pouco que nós temos a oferecer. Isto é verdade acerca dos menores esforços de evangelização.

 

Crescimento Requer Mudança: Marcos 2:21-22; 7:13

 

Um novo crescimento requer mudança. Você não pode conter o novo em vasos velhos de tradição e estilos de vida pecadores. Homens que se apegam às tradições e se negam a mudar impedem o potencial poderoso do Evangelho.

 

Ganhe Perdendo: Marcos 8:34-37; 10:29-30

Receba Dando: Lucas 6:38

 

Os princípios mundanos ensinam que você ganha obtendo cada vez mais. Jesus ensinou que você ganha tudo quando perde tudo. O que parece ser perda no mundo natural é lucro no mundo espiritual. Quando você se dá à tarefa de evangelização mundial, você ganhará recompensas eternas.

 

A Morte Traz Vida: João 12.24

 

Para ser um discípulo reprodutivo você deve morrer aos desejos de sua carne. Você deve estar morto ao pecado e abandonar seu próprio caminho para seguir a Jesus semeando os campos de colheita espiritual do mundo.

 

RESUMO

 

Com respeito à evangelização, os ensinos de Jesus revelam que Ele não está contente com: pescar sem colher, uma mesa de banquete vazia, semear sem segar, uma árvore que não dá fruto, ovelhas perdidas não trazidas ao redil, uma moeda perdida que se busca, mas sem encontrar, um filho perdido que não retorna, servos improdutivos, terra espiritual fria, colheitas maduras que não se segam. Nosso Pai, que não deseja que uma só pessoa se perca, está interessado nos resultados através da evangelização:

 

“Não retarda o Senhor a sua promessa, como alguns a julgam demorada; pelo contrário, ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento” (2 Pedro 3.9).

 

 

 

TESTE O SEU CONHECIMENTO

 

1. Escreva o versículo-chave de memória.

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

 

2. Defina a palavra “parábola”.

_____________________________________________________________________

 

3. Por que Jesus usou parábolas para ensinar aos Seus seguidores?

_____________________________________________________________________

 

4. Descreva brevemente o princípio de evangelização ensinado em cada uma das seguintes parábolas:

 

n A Mesa de Banquete Vazia:

n A Figueira Estéril:

n A Ovelha, a Moeda, e o Filho perdidos:

n A Parábola dos Servos:

n O Semeador:

n O Joio e o Trigo:

n A Rede de Pesca:

n A Semente de Mostarda:

n O Fermento:

n A Videira e os Ramos:

 

(As respostas se encontram ao final do último capítulo deste manual).

 

 

 

PARA ESTUDO ADICIONAL

 

1. Continue seu estudo dos princípios de evangelização revelados nas parábolas do Novo Testamento. Use as referências dadas nesta lição para estudar cada uma das parábolas de Jesus em mais detalhe. Você pode descobrir princípios adicionais de evangelização?

 

2. Examine sua própria vida à luz do ensinamento sobre evangelização revelada nestas parábolas:

 

n Você está pescando sem colher?

_____________________________________________________________________

 

n Você está semeando sem segar?

_____________________________________________________________________

 

n Você está como uma árvore que não dá fruto?

_____________________________________________________________________

 

n Você está buscando a “ovelha perdida”?

_____________________________________________________________________

 

n Você é um servo produtivo?

_____________________________________________________________________

 

n A terra onde você está trabalhando é sensível?

_____________________________________________________________________

 

n Você está fazendo sua parte em segar a colheita espiritual em sua própria comunidade? Em sua nação? No mundo?

_____________________________________________________________________


CAPÍTULO NOVE

 

OS MÉTODOS:

EVANGELISMO PESSOAL

 

 

 

OBJETIVOS:

 

Ao concluir este capítulo você será capaz de:

 

n Escrever o versículo-chave de memória.

n Definir a evangelização pessoal.

n Listar três maneiras nas quais a evangelização pessoal é feita.

n Explicar como levar uma alma a Cristo.

 

VERSÍCULO-CHAVE:

 

“Muitos samaritanos daquela cidade creram nele, em virtude do testemunho da mulher, que anunciara: Ele me disse tudo quanto tenho feito” (João 4.39).

 

 

 

INTRODUÇÃO

 

Você aprendeu que os métodos do Novo Testamento para compartilhar o Evangelho incluíam o evangelismo pessoal e em massa. Nesta lição você aprenderá a fazer o evangelismo ou evangelização pessoal. No capítulo Dez você aprenderá a tratar com as dificuldades que você pode encontrar na evangelização pessoal.

 

O EVANGELISMO PESSOAL

 

O Evangelismo pessoal é o que o nome reflete: compartilhar o evangelho pessoalmente com indivíduos. É a evangelização um a um, pessoa a pessoa. A evangelização pessoal das seguintes maneiras:

 

TESTEMUNHO SILENCIOSO:

 

Você é uma testemunha silenciosa do Evangelho por seu estilo de vida cristão. Sua vida será um testemunho de algo, intencionalmente ou não. Se sua vida não está em harmonia com seu testemunho verbal do Evangelho, ela impede as pessoas de responder à salvação. Ainda que a conduta cristã seja o testemunho silencioso mais forte, algumas pessoas também levam enfeites ou colocam quadros com versículos em sua casa, negócio ou automóvel. Às vezes estas coisas levam a um testemunho verbal quando uma pessoa não cristã pergunta sobre elas.

 


FOLHETOS EVANGELÍSTICOS:

 

Os folhetos evangelísticas são mensagens curtas da Palavra de Deus impressas comercialmente em pequenos pedaços de papel. Eles são de pouco peso e baratos, podendo levar grandes quantidades e distribuí-os livremente a aqueles com quem você entra em contato.

 

Você pode dar um folheto evangelístico a qualquer um - àqueles com quem você faz negócio, amigos e parentes, inclusive às pessoas com quem você se encontra na rua. Você pode anexá-os nas cartas que você escreve e deixar nas bibliotecas, lojas, restaurantes e escritórios. Você também pode colocá-os nos ônibus, estações de ter ou de metrô, ou até mesmo em aviões.

 

Quando você entregar uma porção do Evangelho pessoalmente a alguém diga, “Aqui está algo bom para a leitura” ou “Aqui está algo que mudou a minha vida e eu gostaria de compartilhar com você”. Declarações como estas freqüentemente levam a um testemunho verbal do Evangelho.

 

Quando você selecionar os folhetos para a evangelização pessoal, considere as seguintes perguntas:

 

1.  O folheto responda pergunta que alguém realmente está fazendo? Se ele onde, as pessoas se interessarão em ler.

2.  É breve? A mensagem deve ser curta e concisa ou as pessoas podem se cansar de ler antes de concluir a mensagem.

3.  Fala positivamente, sem criticar outra fé?

4.  Usa idioma religioso que as pessoas não salvas não entenderiam?

5.  A tipo da letra é grande o suficiente para ser lido facilmente?

6.  O folheto compartilha a mensagem básica do Evangelho?

7.  Oferece uma oportunidade para responder e aceitar a Jesus Cristo como o Salvador?

 

Escreva seu nome, endereço e número de telefone em alguma parte do folheto para que, caso a pessoa queira ajuda espiritual adicional, ela possa contatá-lo. Muitos folhetos produzidos comercialmente proporcionam um espaço em branco para isso.

 

Um folheto não é um substituto para o testemunho verbal, porém um suplemento a ele. O valor de um folheto é que pode dar continuidade a seu testemunho depois que você vai embora.

 

TESTEMUNHO VERBAL:

 

Ainda que um testemunho silencioso e compartilhar o Evangelho com folhetos sejam igualmente eficazes, lembre-se que eles não são tudo o que a Grande Comissão exige. Ela exige que você compartilhe o Evangelho verbalmente.

 

O testemunho verbal na evangelização pessoal normalmente se faz numa base informal em lugar de uma pregação ou ensinamento formal. Ele pode ser feito por ir de casa em casa compartilhando o Evangelho. Ele pode ser realizado em casas para anciãos, hospitais, prisões, escolas, negócios e nos eventos evangelísticos especiais. Você pode compartilhar o Evangelho pessoalmente com os amigos, parentes, vizinhos e companheiros de escola e negócios. Você pode fazer a evangelização pessoal tornando-se um conselheiro numa cruzada em massa ou um obreiro na hora do apelo numa igreja local. Na evangelização pessoal, você pode compartilhar o Evangelho com qualquer um com quem você entra em contato.

A evangelização pessoal pode ser feita num estilo de entrevista, como Jesus fez com a mulher no poço em João 4. Você pode enfocar em algo que você observa uma pessoa fazer ou numa necessidade visível que você poderia ver que elas têm. Você pode fazer-lhes perguntas que insinuam a resposta e que proporcionam oportunidade de compartilhar o Evangelho.

 

A evangelização pessoal pode ser feita compartilhando com outros o testemunho do que Jesus tem feito em sua vida. Em João 4, a mulher Samaritana voltou à cidade e compartilhou sua experiência pessoal.

 

Como resultado, muitas pessoas vieram a encontrar-se com Jesus e ouvir o Evangelho. As Escrituras registram que...

 

“Muitos samaritanos daquela cidade creram nele, em virtude do testemunho da mulher, que anunciara: Ele me disse tudo quanto tenho feito” (João 4.39).

 

O testemunho da mulher foi breve, porque ela pouco conhecia do Senhor. Ela simplesmente disse, “Ele me disse tudo quanto tenho feito”. O que ela conhecia do Senhor era uma realidade para ela. Foi um conhecimento de primeira mão e Deus usou maravilhosamente as Suas palavras.

 

Deus abençoará o testemunho vacilante de um novo crente que conhecer pessoalmente o que ele fala mais do que a mensagem teologicamente correta de alguém que está pregando coisas que não são reais em seu próprio coração.

 

Compartilhar a história de como você veio a conhecer a Jesus e o que Ele significa para você é uma poderosa ferramenta evangelística. Seu testemunho tira a Jesus das páginas da Bíblia, para fora da religião e da igreja, e o apresenta vivo e ativo hoje. As pessoas podem rejeitar a Bíblia ou a religião,  porém elas não podem negar a realidade de uma verdadeira experiência. Uma pessoa armada com uma experiência nunca estará à mercê de alguém com um argumento!

 

Se você está nervoso sobre dar seu testemunho, é útil escrevê-lo e estudá-lo antes de compartilhá-lo com outros. Aqui estão algumas perguntas para pensar sobre como você prepara seu testemunho:

 

n O que o levou a começar a pensar sobre Deus?

n Como você veio a conhecer a Jesus?

n Que diferença faz conhecer o que Ele havia feito em sua vida?

n Que diferença ele tem representado em sua família?^

n Como sua vida tem mudado?

n Que coisas maravilhosas ou milagrosas têm ocorrido? (por exemplo, você foi curado ou foi libertado de drogas ou álcool?).

 

Depois de escrever seu testemunho, compartilhe-o primeiro com um amigo cristão. Peça-lhe para sugerir mudanças que possam ajudá-lo a levar um incrédulo ao Senhor. Então, pratique seu testemunho até que você possa compartilhá-lo sem usar as anotações.

 

A evangelização pessoal pode incluir o compartilhar de uma canção com alguém. O Salmista Davi escreveu:

 

“E me pôs nos lábios um novo cântico, um hino de louvor ao nosso Deus; muitos verão essas coisas, temerão e confiarão no SENHOR” (Salmos 40.3).

 

Segundo este versículo, a canção de louvor a Deus é um testemunho que pode produzir a salvação de muitos.

 

COMO LEVAR ALGUÉM A CRISTO

 

A meta de toda evangelização pessoal é conduzir homens e mulheres, rapazes e moças, a pedir o perdão de pecados e receber ao Senhor Jesus Cristo como Salvador. Durante os anos se tem desenvolvido muitos métodos para levar alguém a Jesus, método que usam diferentes números de pontos e várias abordagens para compartilhar o Evangelho.

 

Enquanto coisas assim planejadas possam ser úteis, nenhum método de evangelização funcionará em toda ocasião.  Cada pessoa a quem você testifica é diferente, com diferentes necessidades e problemas.

 

Estas diferenças requerem várias abordagens em lugar de usar pontos rotineiros memorizados. Você precisa ser sensível à liderança do Espírito Santo, pois Ele é quem atrai os homens à salvação. Ele sabe exatamente o que a pessoa a quem você está dando testemunho necessita, porque Ele sonda o coração do homem. Uma coisa que todas as pessoas não-salvas têm em comum, sem dúvida, é o pecado e a necessidade de um Salvador. Devido a isso, sem ter em conta como o Espírito Santo pode levá-lo a compartilhar o Evangelho, seu testemunho sempre deve enfocar na meta de levar a essa pessoa a Cristo.

 

Para alcançar isso, em alguma parte da apresentação, seu testemunho pessoal deve incluir o seguinte:

 

APRESENTAÇÃO - A MENSAGEM BÁSICA DO EVANGELHO:

 

Reveja o Capítulo Três deste manual que enfoca na mensagem da evangelização. Os elementos básicos do Evangelho são dados por Paulo em 1 Coríntios 15.1-4. Reveja esta passagem em sua Bíblia.

 

A mensagem básica é que todos os homens têm pecado por todas as partes, Jesus morreu por causa do pecado, foi sepultado e ressuscitou segundo as Escrituras.

 

Aqui estão alguns versículos úteis à apresentação do Evangelho:

 

n Deus é um Deus santo: 1 Pedro 1.16; Habacuque 1.13.

n Porque Ele é santo, o pecado separa os homens de Deus: Isaías 59.2.

n O pecado é universal; todos têm pecado: Romanos 3.10-12, 23.

n A penalidade para o pecado é a morte: Ezequiel 18.20; Romanos 6.23; Romanos 5.8; Salmos 9.17.

n Deus não está desejoso que ninguém se perca: 1 Pedro 3.9; João 3.16; Romanos 5.8.

n Para prover a salvação a todos os homens, Deus fez um sacrifício suficiente para todos: Hebreus 10.10; João 1.29; Gálatas 2.20.

n Jesus sofreu a penalidade do pecado para todos os homens quando Ele morreu na cruz: 1 Pedro 2.24; Isaías 5.6, 10.

n A oferta de salvação é universal: 1 Timóteo 2.4.

n A ordem para arrepender-se é universal: Atos 17.0.

n O Convite para crer é universal: Romanos 10.9-11.

n O pecador deve arrepender-se e deve aceitar a Jesus para beneficiar-se deste sacrifício pelo pecado: João 1.12; 5.24.

 

FECHAMENTO - CONVITE E RESPOSTA:

 

No mundo comercial, a palavra “fechar” é muito importante. “Fechar” significa concluir uma venda com uma resposta positiva do provável comprador. Fechar também é importante na evangelização pessoal.

 

Quase persuadir alguém a aceitar a Jesus não é bastante parta salvá-a do inferno. Como numa negociação que demora em ser fechado, esperar para fazer uma decisão depois freqüentemente resulta numa resposta negativa.

 

Os líderes no mundo dos negócios ensinam que fechar uma transação começa no minuto em que eles iniciam sua técnica de venda com o provável comprador. Eles conseguem que a pessoa faça acordos pequenos com eles ao longo da apresentação. Isto leva ao acordo final para comprar seu produto.

 

Esta abordagem pode aplicar-se espiritualmente à evangelização. Enquanto você compartilha o Evangelho, leve à pessoa não-salva a pequenos acordos. Isso pode ser feito fazendo as seguintes perguntas:

 

n O que você acha?

n Você tem pensado sobre...?

n Você pensa que as pessoas sentem que...?

n Você acha que isso é raro?

n Isso já aconteceu com você?

n Você já teve esse problema?^

 

Mantenha a pessoa participando na conversação. Proporcione um pouco de informação e então faça uma pergunta que requer uma resposta. Jesus usou esta técnica com uma mulher no poço em João 4 e com Nicodemos em João 3.

 

Enquanto você conclui sua apresentação, construa sobre suas próprias respostas para fechar com uma resposta positiva final ao Evangelho. Compartilhar o Evangelho sem proporcionar uma oportunidade de responder é dar testemunho, porém não é evangelização. Nós somos chamados a ganhar, não somente para testificar.

 

Fechar sua apresentação do Evangelho é perguntar, de alguma maneira, duas coisas:

 

1.  “Você entendo que eu falei?” Isso proporciona a oportunidade de esclarecer qualquer dúvida ou objeções e assegurar-se de que a pessoa entendeu antes de você requerer a última resposta.

2.  “Você gostaria de aceitar a Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador?” Guie a pessoa em uma oração pedindo perdão dos pecados e aceitando a Jesus Cristo como Salvador. Sempre recorde que na evangelização pessoal você está fazendo muito mais do que vender um produto ou promover uma igreja ou denominação. Você está tratando do destino eterno das almas. A entrada no Reino de Deus é similar a aceitar um convite para as bodas, como Jesus implicou em Sua parábola sobre as bodas em Mateus 22.2-5. Somente aqueles que respondem positivamente ao convite podem entrar. Não é suficiente dizer, “eu planejo ir”.

 

Quando Jesus disse aos Seus discípulos, “Sigam-me, e eu os farei pescadores de homens” (Mateus 4.19), Ele estava dando um exemplo natural de uma verdade espiritual. Nenhum pescador simplesmente Lanza sua linha ou rede. Ele também deve lançar para pegar alguma coisa.

 

ACOMPANHAMENTO - DISCIPULADO:

 

Na Grande Comissão registrada em Mateus 28.19-20, há dois tipos de ensino mencionados.

 

Primeiramente está o compartilhar do Evangelho pata levar as pessoas à salvação. O segundo é o ensinamento dos novos convertidos depois que recebem ao Senhor. A evangelização (o primeiro tipo de ensino) não está completo sem o discipulado (o segundo tipo).

 

Todos os novos convertidos devem receber o ministério de acompanhamento depois de terem recebido a Jesus como Salvador. Acompanhamento imediato inclui convicção de salvação, confessar a Cristo publicamente, batismo nas águas, enchimento do Espírito Santo, desenvolvimento de uma vida devocional, e tornar-se parte de uma igreja local.

 

Você aprenderá mais sobre o acompanhamento no Capítulo Treze intitulado “Decisões ou Discípulos?”

 

 

TESTE SEU CONHECIMENTO

 

1. Escreva o versículo-chave de memória.

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

 

2. Defina a evangelização pessoal.

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

 

3. Liste três maneiras nas quais a evangelização pessoal é feita.

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

 

4. Explique como levar alguém a Cristo.

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

 

(As respostas se encontram ao final do último capítulo neste manual).

PARA ESTUDO ADICIONAL

 

1. Muitas pessoas não-salvas vivem em nações fechadas às abordagens evangelísticas tradicionais. Não se concedem vistos aos missionários estrangeiros e não pode haver nenhuma proclamação aberta ao Evangelho em cruzadas ou eventos semelhantes.

 

Nestas nações, a evangelização pessoal é muito importante. Uma maneira pela qual os crentes evangelizam nestas nações é por algo chamado “fabricação de tendas”. Você aprendeu como o apóstolo Paulo trabalhou para sustentar-se através de sua profissão de fabricar tendas.

 

Nas nações fechadas à evangelização tradicional, os crentes estão entrando agora com vistos de trabalho, adquirindo empregos para sustentar-se, e compartilhando então o Evangelho pessoalmente com aqueles ao redor deles. Ainda que estes crentes estejam fazendo trabalho “secular”, seu trabalho principal é a evangelização pessoal. Este conceito de compartilhar o Evangelho se chama “fabricação de tendas”.

 

2. Quando você faz a evangelização pessoal, você encontrará muitas pessoas diferentes de várias crenças religiosas. O Comitê de Lausane Para a Evangelização Mundial preparou uma série de livretos com sugestões para evangelizar os budistas, hindus, mulçumanos, marxistas, refugiados, judeus e os movimentos religiosos tradicionais e novos. Peça um catálogo das “Monografias de Lausane Para a Evangelização Mundial”, P.O. Box 2308, Charlotte, Carolina do Norte, 28111, EUA.

 

3. Quando você está fazendo evangelismo pessoal, tenha o cuidado quanto a usar termos ou frases religiosas que uma pessoa não-salva não possa entender. Estes poderiam incluir “salvo, nascido de novo, cheio do Espírito, cristão, aleluia”, etc. Muitas destas palavras são comuns a você como um crente, porém os não-salvos não os entendem.

 

4. Na evangelização pessoal, não hesite em compartilhar o Evangelho com as crianças. Faça uma simples apresentação dos elementos básicos do Evangelho. Se eles podem entender estes, você pode exigir uma resposta e levá-os a Jesus.

 

5. Você pode transformar conversações comuns em oportunidade de compartilhar o Evangelho. Aqui estão algumas sugestões:

 

* * *

Quando alguém pergunta: “você poderia dizer-me que horas são?”

Responda: “Segundo meu relógio ou segundo a Bíblia?”

Continua a conversa: Dê a hora real, porém compartilhe também o que a Bíblia fala do tempo. Diga que é tempo de todos que não conhecem ao Senhor se arrependerem e voltar-se para Ele.

 

* * *

Quando alguém pergunta: “O que há de novo?”

Responda: “Que tipo de notícias você quer ouvir? Boas notícias ou más notícias?”

Continue a conversa: A resposta da pessoa provavelmente será “boas notícias” - assim, compartilhe as boas notícias do Evangelho.

 

* * *

Quando alguém esbarrar acidentalmente com você e disser: “Desculpe-me. Eu sinto muito”.

Responda: “Tudo bem. Acidentes acontecem com todos. Ou talvez não tenha sido um acidente...”.

Continue a conversa: “Talvez isto tenha acontecido para que eu pudesse compartilhar algo muito especial com você”.

 

* * *

Quando um empregado lhe dá um troco maior que o devido, devolva o dinheiro e diga:

“Você me deu muito troco”.

Continue a conversa: “Houve um tempo em minha vida quando eu não teria devolvido, porém desde que me tornei um cristão as coisas tem mudado”. Então compartilhe como o Evangelho teve impacto em sua vida.

 

* * *

Quando um empregado de uma loja pergunta: “Posso ajudá-lo?”

Responda: “Sim, se você me permitir ajudá-lo também”.

Continue a conversa: O empregado provavelmente perguntará, “Como você pode ajudar-me?” Diga-lhe!

 

* * *

Quando alguém lhe pedir um cigarro, diga: “Eu não uso desde a explosão”.

Continue a conversa: É quase certeza que a pessoa perguntará, “Que explosão?”

Responda, “A que teve lugar em minha vida, quando eu me tornei um cristão”.

 

* * *

Quando você responde um telefone e a pessoa diz, “Sinto muito. Eu errei o número”.

Responda: “Não, você realmente ligou o número certo”.

Continue a conversa: Ela provavelmente dirá, “O que você quer dizer?” Diga-lhe que talvez isto aconteceu para proporcionar-lhe uma oportunidade de ouvir e falar de algo que pode mudar sua vida e destino eterno.

 

* * *

Você pode pensar em outras oportunidades singulares que cada contato do dia poderia proporcionar ao que se refere a compartilhar o Evangelho? Pense sobre isto, prepare algumas respostas de si mesmo, e esteja pronto a usá-as.

 

Sempre relembre que, sem dúvida alguma, nem toda abordagem é apropriada para toda situação. Esteja aberto à liderança do Espírito Santo.  A abordagem Dele sempre é a correta!

 

6. Você entenderá a importância da evangelização pessoal quando você considera o seguinte:

 

n Evangelismo de massa é importante, porém muitas pessoas não virão ouvir ao evangelista. Não há evangelistas de massa o suficiente e há muitos paises onde este método não é permitido devido às leis governamentais.

n O Evangelismo radiofônico é eficaz, porém a maioria das pessoas do mundo não possui rádio. Quando os governos anticristãos estão no poder, eles eliminam esta abordagem.

n Evangelismo pela televisão é eficaz, porém a maioria das pessoas do mundo não possui televisão. Quando os governos anticristãos estão no poder, eles eliminam esta abordagem.

n Evangelização pela literatura tem o seu lugar, porém muitas pessoas não podem ler, não há bastante literatura disponível e nós não podemos entrar com literatura cristã em algumas nações.

n Evangelização centrada no templo da igreja tem o seu lugar, porém muitos não possuem edifícios de igreja. Não há tempo ou dinheiro para erigir edifícios suficientes para evangelizar o mundo por este meio. Muitos países proíbem edifícios cristãos.

 

Todos os outros métodos de evangelização combinados nunca evangelizarão o mundo sem a evangelização pessoal.

 

7. Estuda evangelização pessoal feita por Jesus:

 

n André, João e Pedro: João 1.35-42.

n Felipe e Natanael: João 1.43-51.

n A mulher samaritana: João 4.

n O nobre: João 4.46-54.

n O chamado de Simão, André, João e Tiago: Lucas 5.1-11.

n Um leproso: Marcos 1.40-45.

n O paralítico levado por seus amigos: Marcos 2.1-12.

n O chamado de Mateus: Marcos 2.13-17.

n O homem débil de Betesda: João 5.

n O homem com a mão mirrada: Lucas 6.6-11.

n O centurião: Lucas 7.1-10.

n A viúva de Naim: Lucas 7.11-17.

n A mulher pecadora na casa de Simão: Lucas 7.36-50.

n Jairo e sua família: Marcos 5.21-43.

n A mulher com um problema de sangue: marcos 5.25-34.

n Os dois homens cegos: Mateus 9.27-31.

n O mudo endemoninhado: Mateus 9.32-34.

n A mulher siro-fenícia: Mateus 15.21-28.

n O homem surdo e mudo: Marcos 7.32-37.

n O homem cego perto de Betsaida: Marcos 8.22-26.

n O jovem endemoninhado: Marcos 9.14-29.

n A mulher pega em adultério: João 8.1-11.

n Os três discípulos prováveis: Lucas 9.51-62.

n O advogado: Lucas 10.25-37.

n O homem nascido cego: João 9.

n A mulher curvada: Lucas 13.10-21.

n O jovem rico: Mateus 19.16-22.

n Os homens cegos perto de Jericó: Marcos 10.46-52.

n Zaqueu: Lucas 19.1-10.

n Judas Iscariotes: Lucas 22, João 13, Mateus 27.

n Pilatos: João 18 a 19, Lucas 23.

n Herodes: Lucas 23, Marcos 15

n Os dois ladrões: Lucas 23.32-43.

 

8. Estuda evangelização pessoal no livro de Atos:

 

n Pedro e João com o homem coxo: 3.1-11

n Felipe com Simão, o mágico: 8.9-24.

n Ananias e Saulo de tarso: 9.10-20.

n Pedro com Enéas e Dorcas: 9.32-42.

n Pedro com Cornélio: 10.1-11, 18.

n Paulo com Elimas: 13.6-12.

n Barnabé e Saulo com Sérgio Paulo: 13.7-12.

n Paulo e Silas com Lídia: 16.12-15.

n Paulo e Silas com o carcereiro de Filipos: 16.23-40.

n A evangelização de casa em casa de Paulo em Éfeso: 20.17-35.

n Paulo com Félix e Drusila: 24.24-27.

n Paulo com o Rei Agripa: capítulo 26.

n Paulo com Públio e seu pai: 28.7-11.

n Paulo em sua própria casa em Roma: 28.16-31.

 


CAPÍTULO DEZ

 

OS MÉTODOS:

TRATANDO COM AS DIFICULDADES

 

 

 

OBJETIVOS:

 

Ao concluir esta lição você será capaz de:

 

n Escrever o versículo-chave de memória.

n Explicar por que as pessoas dão desculpas.

n Tratar com as dificuldades comuns que se levantam na evangelização pessoal.

 

VERSÍCULO-CHAVE:

 

“Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis” (Romanos 1:20).

 

 

 

INTRODUÇÃO

 

Esta lição provê diretrizes para tratar com as situações difíceis que você pode encontrar na evangelização. Não é possível cobrir cada dificuldade que você poderia ter, porém nós temos enfocado nos problemas mais comuns.

 

Recorde que estas são apenas sugestões para tratar com as dificuldades baseadas nas  experiências daqueles que estão comprometidos na evangelização. É importante que você conte primeiramente com o poder do Espírito Santo nas situações difíceis, pois casa um é único.

 

ENTENDENDO POR QUE AS PESSOAS SÃO DESCULPAS

 

É útil se você entende por que as pessoas dão desculpas ou fazem objeções em encontros de evangelização. Às vezes Satanás insere perguntas ou objeções na mente de uma pessoa. Sempre recorde que você está numa guerra espiritual pelas almas de homens e mulheres.

 

Algumas pessoas levantam objeções que não são delas mesmas. Elas têm ouvido outra pessoa levantá-as e elas simplesmente estão retardando ou estão tentando sair do assunto. Outros levantam objeções que realmente estão impedindo-lhes de tomar uma decisão por Cristo. Estas devem ser tratadas com êxito antes que as pessoas possam aceitar o Evangelho.

 

A Palavra de Deus pode responder cada desculpa ou objeção. Nunca permita que as objeções inflamem sua ira ou force-o a uma argumentação. Quando isto acontece você perde o controle do encontro de evangelização e a desculpa alcança seu propósito.

 

O resto desta lição é organizado por títulos que descrevem as várias respostas que você poderia receber enquanto compartilhando o Evangelho. Enquanto você estuda estas respostas (desculpas), relembre o que Deus disse sobre as desculpas:

 

“Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis” (Romanos 1.20).

 

 

“EU NÃO SOU BOM O SUFICIENTE” OU “EU SOU UM GRANDE PECADOR”

 

Algumas pessoas sentem que elas não são boas o suficiente para vir ao Senhor e elas querem esperar até que façam uma automelhoria.

 

Mostre-lhes que Deus exige fé, não uma atitude moral. Jesus entrou no mundo para salvar os pecadores, não o justo (Mateus 9.12-13; Lucas 18.19). A reforma exterior não é suficiente se o coração permanece inalterado. Use os seguintes versículos: Isaías 1.18-19; Atos 2.38; 1 Timóteo  1.15; 1 João 1.7; João 6.37; Apocalipse 22.17; romanos 5.8, 16, 20.

 

“A VIDA CRISTÃ É MUITO DIFÍCIL”

 

Mostre-lhes que o “o caminho dos pérfidos é intransitável” (Provérbios 13.15). Jesus ensina que Seu jugo é suave e seu fardo é leve (Mateus 11.28). Os prazeres do pecado são apenas para um momento curto, porém a alegria real e duradoura vem pela salvação (1 Pedro 1.5 e Judas 24).

 

“EU NÃO POSSO DEIXAR MEUS CAMINHOS MAUS”

 

Esteja de acordo com ele e compartilha um resumo de Romanos 7, que está de acordo com a sua declaração. Então, determine que se o problema é que ele “não pode” ou se é que ele “não quer”. Explique que quando alguém se tornar um seguidor de Jesus, ele pode fazer todas as coisas através do poder do Espírito Santo (Filipenses 4.13). Enfatize que o pecado é escravidão e que a única maneira de escapar dele é por meio do sangue de Jesus (João 8.34; Romanos 7-8).

 

“MEU CORAÇÃO É MUITO DURO”

 

Pergunte-lhe: “se fosse possível ser transformando, você o desejaria?” Então compartilhe Ezequiel 36.26-27 e João 6.37.

 

“EU TEREI MUITA COMPANHIA NO INFERNO”

 

Isto é verdade, porém mostre-lhe que tipo de companhia será, usando Apocalipse 22.15. Compartilhe com ele que o companheirismo de amigos ou parentes não diminuirá a dor descrita em Apocalipse 20.10.

 

“EU NÃO CREIO NA BÍBLIA” OU “EU NÃO ENTENDO A BÍBLIA”

 

Explique que ninguém entende tudo completamente, porém a resposta que Deus requer com respeito à salvação é muito fácil de ser entendida. Explique que há algumas coisas que não se podem entender até que a pessoa se torne um cristão. (Veja 1 Coríntios 2.14).

 

Veja se há alguma dificuldade em entender João 3.16; Atos 16.31; 2.38; 3.19; Romanos 10.9-10; Atos 22.16 e 6.1-4. Também use os versículos seguintes: João 7,17; 1 João 5.9-12; Marcos 16.16; 2 Timóteo 3.16-17.

 

“HÁ MUITAS CONTRADIÇÕES NA BÍBLIA”

 

Às vezes as pessoas tem ouvido outras usarem esta desculpa e estão somente repetindo o que elas têm ouvido. Peça-lhes que lhe mostre uma das contradições. Normalmente a pessoa não pode fazer isso. Se elas lhe mostram o que elas pensam ser uma contradição, explique-a. Se você não sabe a resposta, encontre-a!

 

“EU ESTOU FAZENDO O MELHOR QUE EU POSSO” OU

“JÁ SOU SUFICIENTEMENTE BOM”

 

Isto pode ser verdade ao que se refere às normas morais e às boas ações, porém nós não somos salvos baseando-nos nestas coisas. Use os seguintes versículos: Isaías 64:6; Efésios 2:8-9; Tito 3:5; 1 João 1:7; Atos 17:30; 22:16; Filipenses 3:4-7; Romanos 2:1; 14:13.

 

“OUTROS ESTÃO NO MEIO CAMINHO”

 

Uma pessoa pode usar a desculpa que um parente ou um amigo objetaria ou riria dela se ela se tornasse um cristão. Leia as advertências em Lucas 9.26; Romanos 14.12; e Atos 5.29. Permita-lhe saber que a perseguição será esperada (2 Timóteo 2.12; 3.12; 2 Coríntios 4.16, 18). Ela também pode dizer que querem esperar por mais alguém, como o marido ou a esposa. Use Mateus 10.37. Ela pode temer perder seus amigos pecadores se elas se tornar um cristão. Compartilhe Tiago 4.4; Salmos 1.1-2 e Provérbios 18.24.

 

“HÁ HIPÓCRITAS NA IGREJA”

 

Esteja de acordo com a pessoa. Jesus disse que isto seria assim (Mateus 13.25, 47). Porém, isto não afeta as demandas de Cristo sobre sua própria alma. Mostre-lhe que nenhum hipócrita estará no Céu (Apocalipse 21.8).

 

Talvez outros crentes a tenham ferido. Recorde-lhe que 1 Coríntios 2.5 nos diz que nossa fé descansa em Deus e não no homem. Recorde-lhe que ela responderá por si mesma no dia do juízo, não pelos outros. Compartilhe Romanos 2.1-5 e Apocalipse 20.12.

 

“EU NÃO POSSO DECIDIR A QUE DENOMINAÇÃO ME UNIR” OU

“EU JÁ SOU DE OUTRA CRENÇA - RELIGIÃO”.

 

Mostre-lhe que a Bíblia não nos ordena que nos unamos a uma denominação, porém para que nos tornemos parte da única verdadeira igreja através da experiência do Novo Testamento. Não convida ninguém para unir-se a uma denominação, se não a obedecer a Jesus e tornar-se parte do Corpo de Cristo (Atos 2.47). Recorde-lhe que a salvação só está em Jesus, não na membresia da igreja (Atos 4.12).

 

“É MUITO TARDE PARA MIM”

 

Esta desculpa pode ser oferecida por alguém que se considera um grande pecador e/ou alguém que tem vivido sua vida inteira no pecado e agora já é bastante velho. Mostre-lhe que Deus não quer perde ninguém (2 Pedro 3.9) e que, inclusive, o ladrão na cruz foi salvo nos últimos momentos de sua vida (Lucas 23.43).

 

“EU PREFIRO NÃO ACEITAR A CRISTO AGORA”

 

Leia os seguintes versículos para a pessoa: Isaías 55:6; Mateus 24:44; Atos 17:30; 22:16; 2 Coríntios 6:2; Josué 24:15; 1 Reis 18:21; Hebreus 2:3; Tiago 4:13-14.

 

“MEUS PROBLEMA SÃO DIFÍCEIS DEMAIS”

 

Deus é a resposta aos problemas difíceis. Compartilhe 2 Coríntios 12:9-10; Mateus 19:26; Filipenses 4:13.

 

“EU TENHO BUSCADO, PORÉM NÃO PUDE ENCONTRAR”

 

Algumas pessoas dizem que elas têm buscado uma experiência com o Senhor, porém têm sido incapazes de encontrá-a. Compartilhe os seguintes versículos: Jeremias 29:13; Lucas 19:10; João 1:12.

 

“DEUS É MUITO BOM PARA CASTIGAR-ME”

 

Compartilhe Romanos 2:4-5; 2 Pedro 3:9-11; João 5:40; Ezequiel 33:11.

 

“EU NÃO POSSO PERDOAR UMA PESSOA”

 

As pessoas freqüentemente usam a desculpa de que elas não podem perdoar alguém que lhe fez mal, por isso elas não podem ser salvar. É verdade que isto pode ser impossível para a mente de um não-regenerado, porém, como um cristão, Deus pode ajudá-las a perdoar. Compartilhe Marcos 11.25 e Tiago 4.6.

 

“NÃO É POSSÍVEL DEVIDO A MEU NEGÓCIO”

 

Algumas pessoas usam esta desculpa porque elas pensam que se tornar um crente significa que elas têm que deixar seu trabalho e entrar de tempo integral no ministério. Explique que isto não é assim. Pergunte-lhe em que ramo de negócio ela está. Se sua profissão não se conforma aos princípios cristãos, então será necessário deixá-a. É melhor fazer isto que perder sua alma. Compartilhe Marcos 8.36.

 

“EU JÁ TENTEI UMA VEZ E FALHEI” OU “EU ESTOU COM MEDO DE FALHAR”

 

Felicite a pessoa pela sinceridade em preocupar-se com o fracasso, porém mostre-lhe que Deus tem prometido o poder para ajudar-lhe a superar o pecado. Compartilhe os seguintes textos: Romanos 8:37; 1 Coríntios 10:13; 1 Pedro 1:5; 2 Timóteo 1:12; e Hebreus 13:5.

 

Considere as razões pelas quais ela possa ter falhado. Ela tentou em lugar de confiar em Deus? Ela encobriu seu pecado em lugar de confessá-os? Ela agiu da maneira do mundo e não como a Palavra de Deus ensina? Ela leu a Bíblia, orou e participou regularmente da igreja?

 

Crie esperança e anime que ela tente de novo. Recorde-lhe que as misericórdias de Deus se renovam a cada dia e ela nunca falta (Lamentações 3.21-24). Também compartilhe 2 Coríntios 9.8; 12.9; 1 João 1.9; Judas 24; 2 Timóteo 1.12; 1 Pedro 1.5. É o confiar, não o tentar, que traz a salvação. Compartilhe João 1.12 e Romanos 4.3-5.

 

“EU NÃO TENHO CONVICÇÃO”

 

Às vezes quando você tem levado uma pessoa ao Senhor, ela não tem a convicção de salvação. Diga-lhe que se negar a crer na Palavra de Deus é pecado (Romanos 14.23). Compartilhe os seguintes versículos sobre a convicção de salvação: João 1:12; 3:16, 18, 36; 5:24; Atos 10:43; 13:39; Efésios 1:17-20; 2:8; Judas 24, 2 Timóteo 1:12; 1 Pedro 1:5, 18-19; 1 Juan 1:7; 5:13; Hebreus 9:22-10:22; 2 Coríntios 5:17; Romanos 5:1,9; 3:25; 8:16.

 

REJEIÇÃO TOTAL

 

Leia Lucas 10.10-12. Quando você está evangelizando e o Evangelho é totalmente rejeitado, você deve seguir às outras pessoas ou áreas que são mais receptíveis.

 

 

 

TESTE SEU CONHECIMENTO

 

1. Escreva o Versículo-chave de memória.

_____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

 

2. Por que as pessoas dão desculpas nos encontros de evangelização? _____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

 

3. Como você trataria das seguintes dificuldades comuns que se levantam na evangelização pessoal?

 

Escreva suas resposta numa folha de papel separada.

 

“Eu não sou bom o suficiente” ou “eu sou um grande pecador”

“A vida cristã é muito difícil”

“Eu não posso deixar meus caminhos maus”

“Meu coração é muito duro”

“Eu terei muita companhia no inferno”

“Eu não creio na Bíblia” ou “eu não entendo a Bíblia”

“Há muitas contradições na Bíblia”

“Eu estou fazendo o melhor que eu posso” ou “Já sou suficientemente bom”

“Outros estão no meio caminho”

“Há hipócritas na igreja”

“Eu não posso decidir a que denominação me unir” ou “eu já sou de outra crença - religião”.

“É muito tarde para mim”

“Eu prefiro não aceitar a Cristo agora”

“Meus problema são difíceis demais”

“Eu tenho buscado, porém não pude encontrar”

“Deus é muito bom para castigar-me”

“Eu não posso perdoar uma pessoa”

“Não é possível devido a meu negócio”

“Eu já tentei uma vez e falhei” ou “eu estou com medo de falhar”

“Eu não tenho convicção”

 

(As respostas se encontram no final do último capítulo deste manual).

 

 

 

PARA ESTUDO ADICIONAL

 

Aqui estão algumas coisas para recordar quando você está trabalhando com as dificuldades na evangelização:

 

1. Recorde que você está comprometido numa batalha espiritual pelas almas dos homens e mulheres. Não lute uma batalha espiritual com armas carnais de debate e ira.

 

2. Não descarte uma objeção como sem importância. Pode ser mui importante à pessoa.

 

3. Não gaste tempo demasiado numa desculpa. Trate rapidamente com ela, suavemente, e eficazmente, então volte ao ponto principal da discussão que é seu compromisso com Cristo.

 

4. Não discuta.

 

5. Não se ponha irado.

 

6. Seja atento e diplomático.

 

7. Conte com o Espírito de Deus e a Palavra de Deus.

 

8. Siga voltando ao ponto principal.

 

9. Não critique.

 

10. Não condene.

 

11. Não se desencoraje ou desista.


CAPÍTULO ONZE

 

OS MÉTODOS:

EVANGELISMO DE SATURAÇÃO

 

 

 

OBJETIVOS:

 

Ao concluir este capítulo você será capaz de:

n Escrever o versículo-chave de memória.

n Definir a “evangelização de saturação”.

n Resumir a base bíblica da evangelização de saturação.

n Discutir os princípios básicos da evangelização de saturação.

n Discutir o modelo da evangelização de saturação.

n Explicar como um pastor local pode preparar sua congregação para a evangelização de saturação.

 

VERSÍCULO-CHAVE:

 

“Por força de sinais e prodígios, pelo poder do Espírito Santo; de maneira que, desde Jerusalém e circunvizinhanças até ao Ilírico, tenho divulgado o evangelho de Cristo” (Romanos 15:19).

 

 

 

INTRODUÇÃO

 

“Saturar” significa “encher completamente de algo que penetra”. A evangelização de saturação é uma abordagem para estender o Evangelho que funciona como o fermento na massa do pão. Seu propósito é estender o Evangelho até que uma área inteira seja penetrada e afetada. Começando primeiro em uma comunidade local (sua Jerusalém), a evangelização de saturação se estende para penetrar seu estado ou província e eventualmente sua nação.

 

A BASE BÍBLICA DA EVANGELIZAÇÃO DE SATURAÇÃO

 

A frase “evangelização de saturação” não se encontra na Bíblia, porém evangelismo, evangelismo pessoal ou evangelização de massa tampouco. A ênfase do Novo Testamento está na obra de evangelização ainda que estes termos específicos não sejam usados.

 

Sem dúvida, a evangelização de saturação é ilustrada bem no Novo Testamento. O concílio da cidade informou que os apóstolos haviam enchido Jerusalém de sua doutrina (Atos 5.28). Igrejas foram edificadas em toda Judéia, Galiléia e Samaria. Todos que viviam em Lida e Sarom se converteram ao Senhor e toda a Jope estava informada sobre o Evangelho (Atos 9.31, 35, 42).

 

Milhares de judeus se converteram ao Senhor (Atos 21.20). Em Antioquia da Pisidia e em Éfeso se registram que “divulgava-se a palavra do Senhor por toda aquela região” (Atos 13.49).

 

Todos os que viviam na Ásia ouviram a Palavra de Deus (Atos 19.10) e talvez o maior registro sobre a evangelização de saturação veio da pena do Apóstolo Paulo:

 

“Por força de sinais e prodígios, pelo poder do Espírito Santo; de maneira que, desde Jerusalém e circunvizinhanças até ao Ilírico, tenho divulgado o evangelho de Cristo,  esforçando-me, deste modo, por pregar o evangelho, não onde Cristo já fora anunciado, para não edificar sobre fundamento alheio;  antes, como está escrito: Hão de vê-lo aqueles que não tiveram notícia dele, e compreendê-lo os que nada tinham ouvido a seu respeito” (Romanos 15.19-21).

 

OS PRINCÍPIOS BÁSICOS DE EVANGELIZAÇÃO DE SATURAÇÃO

 

A evangelização de saturação é baseada nos seguintes princípios:

 

UMA COLHEITA ABUNDANTE REQUER UMA SEMEADURA ABUNDANTE:

 

O apóstolo Paulo disse à igreja de Corinto:

 

“E isto afirmo: aquele que semeia pouco pouco também ceifará; e o que semeia com fartura com abundância também ceifará” (2 Coríntios 9.6).

 

Aplicado à evangelização, esta lei da colheita significa que somente a igreja que trabalha na evangelização pode esperar segar a colheita de almas perdida. Não importa quão boa seja a semente, quão fecunda seja a terra, o quão hábil seja o agricultor, ele não pode segar sem primeiro semear. Pastores e igrejas que não semeiam na evangelização não colhem os resultados da evangelização. A evangelização de saturação requer que você inverta tempo, pessoas, esforços, orações, lágrimas e recursos na evangelização.

 

UMA MINORIA DEDICADA PODE CAUSAR IMPACTO EM UMA NAÇÃO

 

O registro bíblico revela que Deus prefere trabalhar não através de muitos, senão por meio de poucos. Você recordará que Deus enviou os guerreiros extras do exército de Gideão para casa e usou uma quantidade pequena de 300 homens. Foram necessários somente uns discípulos cheios do Espírito para “colocar o mundo de cabeça para baixo” (Atos 17.6, segundo o original) e isto é o que precisamos hoje.

 

Ainda quando cada crente se mobiliza para a evangelização, em algumas cidades e nações, eles ainda seriam uma minoria comparada com a população total. Porém isso não impede a evangelização de saturação.

 

Quando Deus faz grandes coisas através de umas pessoas, toda a glória vai para Ele no lugar do homem.

 


CADA CRENTE DEVE SER MOBILIZADO:

 

A evangelização de saturação requer que cada crente seja motivado e mobilizado à tarefa de evangelização. Esta mobilização envolve uma relação vertical de Deus para você, motivando a ter compaixão para com um mundo perdido e agonizante. Também requer uma relação horizontal de uma pessoa com outra. Quando Deus o move por Seu Espírito, seu zelo se torna contagioso e se estenda outros.

 

Tradicionalmente, a evangelização tem se centrado ao redor do pastor. Na evangelização de saturação, a ênfase muda do púlpito ao assento. Todavia não é um movimento que coloca o pastor de lado, pois seu papel como o líder é mais importante do que nunca. Ele é o que mobilizará a congregação local.

 

A evangelização da igreja para a evangelização deve ser baseada no conceito bíblico dos dons espirituais, com cada membro funcionando numa área em que ele é capacitado. (O Curso do Instituto Internacional Tempo de Colheita, “Metodologias de Multiplicação”, explica a mobilização baseada nos dons em detalhe).

 

A MOBILIZAÇÃO SE DÁ DENTRO DA IGREJA:

 

Na evangelização de saturação quando nós falamos da igreja, nós queremos dizer a congregação local, a igreja como uma denominação ou grupo de igrejas, e a igreja como a comunidade universal inteira dos verdadeiros crentes. A evangelização de saturação deve envolver a igreja local, porém deve estender-se também aos níveis denominacionais. Se cada igreja local e cada denominação se dedicassem a tal evangelização com profundidade, isto produziria a mobilização da comunidade universal dos verdadeiros crentes.

 

O básico a este enquadramento de mobilização é a convicção de que a Igreja é o canal que Deus há escolhido para revelar o mistério do Evangelho ao mundo (Efésios 3.9-10).

 

O ENFOQUE ESTÁ EM “IR” AO INVÉS DE “VIR”:

 

No tempo moderno, muitas igrejas têm adotado uma abordagem evangelista do tipo “vem”. Elas abrem suas portas no momento do culto e esperam que o não-cristão venha. Porém, o Novo Testamento ensina uma metodologia do tipo “ide”. A igreja deve entrar no mundo com o Evangelho. A Evangelização de saturação requer que as pessoas saltem dos bancos da igreja e corram ao mundo. O maior impulso evangelista é feito pela igreja e não na igreja.

 

SE REQUER A UNIDADE EM ESPÍRITO:

 

A evangelização de saturação requer um testemunho unido com outros crentes e outras denominações. Tal testemunho não requer compromisso de convicções pessoais ou ênfases denominacionais. É a unidade de espírito habilitada pelo Espírito de Deus (1 Coríntios 12.13). Nossos espíritos estão unidos pela tarefa de evangelização.

 

O povo de Deus e chama o corpo de Cristo (Efésios 4.12). Se isto é verdade, então nós devemos atuar como um corpo e não como membros sem relacionamento e desordenados. (Você aprenderá mais sobre isso quando estudar “Funcionando em Rede Para a Evangelização” no Capítulo Quinze). A evangelização de saturação tenta alistar tantas igrejas, missões, denominações e organizações como possível na evangelização.

 

É GLOBAL EM NATUREZA:

 

A Grande Comissão foi dada a todos os seguidores de Cristo e a ordem foi para pregar a cada criatura.

 

A evangelização de saturação significa usar cada meio legítimo disponível, alcançar a cada pessoa, apresentando o Evangelho completo a todos os homens.

 

Em muitos casos, nossas metas de evangelização são muito pequenas. Nós somente temos pensado no que se refere a uma área geográfica pequena. Trabalhando com recursos limitados e visão limitada, às vezes nós cremos que temos cumprido nossa responsabilidade somente porque temos trabalhado numa porção pequena de uma cidade e país.

 

Quando Cristo nos ordenou que fossemos e fizéssemos discípulos  de todas as nações, o que Ele queria dizer era que nós deveríamos alcançar nações inteiras.

 

A evangelização de saturação é global em sua natureza, pois quando se alcançam as nações inteiras o mundo é alcançado.

 

O PADRÃO DA EVANGELIZAÇÃO DE SATURAÇÃO

 

A evangelização de saturação toma várias formas enquanto ela é aplicada por todo o mundo. As culturas do mundo diferem e é natural que a evangelização nas diferentes culturas assuma modelos diferentes. Nós devemos reconhecer que um método que é eficaz em uma cultura pode não ser eficaz em outra.

 

O padrão básico da evangelização de saturação, sem dúvida, é planejar um esforço evangelístico para penetrar cada grupo de povos de cada região de cada nação e, finalmente, cada nação do mundo. Aqui está o padrão básico da evangelização de saturação:

 

ORGANIZAÇÃO:

 

Para a saturação total de uma nação, deve haver uma coordenação local, regional (estado ou província) e o esforço evangelístico nacional. Para lograr isto, sugerimos que um comitê de evangelização seja formado em cada igreja local. Este comitê se preocuparia com a evangelização de sua área geográfica específica e grupos de povos individuais dentro desta área.

 

Um comitê para toda a cidade deve ser formado pelas igrejas locais para coordenar a evangelização dentro da cidade. Isto proporcionará a coordenação em lugar da competição entre as igrejas em nível local. Um comitê regional se preocuparia com o estado ou província inteira, e um comitê nacional com o esforço nacional.

 

A composição de cada comitê variará, dependendo das circunstâncias e metas local, regional e nacional. Porém, cada comitê poderá ter pelo menos os seguintes membros:

 

·         Presidente: aquele que dirige e coordena o comitê.

·         Vice-presidente: aquele que ajuda ao presidente e o substitui em sua ausência.

·         Secretario: deve ocupar-se de deveres clericais, como as cartas, anotações das reuniões, arquivos, etc.

·         Diretor financeiro: aquele que se ocupa das finanças, orçamento e relatórios financeiros.

·         Diretor de oração: aquele que dirige os esforços coordenados da oração para a evangelização.

·         Diretor de treinamento: aquele que organiza o treinamento para a evangelização.

·         Diretor de recursos: aquele que é responsável pela literatura necessária para o impulso evangelístico como panfletos e Bíblias, assim como mapas, fichas de visitação, livros evangelísticos, filmes, fitas de áudio, etc.

·         Diretor de publicidade: aquele que se ocupa do anúncio de eventos especiais no rádio, televisão, periódicos, carros de som, cartazes e impressos, assim como mala direta.

 

AGENDA:

 

Deve haver um horário organizado para as atividades de evangelização de saturação. Aqui está uma agenda anual sugerida:

 

Janeiro: Organizar os comitês loca, regional (estado) e nacional.

Fevereiro: Treinar a liderança.

Março: Treinar cada cristão.

Abril: Saturação local.

Maio: Saturar áreas por vários meios evangelísticos.

Junho: Saturar áreas por vários meios evangelísticos.

Julho: Campanhas de evangelização locais.

Agosto: Acompanhamento local.

Setembro: Campanhas de evangelização regionais.

Outubro: Acompanhamento regional.

Novembro: Campanha de evangelização nacional.

Dezembro: Seguimento e planejamento para o próximo ano.

 

(No Capítulo Doze você aprenderá como organizar e dirigir uma cruzada de evangelização. No Capítulo Treze você aprenderá como discipular os novos convertidos e treiná-os no discipulado).

 

MÉTODOS:

 

Cada tipo concebível de evangelização é usado em níveis local, regional e nacional, incluindo o seguinte:

 

·         Reuniões de oração que enforcarão na evangelização.

·         Evangelização de rádio e televisão.

·         Fitas de áudio e vídeo.

·         Filmes de evangelização.

·         Classes de estudo bíblico nas casas, igrejas ou em uma sede da comunidade.

·         Cursos evangelísticos por correspondência.

·         Ir buscar as pessoas de ônibus para participar da igreja e de eventos evangelísticos.

·         Evangelização de cada em casa.

·         Evangelização de militares.

·         Programas de alfabetização com uma ênfase evangelística.

·         Evangelização específica para alcançar negociantes e profissionais.

·         Programas de saúde com uma ênfase evangelística.

·         Evangelização por telefone.

·         Carros de som compartilhando o evangelho e convidando as pessoas às reuniões evangelísticas.

·         Cartas pessoais que compartilham o evangelho.

·         Evangelização institucional nos cárceres, hospitais, abrigos.

·         Evangelização através da educação cristã: escola dominical, escola bíblica de férias e escolas bíblicas.

·         Evangelização nos parques, praças e outros lugares de ajuntamento centrais.

·         Evangelização aos eventos especiais numa comunidade, por exemplo, uma exposição local, circo ou reunião política.

·         Concertos e apresentações de drama evangelísticos.

·         Evangelização pela literatura: Distribuindo panfletos, livros e outros materiais impressos.

·         Evangelização a grupos com necessidades especiais: alcoólatras, drogados, famintos, os sem teto, crianças, os mentalmente atrofiados.

·         Esforços evangelísticos especializados às crianças, jovens, homens e mulheres.

·         Evangelização aos estudantes internacionais numa universidade ou faculdade local.

·         Evangelização de escolas públicas.

·         Cruzadas de massa a níveis locais, regionais e nacionais.

 

Alguns dos métodos evangelísticos na lista acima não serão possíveis em certas nações devido às regulamentações governamentais. Porém, o ponto é que na evangelização de saturação um esforço sério se faz para saturar o país com o Evangelho de cada maneira possível.

 

Não há nenhum limite à variedade de métodos que podem ser incluídos na evangelização de saturação. Lembre-se que a meta é alcançar a todos com o Evangelho.

 

PREPARANDO A IGREJA LOCAL

 

Porque os esforços regionais e nacionais provêm do que se faz localmente e porque a evangelização de saturação ocorre dentro da esfera da igreja local, é importante que o pastor local saiba preparar sua congregação para a evangelização de saturação. Aqui estão alguns métodos para ajudar ao pastor a alcançar este objetivo:

 

·         Estabeleça o exemplo você mesmo: quando sua congregação vê que você está excitado sobre a evangelização e ganhar almas, ela será afetada por seu zelo.

·         Dirija a mensagem principal da semana aos não cristãos. Se as pessoas não salvas visitam uma igreja,  normalmente é no culto principal.

·         Periodicamente, pregue uma série de mensagens sobre a evangelização.

·         Faça com que os produtos de evangelização estejam disponíveis à sua congregação: Estes podem incluir gravações em vídeo e áudio, filmes e uma mesa com livros que enfocam na evangelização.

·         Faça do ganhar almas um requisito para a liderança na igreja. Uma qualificação para cada líder deve ser que ele ganhe almas. Se sua liderança atual não está ganhando pessoas para Cristo, comece a treiná-as.

·         Enfoque em ganhar almas na escola dominical: Os professores devem ser treinados sobre como apresentar o Evangelho e convidar aos estudantes a responder. Os pais não-salvos das crianças devem ser alcançados na escola dominical.

·         Faça do evangelismo a ênfase primária das reuniões de oração: muitas reuniões de oração hoje estão se tornando simplesmente outro culto com cânticos, boa pregação, porém pouca oração de fato. Leve seu povo à oração real, liderada pelo Espírito e do Novo Testamento, com uma ênfase no perdido e no levantamento de obreiros para a colheita.

·         Conduza um treinamento evangelístico contínuo: você pode usar este curso, “Evangelismo como Fermento”, para esse  propósito. Continua repetindo a classe com os novos convertidos de sua congregação ou quando os novos convertidos vierem ao Senhor.

·         Faça um plano para a sua área: Pegue um mapa de seu povo ou cidade. Divida-o em seções. Depois...

·         Dedique pelo menos uma tarda por semana à evangelização pessoal. Nós somente fazemos as coisas que nós gastamos tempo para fazer e isto é verdade também com respeito à evangelização. Você nunca começará a ganhar as almas até que você estabeleça um tempo definido para isso.

·         Estabeleça um dia e um horário definidos, encontre-se com os obreiros para oração e então os envie de dois em dois. Assista-os com fichas para visitar as famílias, negócios, lojas, praças, parques, postos de gasolina, bares - por todas as partes - pois essa é a essência do evangelismo de saturação.

·         Institua um programa de acompanhamento: treine seu povo para ser pessoalmente responsável para acompanhar aos convertidos. Comece uma classe para os novos convertidos para ensiná-os doutrinas essenciais da fé cristã e os integrar na igreja. O Capítulo Treze deste curso, intitulado “Decisões ou Discípulos”, o ajudará nisso.

 

 

 

TESTE O SEU CONHECIMENTO

 

1. Escreva o versículo-chave de memória.

_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

2. Defina a evangelização de saturação?

_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

3. Resuma a base bíblica da evangelização de saturação

__________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

4. Discuta os princípios básicos da evangelização de saturação.

_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

5. Discuta o modelo da evangelização de saturação.

_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

6. Explique como um pastor local pode preparar sua congregação para a evangelização de saturação.

_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

(As respostas se encontram ao final do último capítulo deste manual).

 

 

 

PARA ESTUDO ADICIONAL

 

1. o Curso do Instituto Internacional Tempo de Colheita, “Análise Ambiental”, detalha como analisar um povo, cidade, região ou nação para penetrá-os com o Evangelho. Ele lhe ajudará a identificar as necessidades e formular planos para a evangelização de saturação.

 

2. Faça um plano para a evangelização de saturação para a cidade ou povoado no qual você vive. Ore a respeito de quais atividades evangelísticas devem ser incluídas e depois faça uma agenda para realizar seus planos. Quais igrejas ou organizações cristãs poderiam unir-se a você para penetrar sua comunidade?

 

3. Se você está estudando este curso na prisão, faça um plano de evangelização de saturação para a instituição onde você está encarcerado. Se sua prisão tem um capelão, busque sua ajuda.


CAPÍTULO DOZE


OS MÉTODOS:

EVANGELIZAÇÃO EM MASSA

 

 

 

OBJETIVOS:

 

Ao concluir este capítulo você será capaz de:

 

n Escrever o Versículo Chave de memória.

n Explicar os benefícios de uma cruzada.

n Resumir a informação discutida nesta lição concernente:

o  A preparação espiritual

o  A localização da cruzada

o  O contrato do lugar

o  As datas e horários

o  Anúncios

o  Finanças

o  A preparação antecipada do local

o  O Treinamento dos obreiros

o  Dirigindo o culto

o  Acompanhamento

n Conduzir uma cruzada.

 

 

 

VERSÍCULO CHAVE:

 

“Olhem as nações e contemplem-nas, fiquem atônitos e pasmem;pois nos dias de vocês farei algo em que não creriam se lhes fosse contado” (Habacuque 1:5).

 

 

 

 

INTRODUÇÃO

 

Não é possível saturar uma comunidade, região ou nação com o Evangelho sem a evangelização em massa.

 

Há multidões de pessoas a serem alcançadas com o Evangelho, e a evangelização de massa em massa está focada em alcançar grande grupos de pessoas de uma só vez.

 

No capítulo Novo você aprendeu a fazer a evangelização pessoal. Esta lição explica como fazer a evangelização em massa. Os dois tipos de evangelização foram usados nos tempos do Novo Testamento, e os dois ainda são importantes na evangelização hoje.


A CRUZADA DE EVANGELIZAÇÃO EM MASSA

 

Um dos métodos mais eficazes de evangelização grupal é a cruza evangelística, que é um esforço unido de crentes para alcançar cada indivíduo de uma cidade com o Evangelho do Reino de Deus.

 

Não é somente uma série de reuniões dirigidas dentro das quatro paredes de uma igreja local. Não é um reavivamento, pois o reavivamento fala de reavivar algo que estava vivo, porém agora está perto da morte. O reavivamento é para crentes que se tornaram frios em sua experiência espiritual. Uma cruzada de evangelização em massa tem o objetivo de alcançar a população de não-salvos de uma área inteira.

 

A abordagem da reunião de Evangelização em massa é bíblica. Aproximadamente 150 vezes no Novo Testamento nós lemos que Jesus falou às multidões. O apóstolo Paulo e outros discípulos ministraram freqüentemente nos lugares onde muitas pessoas se reuniam.

 

Uma cruzada alcança as pessoas que durante anos têm buscado a Deus. Tocas as pessoas que nunca entrariam em um templo cristão. Provê a oportunidade para a demonstração do poder de Deus aos incrédulos. Alcança muitas pessoas rapidamente com o Evangelho e é um método importante para alcançar rapidamente a crescente população do mundo.

 

As cruzadas de evangelização em massa ajudam a identificar a terra espiritual que está pronta para a colheita e, conseqüentemente, produzir a plantação de novas igrejas. Se já existem igrejas em uma área, o crescimento é experimentado enquanto os novos convertidos se agregam à sua comunidade cristã.

 

A PREPARAÇÃO ESPIRITUAL

 

As sugestões nesta lição são dadas principalmente como um roteiro quanto aos aspectos mecânicos e físicos para dirigir uma cruzada. Porém, deve ser entendido claramente que se você alcança uma perfeição material e mecânica sem tem o poder espiritual, você será como o bronze ou o sino que ressoa. A preparação espiritual é a parte mais importante de qualquer esforço de evangelização.

 

Nunca se permita cair na cilada de ficar tão ocupado com os detalhes mecânicos de uma cruzada que você esqueça do ingrediente mais importante de todos - a preparação espiritual. Uma cruzada só é eficaz enquanto o evangelho do Reino é apresentado com unção e poder do Espírito Santo presente para salvar, curar e libertar - e isto requer a preparação espiritual.

 

A LOCALIZAÇÃO DA CRUZADA

 

O propósito de uma cruzada é levar o Evangelho àqueles que nunca o ouviram. O local onde a cruzada será realizada poderá ser determinado de duas maneiras:

 

Primeiro: você pode receber um convite do pastor, agência missionária ou de crentes em uma certa comunidade para vir e dirigir uma cruzada. Ore sobre cada convite e se você crê que esta é a vontade de Deus para você, aceite-a.

 

Segundo: você pode ser divinamente dirigido por Deus para ir a uma certa área. Neste caso, você deve avisar aos crentes na área e deve contar-lhes sobre o desejo do seu coração e receber a cooperação deles, se possível. Se não há nenhum crente ou igrejas estabelecidas na área. Ou se você não pode receber uma cooperação local, você ainda deve ir, se você crê que Deus o está enviando.

 

Para uma cruzada com impacto nacional, a cidade capital da nação ou outra cidade principal deve ser selecionada.

 

Uma vez que uma cidade tenha sido selecionada, então a localização exata dentro desta cidade deve ser decidida. Isto é muito importante, porque ainda quando você faz todas as outras coisas bem, se as pessoas não podem encontrar facilmente ou não podem conseguir um lugar, seus esforços não terão valor algum. A localização ideal em qualquer cidade deve ser tão próxima quanto possível para a maior concentração da população.

 

Aqui estão algumas localizações que poderiam ser usadas para uma cruzada de massa:

 

UM GRANDE CAMPO ABERTO:

 

Esta tem se demonstrado a melhor localização. Uma plataforma pode ser erguida no menor ponto do campo e um grande número de pessoas pode ser acomodado.

 

Normalmente pode ser usada algo assim sem custo algum ou por um custo mínimo.

 

UM PARQUE CENTRAL: